Comando e controle

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Comando e Controle (do inglês: Command and control), ou , pode ser definido como o processo de direção por pessoa ou autoridade legalmente ou legitimamente investida na utilização dos recursos colocados à disposição.[1]

Embora possa ser utilizada em ambientes civis, normalmente está associada ao meio militar.

Siglas Militares[editar | editar código-fonte]

A Sigla C², utilizada desde a época da Guerra Fria, evoluiu para: C3I (Comando, Controle, Comunicações e Inteligência);[2] C4I (inclusão de Computador);[3] e posteriormente para C4ISTAR (Command, Control, Communications, Computer, Intelligence, Surveillance, Target Acquisition, Reconnaissance) no Reino Unido ou C4ISTR nos Estados Unidos da América, agregando os termos vigilância, aquisição de dados e reconhecimento.

Forças Armadas[editar | editar código-fonte]

Símbolo C² da OTAN

O Sistema Militar de Comando e Controle - SISMC², do Ministério da Defesa (MD), objetiva otimizar o exercício da direção, do controle e da coordenação das forças militares em operação, possibilitando o acompanhamento em tempo real das ações em curso.

As Forças Armadas do Brasil estão particularmente inseridas na Doutrina de Comando e Controle do MD. Cada Força Armada possui um software para apoiar seu Sistema de Comando e Controle, visando, também, o acompanhamento das operações militares.

Dentre as atividades de comando e controle, realizadas por esta capacidade instalada, destacam-se o acompanhamento do Bug do Milênio e da coordenação da segurança da Cúpula América do Sul e Países Árabes, em Brasília.[4]

Já ocorreram diversos seminários sobre o assunto,[5] buscando, principalmente, a integração dos sistemas existentes.

No Exército Brasileiro, o Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) é o órgão setorial responsável pela sua otimização. Especificamente, o Centro Integrado de Telemática do Exército, subordinado ao DCT, é responsável pela operação das bases física e lógica do Sistema Estratégico de Comando e Controle do Exército (SEC2Ex).[6]

Sistema Militar de Comando e Controle do Brasil - SISMC²[editar | editar código-fonte]

  • Ministério da Defesa: CC²CS (Centro de Comando e Controle do Comandante Supremo); COCS (Centro de Operações do Comando Supremo)
  • Comando da Marinha: CCTOM (Comando e Controle do Teatro de Operações Marítimo)
  • Comando do Exército: COTER (Comando de Operações Terrestres)
  • Comando da Aeronáutica: CCCOA (Centro de Comando e Controle de Operações Aéreas)[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. Defense Systems, Inc. Elements of C2 Theory. McLean: 1985.
  2. Orr, George E. Combat Operations C3I: Fundamentals and Interactions. Maxwell Air Force Base: Air University Press, 1983.
  3. Joint Chiefs of Staff. Doctrine for Command, Control, Communications, and Computer (C4) Systems Support to Joint Operations. (Joint Publication 6-0) Washington, DC: US Government Printing Office, 1992.
  4. [1]
  5. [2]
  6. [3]
  7. [4]
  • Sloan, E. Security and Defence in the Terrorist Era. McGill-Queen's University Press, Montreal: 2005.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]