Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde janeiro de 2013).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
CELAC
Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos

Localização

Países da CELAC
Capital Caracas
Língua oficial Espanhol, português, francês.
Governo Presidente pre-tempore
 - Chile Sebastián Piñera

A Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (em espanhol: Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños; em francês: Communauté des États latin-américains et caraïbéens), é um organismo internacional, herdeiro do Grupo do Rio e da Calc, a Cúpula da América Latina e Caribe[1] sobre Integração e Desenvolvimento[2] . Foi criado na terça-feira 23 de fevereiro de 2010 em seção da Cúpula da Unidade da América Latina e Caribe, na cidade de Playa del Carmen, Quintana Roo, México. Só Honduras ficou fora, já que diversos países presentes, incluindo o Brasil, não reconhecem o governo eleito após o golpe contra Manuel Zelaya, em junho de 2009.

Segundo o presidente do México, Felipe Calderón, o anfitrião do encontro em que foi criado a comunidade, o objetivo do novo organismo é projetar globalmente a região, em temas como o respeito ao direito internacional, a igualdade entre Estados, o respeito aos direitos humanos e a cooperação. Além disso, é consenso entre os líderes que a criaram que a comunidade deverá trabalhar sobre a base da solidariedade, da inclusão social e da complementaridade.

A despeito das limitações da OEA, a Organização dos Estados Americanos, no que tange à resolução de disputas regionais, há divergências entre as lideranças presentes a respeito do potencial da nova comunidade em substituir a OEA.

A sua primeira reunião de cúpula aconteceu em Caracas, capital da Venezuela, entre os dias 1 e 4 de dezembro de 2011[3] [4] .

Membros[editar | editar código-fonte]

A CELAC tem presentemente 33 estados-membros, com cinco línguas oficiais:

Dezoito hispanófonos (56% da área, 63% da população)

Doze anglófonos (1,3% da área, 1,1% da população):

Um lusófono (42% da área, 34% da população):

Um francófono (0,1% da área, 1,6% da população):

Um neerlandófono (0,8% da área, 0,1% da população):

Os doze membros da América do Sul contam com 87% da área e 68% da população total da CELAC.

Lógica[editar | editar código-fonte]

Em 23 de fevereiro de 2010, líderes latino-americanos na Cimeira 23 grupo Rio Playa del Carmen, Quintana Roo, México, formaram uma organização de países latino-americanos. Uma vez que sua carta foi desenvolvida, o grupo foi criado formalmente em julho de 2011, numa cimeira em Caracas. O bloco é o principal fórum para o diálogo político para a área, sem o Estados Unidos ou Canadá. [5] [6]

Segundo Raúl Zibechi, do Jornal de ' La Jornada ' de centro-esquerda do México: "A criação da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos é parte de uma mudança global e continental, caracterizada pelo declínio da hegemonia Estados Unidos e o surgimento de um grupo de blocos regionais que fazem parte do novo saldo global".[7]

Cúpulas[editar | editar código-fonte]

Representantes das nações integrantes da Celac no teatro Teresa Carreño, de Caracas, na abertura da primera cúpula dessa organização em 2011.

A Cimeira inaugural do CELAC foi realizada em dezembro de 2011, na Venezuela. A cúpula foi realizada entre 2 e 3 de dezembro de 2011, em Caracas.

As duas próximas cúpulas estão programadas para serem realizadas no Chile, em 2012, e em Cuba, em 2013. [8]

Lista de Cúpulas da CELAC
Cúpula Ano Cidade País-sede
CALC 2010 Playa del Carmen  México
I Cúpula da CELAC 2011 Caracas  Venezuela
I Cúpula da CELAC-UE 2013 Santiago  Chile

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]