Conclave de outubro de 1978

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Conclave de outubro de 1978
Papa João Paulo II
Data e localização
Pessoas-chave
Decano Carlo Confalonieri
Vice-Decano Paolo Marella
Camerlengo Jean-Marie Villot
Protodiácono Pericle Felici
Eleição
Eleito Papa João Paulo II (Karol Józef Wojtyła)
Participantes 111
Escrutínios 8
Cronologia
Último
Último
Conclave de agosto de 1978
Conclave de 2005
Próximo
Próximo

O conclave de outubro de 1978 foi convocado após a morte do Papa João Paulo I (o papa sorriso), ocorrida após tão somente 33 dias de sua surpreendente eleição. Pouco mais de dois meses após reunir-se para definir o sucessor de Paulo VI, todos os cardeais com menos de 80 anos de idade tiveram de se encerrar na Capela Sistina e de lá não sair até que um novo pontífice fosse escolhido.

As tendências demonstradas neste conclave – até mesmo pelo curto espaço de tempo – não divergiram muito daquelas apontadas do conclave anterior. Entre os papabile, outra vez destacava-se a figura do cardeal ultraconservador Giuseppe Siri, o candidato preferido da Cúria Romana, o corpo burocrático do Vaticano.

A disputa de Siri com o liberal Giovanni Benelli, arcebispo de Florença, não tardou a evidenciar-se para os demais cardeais, em especial os europeus não-italianos e os norte-americanos, que acabariam elegendo o polonês Karol Wojtyła – então arcebispo de Cracóvia –, que tomaria o nome de João Paulo II, embora durante uma das primeiras votações, Benelli tenha ficado a apenas oito votos do pontificado. Em 16 de outubro de 1978, o cardeal Pericle Felici foi encarregado do anúncio tradicional, seguido da aparição pessoal do eleito:

Annuntio vobis gaudium magnum: (Anuncio-vos com grande alegria)
Habemus Papam! (Já temos o papa!)
Eminentissimum ac Reverendissimum Dominum (O Eminentíssimo e Reverendíssimo Senhor)
Dominum Carolum (Dom Carlos (Karol)
Sanctæ Romanæ Ecclesiæ Cardinalem Wojtyla (Cardeal da Santa Igreja Romana, Wojtyla)
Qui sibi nomen imposuit (Que adotou o nome)
Ioannis Pauli (de João Paulo II)

Eleição para o papado[editar | editar código-fonte]

O recém-eleito Papa João Paulo II na varanda.

Em agosto de 1978, após a morte de papa Paulo VI, o Cardeal Wojtyła votou no conclave papal que elegeu papa João Paulo I. João Paulo I morreu após somente 33 dias como Papa, precipitando assim um outro conclave.[1] [2] [3]

O segundo conclave de 1978 começou em 14 de outubro, dez dias após o funeral do papa João Paulo I. Foi dividido entre dois fortes candidatos ao papado: Cardeal Giuseppe Siri, o conservador Arcebispo de Gênova, e o liberal Arcebispo de Florença, Cardeal Giovanni Benelli, um colaborador próximo de João Paulo I.[3]

Os defensores da Benelli estavam confiantes de que ele seria eleito, e no início da votação, Benelli estava com nove votos.[3] Entretanto, a magnitude da oposição a ambos significava que possivelmente nenhum deles receberia os votos necessários para ser eleito, e o Cardeal Franz König, Arcebispo de Viena, individualmente sugeriu a seus colegas eleitores um candidato de compromisso: o Cardeal polonês, Karol Józef Wojtyła, que aos 58 anos foi considerado jovem pelos padrões papais.[3] finalmente ganhou a eleição na oitava votação no segundo dia, de acordo com a imprensa italiana, com 99 votos dos 111 eleitores participantes. Em seguida, ele escolheu o nome de João Paulo II[2] [3] em homenagem ao seu antecessor, e a tradicional fumaça branca informou a multidão reunida na Praça de São Pedro, que um papa havia sido escolhido.[4] Ele aceitou sua eleição com essas palavras: ‘Com obediência na fé em Cristo, meu Senhor, e com confiança na Mãe de Cristo e da Igreja, apesar das grandes dificuldades, eu aceito.’[5] [6] Quando o novo pontífice apareceu na varanda, ele quebrou a tradição, dizendo a multidão reunida:[5]

Wojtyła tornou-se o 264 º papa de acordo com a ordem cronológica lista dos Papas e o primeiro papa não-italiano em 455 anos.[8] Com apenas 58 anos de idade, ele foi o mais jovem papa eleito desde Pio IX em 1846, que tinha 54 anos.[2] Assim como seu antecessor imediato, João Paulo II dispensou a tradicional coroação papal e, em vez disso, recebeu a investidura eclesiástica que simplificou a cerimônia de posse papal, em 23 de outubro de 1978. Durante a sua posse, quando os cardeais estavam a ajoelhar-se diante dele para tomar seus votos e beijar o Anel do Pescador, ele levantou-se quando o prelado polonês, Cardeal Stefan Wyszyński, ajoelhou-se, interrompeu-o e simplesmente deu-lhe um abraço.[9]

Referências

  1. His Holiness John Paul II : Short Biography Sala de Imprensa da Santa Sé (30 de junho de 2005). Visitado em 1 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  2. a b c His Holiness John Paul II, Biography, Pre-Pontificate Santa Sé. Visitado em 1 de janeiro de 2008. Cópia arquivada em 14 de março de 2014.
  3. a b c d e A "Foreign" Pope Time magazine (30 de outubro de 1978). Visitado em 1 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 15 de agosto de 2007.
  4. A "Foreign" Pope Time magazine p. 1. (30 de outubro de 1978). Visitado em 1 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 4 de novembro de 2007.
  5. a b c Stourton, Edward. In: Edward. John Paul II: Man of History. London: Hodder & Stoughton, 2006. p. 171. ISBN 0340908165.
  6. New Pope Announced BBC News. Visitado em 1 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 17 de abril de 2005.
  7. Bottum, Joseph (18 de abril de 2005). John Paul the Great Weekly Standard p. 1–2.. Visitado em 1 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 9 de abril de 2005.
  8. 1978 Year in Review: The Election of Pope John Paul II Upi.com. Visitado em 8 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 28 de março de 2009.
  9. Events in the Pontificate of John Paul II (30 de junho de 2005). Visitado em 1 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 17 de maio de 2014.