Condeúba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Condeúba
Bandeira de Condeúba
Brasão de Condeúba
Bandeira Brasão
Hino
Fundação Não disponível
Gentílico condeubense
Prefeito(a) José Augusto Ribeiro (Guto) (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Condeúba
Localização de Condeúba na Bahia
Condeúba está localizado em: Brasil
Condeúba
Localização de Condeúba no Brasil
14° 53' 42" S 41° 58' 08" O14° 53' 42" S 41° 58' 08" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Centro-Sul Baiano IBGE/2008[1]
Microrregião Brumado IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Guajeru, Cordeiros, Presidente Jânio Quadros, Jacaraci, Mortugaba, São João do Paraíso (Minas Gerais)
Distância até a capital 660 km
Características geográficas
Área 1 236,889 km² [2]
População 16 888 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 13,65 hab./km²
Altitude 1000 m
Clima Semi-árido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,582 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 57 810,083 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 400,59 IBGE/2008[5]
Página oficial

Condeúba é um município brasileiro do estado da Bahia, com população estimada, em 2006, de 18.156 habitantes, conforme IBGE.

História[editar | editar código-fonte]

Condeúba foi fundada pelo desbravador João Gonçalves da Costa em 1805, numa grande fazenda onde foi construída uma capela que em 30 de junho de 1745 foi benta pelo visitador geral Dom João Vasconcelos Pereira, fiscal da freguesia de Nossa Senhora do Rio Pardo, do Estado de Minas Gerais.

O distrito foi criado pela lei provincial nº 413, de 19 de maio de 1851, e o município com a denominação de Santo Antônio da Barra e território desmembrado do de Caetité, pela lei provincial nº 809, de 11 de junho de 1860, ocorrendo sua instalação em 14 de maio do ano seguinte.

À sede municipal foram concedidos foros de cidade por força da Lei provincial nº 2673, de 28 de junho de 1889, que também alterou o topônimo do Município e o do distrito sede para Condeúba.

Diz-se a “Memória Descritiva do Município de Condeúba” que no início do século XVIII, os habitantes da Fazenda Serra Talhada mandaram construir no pequeno povoado uma capela denominada Santo Antônio da Barra do Sítio de Condeúba, a margem direta do Rio Gavião em homenagem a Santo Antônio. A mesma foi abençoada em 30 de junho de 1745 pelo Padre João de Vasconcelos Pereira, da freguesia de Nossa Senhora do Rio Pardo. Estando a capela destruída, foi demolida e construída outra maior no ano de 1765.

A povoação crescera e pela Lei nº 809, de 11 de junho de 1860, foi elevada a categoria de vila. Em 14 de maio de 1861, o município se desmembrara do de Caetité com a denominação de Villa de Santo Antônio da Barra, conforme Auto de instalação assinado pelo presidente da Câmara de Caetité, Senhor José Antônio Pimenta e o secretário da mesma, Senhor José Lycerio do Rego juntamente com os vereadores: Vigário Belarmino Silvestre Torres, Padre Antônio Joaquim Moreira, Antônio Francisco Torres, Bento Joaquim Simões, José Marinho de Castro, Theotonio Soares Barbalho e outros.

Em 1889, o Doutor Deocleciano Pires Teixeira assinou a propostas que elevou a vila à categoria de cidade com a denominação de Condeúba, palavra de origem Tupi, que significa Pau de Candeia.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Municípios limítrofes[editar | editar código-fonte]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município tem um potencial turístico a ser explorado, com suas nascentes e cachoeiras, situados próximo à região do Morro do Chapéu, região montanhosa, onde localiza várias nascentes: Areal, Jacaré e com destaque a nascente do rio Condeúba, que passa por várias comunidades e deságua na Barragem do Champrão, pertencente ao DNOCS - Departamento Nacional de Obras Contra a Seca, a barragem que abastece com água potável os municípios de Condeúba e Cordeiros

Administração[editar | editar código-fonte]

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 de dezembro de 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 24 de agosto de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 de dezembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]