Comissão Baleeira Internacional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa-múndi com os Estados-membros da Comissão Baleeira Internacional destacados em cor azul.

A Comissão Baleeira Internacional (português europeu) ou Comissão Internacional da Baleia (português brasileiro)[1] (CBI ou CIB; em inglês, International Whaling Commission - IWC) é uma organização internacional instituída pela Convenção Internacional para a Regulação da Actividade Baleeira, firmada em Washington, em 2 de dezembro de 1946,[2] com o propósito de «prever a conservação judiciosa» das baleias e, «por conseguinte, de tornar possível o desenvolvimento ordenado da indústria baleeira».[3]

Desde o final dos anos 1970, porém, os governos que parecem opor-se em grande medida à caça comercial à baleia passaram a ser maioria na comissão. Como resultado, a CBI adotou em 1986 uma moratória à caça comercial, que ainda não foi levantada, e criou em 1994 o «Santuário da Baleia do Oceano Antártico». Com isso, o papel da IBC tem sido questionado, com um grupo antibaleeiro de países que defende a continuação indefinida da moratória e a instituição de novos santuários, e outro grupo pró-baleeiro que propõe o fim da moratória e a volta das quotas anuais.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A CBI é o único organismo autorizado a agir no âmbito da Convenção Internacional para a Regulação da Actividade Baleeira e a implementar os objetivos económicos e ambientais previstos nesse tratado. No desempenho de suas funções, a comissão revê e revisa periodicamente o Programa (na versão brasileira, Regulamento) da Convenção,[4] controla a prática da caça à baleia ao proteger cercas espécies, transformar determinadas regiões em santuários, estabelecer limites ao número e tamanho das baleias caçadas, prescrever estações abertas e fechadas e áreas para a atividade baleeira, bem como métodos e intensidade da caça e tipos de equipamento a ser empregados. Nos termos da convenção, a CBI possui a atribuição de adotar regulamentos para dispor sobre a conservação, o desenvolvimento e a utilização otimizada dos recursos relativos à baleia.[5]

A sede da CBI encontra-se em Impington, Inglaterra e a comissão possui três comitês principais: científico, técnico e de finanças e administração.

A participação na CBI não é restrita aos estados envolvidos na atividade baleeira. O número de membros dobrou desde 2001, com uma média anual de adesões de quase seis Estados por ano no período 20022008. Em novembro de 2012 a comissão contava 89 membros.[6]

Tradicionalmente, a CBI se reúne todos os anos, em geral em maio ou junho. As reuniões compõem-se de um representante com poder de voto por Estado-membro, que pode se fazer acompanhar por especialistas e assessores. O regimento interno da comissão permite que estados não-membros e organizações internacionais participem das reuniões na qualidade de observadores. As organizações não-governamentais que mantenham escritórios em mais de três países também podem participar das reuniões anuais.

A reunião mais recente da Comissão ocorreu em junho de 2012.[7]

Estados membros[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. No Brasil, a denominação oficial é atestada no Regimento Interno do Ministério das Relações Exteriores; em Portugal, na página do Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade.
  2. No Brasil, o tratado em apreço chama-se Convenção Internacional para a Regulamentação da Pesca da Baleia; em Portugal, denomina-se Convenção Internacional para a Regulação da Actividade Baleeira.
  3. Convenção Internacional para a Regulamentação da Pesca da Baleia, firmada em Washington, em 2 de dezembro de 1946, consideranda.
  4. Convenção, artigo I.
  5. Convenção, artigo V, item 2.
  6. Fonte: Página da Comissão Internacional da Baleia, acessada em 17 de novembro de 2012.
  7. Título não preenchido, favor adicionar. Página visitada em 16 de novembro de 2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre relações internacionais, diplomacia ou sobre um diplomata é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.