Concordância nominal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde novembro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Concordância nominal tem que ter concordância e consiste na adaptação de uns nomes aos outros, harmonizando-se nas suas flexões com as palavras de que dependem. A concordância nominal se dá pela relação entre um substantivo, pronome ou mesmo numeral substantivo e as demais palavras que a eles se ligam para caracterizá-los - sejam artigos, pronomes adjetivos, numerais adjetivos.

Em geral pode-se dizer que artigo, o adjetivo e o numeral devem concordar em gênero (masculino/feminino) e número (singular/plural) com o substantivo a que se refere.

Adjetivos antepostos aos substantivos concordam com o mais próximo, porém se exerce a função de predicativo pode concordar de duas maneiras: com o mais próximo ou ir para o plural. No caso do adjetivo vir após vários substantivos a concordância já muda, pois se os substantivos forem do mesmo gênero há duas possibilidades: ir para o plural ou assumir o gênero do substantivo.


Leia a frase abaixo e observe as inadequações:

  • Aqueles dois meninos estudioso leram livros antigo.

Note que as inadequações referem-se aos desajustes entre as palavras que a constituem.

Para que a frase concorde, adequadamente, entre todos os termos, é necessário:

  • Aquele concordar com a palavra dois;
  • Estudioso concordar com meninos;
  • Antigo concordar com livros.

Fazendo-se os ajustes necessários a frase ficará assim:

  • Aqueles dois meninos estudiosos leram os livros antigos


Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.