Comparação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Comparação (também conhecida como Analogia) é uma figura de linguagem semelhante à metáfora usada para demonstrar qualidades ou ações de elementos. A relação entre esses elementos pode formar uma comparação simples ou uma comparação por símile.

É mais facilmente entendida como a aproximação de dois termos que se assemelham.

Cquote1.svg O Amor queima como o fogo Cquote2.svg
Luís de Camões

Os dois termos, Amor e fogo, mantém, cada um, sua própria significação.

Comparação simples[editar | editar código-fonte]

É a aproximação de dois termos entre os quais existe alguma relação de semelhança, como na metáfora. A comparação, porém, é feita por meio de um conectivo (com,como,parecia e etc) e busca realçar determinada qualidade do meio termo (como, tal, qual, assim, quanto etc.) exemplo: "O mar canta como um canário"; "A cidade, adormecida, parecia um cemitério sem fim".

Gustavo D' Lucas

Comparação ou símile[editar | editar código-fonte]

É utilizada para comparar dois elementos que não pertencem à mesma categoria, dependendo do contexto.

Algumas vezes chama-se-a, por simplicidade — e quando não há possibilidade de confusão ideológica — símile, tão-só. Entretanto, trata-se apenas de uso em forma reduzida por sinonímia, não se referindo propriamente a uma nova, distinta, figura de linguagem.
Por outro lado, contudo, o termo "símile" pode ser utilizado com significado autónomo:

  • "para empregar um símile musical, não será [o verso alexandrino] tão melódico, como outros mais genuinamente nossos, mas é harmonioso como poucos." (Machado de Assis, Crítica, p. 111). (FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda)

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Qual branca vela n'amplidão dos mares
Castro Alves
É que teu riso penetra n'alma
Como a harmonia de uma orquestra santa
— Castro Alves
A via-láctea se desenrolava
Como um jorro de lágrimas ardentes
Olavo Bilac
De sua formosura
deixai-me que diga:
é tão belo como um sim
numa sala negativa.
- João Cabral de Melo Neto
Bateram-lhe como nunca tinham visto.
você é tão bonita quanto o Rio de Janeiro
em maio
e quase tão bonita
quanto a Revolução Cubana s
- Ferreira Gullar

Comparação vs. metáfora[editar | editar código-fonte]

A comparação assemelha-se à metáfora, que não é mais que uma comparação não assumida, para acentuar a identidade poética entre as duas entidades comparadas.

Lendo a expressão "Os teus olhos são como lagos gélidos" existe uma comparação explícita denotada pelo conectivo "como". Contudo, se dissermos, "Os teus olhos são lagos gélidos", passamos a ter uma metáfora que passa a estabelecer uma relação de identidade poética em vez da mais prosaica comparação que mantém os dois objetos em universos distintos.

Links externos[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.