Companhia das Letras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Companhia das Letras
Tipo Editora
Fundação 1986
Fundador(es) Luiz Schwarcz
Lilia Moritz Schwarcz
Sede São Paulo
Proprietário(s) Luiz Schwarcz
Lilia Moritz Schwarcz
Fernando Moreira Salles
Gilson Prior Micelli
Pessoas-chave Luiz Schwarcz
Lilia Moritz Schwarcz
Fernando Moreira Salles
Gilson Prior Micelli
Empregados 1.0321
Produtos Livros
Divisões Companhia das Letras
Cia. das Letras
Companhia das Letrinhas
Companhia de Bolso
Quadrinhos na Cia.
Penguin-Companhia
Editora Claro Enigma.
Faturamento R$ 196 milhões em (2009)2
Página oficial Companhia das Letras

A Companhia das Letras é uma editora brasileira fundada em 1986, com sede em São Paulo.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Fundada por Luiz Schwarcz, que vinha da experiência de trabalho na Editora Brasiliense, e sua esposa Lilia Moritz Schwarcz, teve como um dos quatro primeiros livros publicados Rumo à Estação Finlândia, de Edmund Wilson, sucesso de vendas que impulsionou a editora, e nos primeiros 12 meses de existência, lançou 48 títulos. Três anos depois se associou ao empreendimento o economista e escritor Fernando Moreira Salles3 .

Em 24 anos, a editora publicou quase três mil títulos, de 1.300 autores, incluindo os lançamentos dos outros selos da editora. Em 2009, foram mais de 230 títulos publicados, e no total a editora tem 3.239 títulos, sendo 2.800 em catálogo4 . A tiragem média é de 10.500 exemplares, e o livro mais vendido foi As Barbas do Imperador, com 3,950 milhões exemplares.

As duas principais linhas editoriais da Companhia das Letras são, desde o início, literatura e ciências humanas, que se ramificam em: ficção brasileira, ficção estrangeira, poesia, policiais, crítica literária, ensaios de história, ciência política, antropologia, filosofia, psicanálise, além de séries de fotografia, gastronomia, divulgação científica, biografias, memórias, relatos de viagem e projetos especiais.

Possui ao todo sete selos: Companhia das Letras, Cia. das Letras, Companhia das Letrinhas, Companhia de Bolso, Quadrinhos na Cia., Penguin-Companhia, Editora Claro Enigma.

Criado em 1992, o selo Companhia das Letrinhas tem como proposta editar livros voltados ao público infanto-juvenil5 .

O selo Cia. das Letras, que surgiu em 1994, desenvolve duas linhas básicas: de um lado, publica livros de ficção e não ficção voltados para pré-adolescentes e adolescentes; de outro, obras de interesse para diferentes faixas etárias, como O mundo de Sofia, O menino do pijama listrado e a coleção Desventuras em Série6 .

Em 2006 foi criado o selo Companhia de Bolso pelo editor-chefe Gilson Prior Micelli, que relança em edição econômica os grandes sucessos da Companhia das Letras. Em 2009, foram criados mais três selos: Quadrinhos na Cia., Editora Claro Enigma e Penguin Companhia. Quadrinhos na Cia. traz uma linha dedicada aos quadrinhos. A editora Claro Enigma é ligada à educação, com material paradidático.

Em 2010, o selo Penguin Companhia passa a editar, em português, obras do catálogo da Penguin Classics, com o formato internacionalmente reconhecido da coleção, e uma série de clássicos em língua portuguesa, além de novos projetos idealizados especialmente para a coleção e em 5 de dezembro de 2011 a editora britânica (Penguin) comprou 35% da Companhia das Letras, sendo criado uma holding das famílias Moreira Salles e Schwarcz para administrar os 65% de participação da editora7 .

Enquete[editar | editar código-fonte]

Em 23 de julho de 2012, o jornal Valor Econômico, que promovera uma enquete com um grupo de críticos e professores para identificar qual é a melhor editora do Brasil, apresentou como resultado a Companhia das Letras em primeiro lugar (81%), e a Cosac Naify em segundo (76%)8 . Em 3º lugar ficaram a Editora 34, a Martins Fontes e a Record; em 4º a Editora UFMG e a Nota do Tempo; em 5º Ateliê Editorial, Editora Hedra, Editora Iluminuras, Editora da Unicamp9 ; em 6º lugar Contraponto Editora, Difel, Edusp, Editora Escrituras, Editora Perspectiva, UnB, Editora Vozes, WMF Martins Fontes, Zahar Editores.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. Companhia das Letras
  2. FERRARI, Mário, 2010
  3. Folha Online, 12/12/2008
  4. FERRARI, Márcio, 2010
  5. Girafamania
  6. Companhia das Letras
  7. Editora britânica Penguin compra 35% da Companhia das Letras Portal Folha - acessado em 5 de dezembro de 2011
  8. FERRARI, Márcio, 2010
  9. ALVES FILHO, Manuel, 2010, p. 10

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • FERRARI, Márcio. Valor Econômico. São Paulo, 23 de julho de 2010. In: Clipping
  • ALVES FILHO, Manuel. Editora da Unicamp é relacionada entre as melhores do país. Jornal da Unicamp, 2 a 8 de agosto de 2010, p. 10
  • ILUSTRADA 50 ANOS: 2006 - O império da Companhia das Letras. In: Folha Online, 12/12/2008

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.