Comitê de Pronunciamentos Contábeis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) é uma entidade autônoma criada pela Resolução CFC nº 1.055/05. Tem como objetivo estudar, preparar e emitir Pronunciamentos Técnicos sobre Procedimentos de Contabilidade e divulgar informações dessa natureza, para permitir a emissão de normas pela entidade reguladora brasileira visando à centralização e uniformização do seu processo de produção, levando sempre em conta a convergência da Contabilidade Brasileira às normas internacionais de contabilidade.[1]

É formado pelas seguintes entidades:

Características básicas[editar | editar código-fonte]

O CPC é totalmente autônomo das entidades representadas, deliberando por 2/3 de seus membros. O Conselho Federal de Contabilidade e a FACPC - Fundação de Apoio ao CPC, fornecem a estrutura necessária, as seis entidades compõem o CPC, mas outras poderão vir a ser convidadas futuramente. Os membros do CPC, dois por entidade, na maioria contadores, não percebem remuneração.

Além dos 12 representantes atuais, serão sempre convidados a participar representantes dos seguintes órgãos:

Os Pronunciamentos Técnicos serão obrigatoriamente submetidos a audiências públicas. As Orientações e Interpretações poderão, também, sofrer esse processo.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Assembléia dos Presidentes das Entidades

- elegem os membros do CPC (representantes das seis entidades), com mandatos de quatro anos (exceto metade dos primeiros membros, com dois anos); - podem, por 3/4 de seus membros, indicar outros membros do CPC; - podem alterar o Regimento Interno do CPC.

Quatro Coordenadorias:

- de Operações; - de Relações Institucionais; - de Relações Internacionais; - Técnica.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]