Comensal da Morte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde junho de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Na série de livros Harry Potter, os Comensais da Morte (Devoradores da Morte, na versão portuguesa, ou Death Eaters, na versão inglesa) são um grupo de bruxos liderados por Lord Voldemort. A participação do grupo vai progressivamente aumentando com o desenvolver da série.

Quem eram[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Das anotações da autora J. K. Rowling, sabe-se que os Comensais eram originalmente chamados de "Os Cavaleiros de Walpurgis", numa referência ao festival Wicca de Walpurgis. Eles assumiram o nome atual ao jurarem lealdade a Voldemort em sua tentativa de tomar o poder do Ministério da Magia, o corpo governante da sociedade bruxa. As táticas de combate dos Comensais parecem se constituir, principalmente, de guerra psicológica, através de sequestros, ameaças e assassinatos cuidadosamente planejados. Um comensal deve jurar fidelidade total a Lord Voldemort. A pena para o fracasso ou traição é a morte.

Todos os Comensais possuem o símbolo de Voldemort, a Marca Negra, tatuado no braço esquerdo. A marca, um crânio com uma serpente saindo da boca, é usada para convocar os Comensais da Morte. Quando Voldemort toca a tatuagem de um dos Comensais, os outros sentem suas próprias marcas queimarem, e sabem que o mestre está chamando. A vestimenta tradicional do Comensal da Morte é um manto negro com capuz Após a morte aparente de Lord Voldemort, os Comensais debandaram. O Ministério da Magia liderou uma caçada contra os ex-servos de Voldemort. Muitos acabaram mortos e outros aprisionados na prisão mágica de Azkaban. Ainda outros escaparam da punição alegando inocência, dizendo que haviam sido enganados ou dominados por Voldemort através da Maldição Imperius.

No final de Harry Potter e o Cálice de Fogo, quando Voldemort retorna ao poder, o grupo é refeito. Vinte e oito comensais já foram nomeados na série, entre vivos, mortos e aprisionados, mas acredita-se que existam mais. Não fica explícito, também, se todos os servos de Voldemort são condecorados com o título de Comensal da Morte.

Apesar das afirmações de Alvo Dumbledore e Harry Potter a respeito do retorno de Voldemort, o Ministério permanece surdo aos seus apelos, o que dá um tempo considerável aos Comensais para se reorganizarem e recrutarem aliados, como os Dementadores e os Gigantes ao crescente exército do Lord das Trevas, assim como libertarem os antigos companheiros de Azkaban. O primeiro ataque em grande escala da nova formação dos Comensais se dá em Harry Potter e a Ordem da Fênix, quando um grande bando deles invade o Departamento de Mistérios em uma tentativa de roubar a esfera mágica que contém a profecia da professora Trelawney. A profecia conta a verdade sobre a conexão entre Harry Potter e Voldemort, e seria uma grande vantagem na guerra para quem a possuísse. A tentativa é frustrada quando os Comensais encontram os membros da Armada de Dumbledore: Harry Potter, Rony Weasley, Gina Weasley, Hermione Granger, Neville Longbottom e Luna Lovegood, que lhes combatem. Na luta, o globo da profecia acaba sendo destruído. Os Comensais provavelmente teriam vencido, se a Ordem da Fênix não tivesse chegado e unido-se à Armada de Dumbledore, derrotando e capturando quase todos os Comensais envolvidos na invasão.

Alguns dos filhos dos Comensais da Morte estudam em Hogwarts. No quinto livro, alguns desses alunos unem-se à Brigada Inquisitorial da Professora Umbridge, iniciando um reinado de terror e opressão na escola. A Armada de Dumbledore foi fundada para que os alunos aprendam a se defender contra as Artes das Trevas, coisa que Umbridge queria impedir.

No sexto livro, os Comensais invadem Hogwarts, com a ajuda de Draco Malfoy (que também se torna Comensal da morte), sob o pretexto de matar Dumbledore. Sua tentativa, no entanto, se tornou um pouco frustrada já que havia mais gente patrulhando a escola do que eles haviam esperado (além dos aurores e professores, havia também membros da antiga Armada de Dumbledore: Hermione, Rony, Luna, Gina e Neville). Fenrir Greyback, Amico e Aleto Carrow, Yaxley e Thor Rowle são alguns dos comensais que participam dessa batalha. No filme, Belatrix Lestrange também participa dessa batalha, sendo ela quem conjura a Marca Negra o que no livro não é. Há outro equívoco no filme, pois os comensais da morte entraram em Hogwarts sem nenhuma resistência o que, na verdade, no livro não acontece. No final, eles conseguem completar a sua missão graças a Snape que mata Dumbledore no alto da Torre de Astronomia.

No sétimo e último livro, os comensais da morte tem o controle do Ministério da Magia e com todos esforços possíveis caçam Harry Potter para que Voldemort o mate. Atacam a casa dos Lovegood, dos Weasley e uma lanchonete trouxa em sua incansável busca. Quem pronuncia o nome do Lorde das Trevas é atacado pelos comensais que procuram o Potter. Sequestradores aliados de Voldemort por fim conseguem capturar Harry e seus amigos e leva-los para a mansão dos Malfoy mas, os prisioneiros conseguem escapar causando a ira de Voldemort.

Snape está na posição de diretor em Hogwarts com os Comensais Carrow como professores. Após Harry se infiltrar em Hogwarts é achado por Aleto Carrow que convoca o Lorde das Trevas mas é vencida junto com seu irmão, assim como Snape que é expulso de Hogwarts pelos outros professores. Voldemort chega na escola com inúmeros comensais da morte e ataca a o castelo com todas as forças quase a destruindo mas, os esforços de Hogwarts foram mais fortes e por fim foram todos mortos ou aprisionados novamente em Azkaban com exceção dos Malfoy que foram perdoados. Ao final da Batalha de Hogwarts, Voldemort foi finalmente morto após sua própia Maldição da Morte ricochetear como da primeira vez que tentou matar Harry.

Alguns Comensais da Morte[editar | editar código-fonte]

Severo Snape[editar | editar código-fonte]

Foi atraído pelas artes das trevas ainda jovem, e foi quem contou a Voldemort sobre o começo da profecia de Sibila Trelawney, sem saber como Voldemort iria interpretar o que soubera, ficando desesperado ao saber que ele entendera tratar-se do filho do casal Potter. Arrependeu-se imediatamente, contando tudo a Dumbledore, e pedindo a este que protegesse a mãe, ou, pelo menos, que protegesse toda a família, pois era apaixonado por Lílian Potter. Após a tragédia em que somente o menino sobreviveu, se dedicou a proteger Harry Potter dali para a frente. Na verdade era um espião de Dumbledore, mas para conseguir manter seu segredo, matou-o no meio de 1996 a pedido do próprio Dumbledore, que confiava nele cegamente. Em 1996, durante a segunda guerra dos bruxos, assume a direção de Hogwarts a mando de Voldemort, podendo ajudar ainda mais Harry, e morre em 1997 pela picada da cobra Nagini, ainda enganando Voldemort. Severo Snape foi a única pessoa a enganar Voldemort, o maior bruxo das trevas de todos os tempos. Em uma das cenas mais marcantes do sétimo livro, Dumbledore diz: " Você está desenvolvendo uma afeição pelo menino, Severo. Que comovente." " Por ele?" , então, Snape conjura um patrono e dele sai uma corsa, o mesmo patrono de Lílian Potter. Pela primeira vez em todos os sete livros, ele chora. Mais uma prova de seu amor por Lílian.

Avery[editar | editar código-fonte]

Avery é citado três vezes durante a série de livros, a primeira em Harry Potter e o Cálice de Fogo onde ele se junta a outros comensais que responderam ao chamado de Voldemort para ir ao cemitério onde este retomou plenos poderes, a segunda aparição têm lugar quando Harry têm uma visão onde Voldemort conversava com Augusto Rookwood que lhe esclarecia que as informações que Avery havia lhe passado estavam equivocadas sobre como roubar uma profecia sobre o próprio Voldemort e Harry de dentro do Departamento de Mistérios onde Rookwood já havia trabalhado, depois disso Harry sente que Avery estava sendo severamente castigado.

A terceira e última aparição, do primeiro ao sexto livro, deste personagem ocorre de forma discreta em Harry Potter e o Enigma do Príncipe quando Harry e Dumbledore adentram na memória do Prof. Slughorn em que foi mostrada o final de uma das antigas reuniões do Clube do Slugue em que três membros são citados: Voldemort( Tom Riddle), Lestrange e Avery.

Além disso, como é mostrado no sétimo livro, Harry Potter e as Relíquias da Morte, Severo Snape teria tido uma amizade com ele na adolescência.

Macnair[editar | editar código-fonte]

Walden McNair é um dos Comensais da Morte de Lord Voldemort. Depois da queda do Lord das Trevas, este Comensal passou a trabalhar para o Ministério da Magia. Teria sido o carrasco de Bicuço se o animal não tivesse sido salvo, graças ao viratempo de Hermione.

No episódio ele levava um grande machado e a cabeça coberta, de modo que passou a ser vulgarmente lembrado como o carrasco que leva um machado. Ele é um personagem bem secundário, desse modo, felizmente, o vemos poucas vezes ao longo das histórias de Harry Potter, mas em suas poucas aparições podemos notar sua natureza agressiva e pouco gentil. No sétimo livro é morto por Hagrid.

Antonio Dolohov[editar | editar código-fonte]

É um dos seguidores de Lord Voldemort (Comensais da Morte). Foi levado a Azkaban pelo brutal homicídio dos irmãos Gideão e Fábio Prewett.

Participou da fuga em massa de Comensais da morte em Azkaban, quando Voldemort se recupera e volta a comandar os seus seguidores. Dolohov foi quem matou Remo Lupin,na Batalha de Hogwarts,no livro 7 - Harry Potter e as Relíquias da Morte

Rabastan Lestrange[editar | editar código-fonte]

Rabastan Lestrange é o irmão de Rodolfo Lestrange. Na série Harry Potter, não fica especificado se seria o irmão mais novo ou mais velho de Rodolfo, mas acredita-se que seja mais novo que o outro.

Assim como o irmão, Rabastan é um Comensal da Morte. Não se tem certeza da data de sua ingressão no grupo de seguidores de Voldemort.

A primeira menção ao nome de Rabastan Lestrange acontece no quarto livro (Harry Potter e o Cálice de Fogo). Ao descobrir as funções da Penseira, Harry Potter assiste a lembrança do diretor Albus Dumbledore em relação ao julgamento de quatro pessoas: Bellatrix Lestrange, seu marido Rodolfo Lestrange, Bartô Crouch Jr e o próprio Rabastan. O crime do qual eram acusados era a tortura e incapacitação permanente de Frank e Alice Longbottom, sobre os quais se suspeitava saberem do paradeiro de Voldemort, na época desaparecido. O julgamento culminou em prisão perpétua na prisão de Azkaban. Mais tarde, Sirius Black menciona que algum dos dois Lestrange teria sido colega de escola de Severus Snape.

A participação de Rabastan Lestrange aumenta no quinto livro, Harry Potter e a Ordem da Fênix. Durante sua estada no Largo Grimmauld (Sede da Ordem da Fênix, Sirius e Harry examinam a tapeçaria que mostra a linhagem da família Black. Sirius explica que é primo de Bellatrix e Rodolfo Lestrange, e menciona que Rabastan também foi condenado com o casal.

Por volta de janeiro de 1996, acontece uma fuga em massa de Comensais da Morte presos em Azkaban. Entre esses Comensais está Rabastan Lestrange, que volta para os serviços de Voldemort.

Rabastan Lestrange também está presente no ataque ao Ministério comandado por Lucius Malfoy para roubar a profecia que fala de Harry Potter e do Lord das Trevas, e torna a ser preso junto com seu irmão Rodolfo, com o próprio Lucius e vários outros Comensais, por Albus Dumbledore.

Durante o sexto livro não se faz menção alguma a Rabastan.

No sétimo livro Rabastan aparece sendo morto por uma das estátuas conjurada a vida por Minerva McGonagall

Rodolfo Lestrange[editar | editar código-fonte]

Rodolphus Lestrange (Rodolfo Lestrange em português) é casado com Belatriz Lestrange (Belatriz Black, quando solteira), e é irmão de Rabastan Lestrange. Rodolfo e sua esposa, juntamente com seu irmão Rabastan, juraram lealdade ao Lord Voldemort tornando-se Comensais da Morte, e foram um dos mais leais.

Após a queda de Voldemort ao tentar matar Harry Potter, Rodolfo, Bellatrix, Rabastan e também Bartô Crouch Jr. foram os culpados pela tortura, por meio da Maldição Cruciatus, de Frank e Alice Longbottom, ao ponto de loucura interrogando-os sobre onde estava seu mestre. Quando o filho dos Longbottom era apenas um bebê. Os Longbottom hoje se encontram inutilizados no Hospital St. Mungus.

Os Lestrange e Bartô Crouch Jr. foram condenados à prisão perpétua em Azkaban, mas foram libertados da prisão com a revolta dos dementadores durante Harry Potter e a Ordem da Fênix. Rodolfo participa da batalha no Ministério da Magia em direção ao final desse livro. Durante a batalha, todos os comensais foram derrotados e presos(com exceção de Belatriz e Voldemort que fugiram.).

Porém, Rodolfo e os outros comensais foram soltos por Voldemort pouco tempo depois e ele voltou a servir seu mestre, lutando na Batalha dos Sete Potter onde foi seriamente ferido.

Ele estava presente na Batalha de Hogwarts, e se evade de Hogwarts, vivendo para vingar a morte de sua esposa Belatriz Lestrange.

Augusto Rookwood[editar | editar código-fonte]

Augusto Rookwood, é um Comensal da Morte que trabalhava no Ministério da Magia (no Departamento de Mistérios). Ele era espião e passava à Voldemort informações úteis de dentro do ministério. Ele foi levado a Azkaban depois que Igor Karkaroff o entregou ao Ministério da Magia, mas no quinto livro ele consegue fugir da prisão com outros comensais da morte para se unir a Lord Voldemort. Harry Potter já teve "sonhos" com Rookwood.

Estava presente na Batalha do Ministério e batalhou contra Kingsley Shacklebolt, chegando a usar a maldição da morte, porém sem sucesso, e é em seguida derrotado e preso novamente.

No sétimo livro é estuporado e morto por Aberforth Dumbledore.