Composto orgânico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Acetona

Os compostos ou moléculas orgânicas são as substâncias químicas que contêm na sua estrutura Carbono e Hidrogênio,[1] e muitas vezes com oxigênio, nitrogênio, enxofre, fósforo, boro, halogênios e outros.[2] Não são moléculas orgânicas os carbetos, carbonatos, bicarbonatos, cianetos, óxidos de carbono, assim como o carbono grafite, diamante e o fulereno.[2]

Glicose

As moléculas orgânicas podem ser:

  • Moléculas orgânicas naturais: São as sintetizadas pelos seres vivos, denominadas biomoléculas, que são estudadas pela bioquímica.
  • Moléculas orgânicas artificiais: São substâncias que não existem na natureza e têm sido fabricadas pelo homem, como os plásticos. A maioria dos compostos orgânicos puros são produzidos artificialmente.[1]

A linha que divide as moléculas orgânicas das inorgânicas[2] tem originado polêmicas e historicamente tem sido arbitrária, porém, geralmente os compostos orgânicos apresentam carbono ligado a hidrogênio, e os compostos inorgânicos não. Deste modo, o ácido carbônico é inorgânico, entretanto, o ácido fórmico, o primeiro ácido carboxílico, é orgânico. O anidrido carbônico e o monóxido de carbono são compostos inorgânicos. Portanto, todas as moléculas orgânicas contêm carbono, porém nem todas as moléculas que tem carbono, são moléculas orgânicas.[1]

A etimologia da palavra "orgânico" significa que procede de "organos", relacionada com a vida, em oposição ao inorgânico que teria o significado de tudo que carece de vida.

Síntese de Wohler

Para os químicos antigos, as substâncias orgânicas eram provenientes de fontes animais ou vegetais, e as substâncias inorgânicas seriam aquelas de procedência mineral. Durante muitos anos acreditava-se que entre a química orgânica e a química inorgância existia uma barreira intransponível. No princípio do século XIX, o químico alemão Friedrich A. Wöhler conseguiu sintetizar a ureia, um produto orgânico, a partir de substâncias inorgânicas (o cianato de amônio),[1] comprovando que tal divisão era totalmente artificial, algo que é completamente evidente na química moderna.da

ver também[editar | editar código-fonte]

Química A Wikipédia possui o:
Portal de Química

Referências

  1. a b c d Júlio César Lima Lira. Síntese Orgânica InfoEscola. Página visitada em 06 de julho de 2013.
  2. a b c Líria Alves. [1] (em português) R7. Brasil Escola. Página visitada em 06 de agosto de 2013.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Francis A. Carey. Química Orgânica - Vol. 1 McGraw Hill Brasil. ISBN 8-580-55053-X


Ícone de esboço Este artigo sobre Química é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.