Companhia Siderúrgica do Pecém

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou secção contém informações sobre uma construção futura.
É provável que contenha informações de natureza especulativa, e seu conteúdo pode mudar drasticamente.
Tower crane colorize.png
CSP - Companhia Siderúrgica do Pécém
Tipo Empresa de capital fechado
Indústria energia, siderurgia
Sede Brasil São Gonçalo do Amarante, Ceará
Empregados N/D
Produtos Aço
Página oficial www.cspecem.com

Companhia Siderúrgica do Pecém é o nome do atual projeto de uma siderúrgica localizada no estado brasileiro do Ceará, na cidade de São Gonçalo do Amarante, que tem como sócios as empresas sul-coreanas Dongkuk Steel, Posco (NYSE: PKX) e a e a brasileira Companhia Vale do Rio Doce (NYSE: VALE).

A Vale deterá 50% do capital da empresa e a Dongkuk e a Posco 30% e 20% respectivamente.[1] A implantação do projeto prevê a construção de uma usina siderúrgica integrada (que opera a Alto-forno) com capacidade de produzir três milhões de placas de aço por ano na sua primeira fase.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Ceará Steel: 2000 a 2007[editar | editar código-fonte]

O nome anteior do projeto era Ceará Steel e tinha como sócios o BNDESPar (40%), a sul-coreana Dongkuk Steel (34%), a italiana Danieli (17%) e a Companhia Vale do Rio Doce (9%). Este projeto faria uso da tecnologia de redução direta, que tem como base energética o gás natural, ao invés do carvão mineral.

A iniciativa sofreu dificuldade de implantação durante a transição dos governo de Lúcio Alcântara e Cid Gomes quando a Petrobras rompeu o contrato de fornecimento de gás com um preço pre-estabelecido.[2] [3] . Eventualmente as acionistas decidiram mudar a matriz energética para carvão mineral, para contornar os problemas de viabilidade do empreendimento.

CSP - Companhia Siderúrgica do Pecém: 2007 a 2011[editar | editar código-fonte]

A Dongkuk Steel não desistiu da ideia de construir uma usina no Ceará e firmou uma parceria com a Vale para dar continuidade ao projeto. Durante esta fase, o capital da empresa era composto de 51% pela Dongkuk Steel e 49% pela brasileira Vale. Nesta composição foram obtidas as primeiras licenças ambientais[4] [5] [6] .

Em novembro de 2010, a Posco assinou um acordo para passar a integrar o bloco de controle da CSP[7] . A composição acionária de 50% da Vale, 30% Dongkuk Steel e 20% Posco passou a valer efetivamente em agosto de 2011, conforme o novo acordo de acionistas[8] .

Início das Obras[editar | editar código-fonte]

O projeto encontra-se em fase final de terraplanagem e o início das obras civis esta previsto para o segundo trimestre de 2013.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]