Conde (Bahia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão. (desde março de 2010)
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Município de Conde
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 10 de Agosto
Fundação 1935 (79 anos)
Gentílico condense
Lema a capital da linha verde
Prefeito(a) Marly Leal (Marly Madeirol) (PTN)
(2013–2016)
Localização
Localização de Conde
Localização de Conde na Bahia
Conde está localizado em: Brasil
Conde
Localização de Conde no Brasil
11° 48' 50" S 37° 36' 39" O11° 48' 50" S 37° 36' 39" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Nordeste Baiano IBGE/2008[1]
Microrregião Entre Rios IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Esplanada, Jandaíra e Rio Real
Distância até a capital 187 km
Características geográficas
Área 964,637 km² [2]
População 25 714 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 26,66 hab./km²
Altitude 12 m
Clima Úmido a subúmido e úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,560 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 86 555,929 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 774,95 IBGE/2008[5]
Página oficial

Conde é um município brasileiro do estado da Bahia. Localiza-se a uma latitude 11º48'49" sul e a uma longitude 37º36'38" oeste, estando a uma altitude de 12 metros. Sua população estimada em 2013 era de 25 724 habitantes. Possui uma área de 954,452 km².

História[editar | editar código-fonte]

Os selvagens índios da tribo Tupinambás foram os primeiros habitantes de Conde em terras que os jesuítas haviam adquirido através da concessão de Garcia D’ávila, em 1650. Colonos portugueses e outros, atraídos pela fertilidade das terras, fizeram residência no local onde se criava o então povoado de Itapicuru de Baixo. Em 1702, foi elevado à categoria de Freguesia com a construção da Igreja de Nossa Senhora do Monte de Itapicuru da Praia. Em 17 de dezembro de 1806, através de requerimento assinado pelo povo, foi elevada a Vila pelo ouvidor Navarro, com a denominação de Conde, em cumprimento à ordem do “Conde dos Arcos” de cujo título surgiu a denominação. Assim, o município da Vila do Conde teve os seus órgãos competentes criados e passou por diversas fases de desenvolvimento alcançando a República e aderindo a ela. Até 1912, a sede da Vila e município permaneceu no mesmo local de sua criação. Porém, uma enorme enchente do rio Itapicuru que corta até hoje a cidade, destruiu e devastou a sua economia. Em 10 de junho do mesmo ano, a sede do município, por força da Lei Estadual Nº 889 foi transferida para o Arraial de Esplanada. Passaram-se alguns anos e o povo do Conde tomou consciência do absurdo dessa submissão, visto que a frente econômica maior era do Conde e Esplanada usufruiu de todos os direitos. Depois de muita luta e até mesmo levante que resultou na morte do condense Minervino do Carmo, o município de Conde foi considerado como território desmembrado e livre de Esplanada. Quando o Conde era subordinado a Esplanada o seu primeiro Intendente foi o Coronel Joaquim Macêdo (Quimquim) ceceado em Esplanada. O Dr. Alcides Brito queria se reeleger mais não admitia a independência de Conde. O movimento emancipacionista cresceu através de figuras como o Sr. Lamberto Pinto que se incumbira de preparar o documento oficial. Outro líder importante foi o alfaiate Minervino do Carmo que junto a Rodolfo Lins, da histórica fazenda São Bento, Antônio Castro, Alímpio Costa, Euclides Valença, entre outros, conseguiram tornar o Conde livre. Na ocasião o governador da Bahia, Juraci Magalhães, por intermédio do jornalista e deputado Dr. Altamirando Requião, nomeou Hermógenes Gomes Nascimento como primeiro prefeito de Conde. Daí então o fato do Sr. Alcides Brito, contragosto, ter sido obrigado a confirmar a emancipação e com a morte de Minervino do Carmo, o Conde foi desmembrado de Esplanada em 10 de agosto de 1935. O município está localizado no Litoral Norte da Bahia e é banhado em toda a sua extensão pelo Oceano Atlântico. O Conde limita-se ao Norte com Jandaíra e Rio Real; ao Sul, com o Rio Inhambupe; ao Leste com o Oceano Atlântico e ao Oeste com Esplanada. A cidade tem uma distância de Salvador, em linha reta, de 151Km e pela BR-101 de 203Km. A população atual é de aproximadamente de 23.576 habitantes e sua base econômica principal é o turismo, a cultura do coco da Bahia e a pecuária.

Hino[editar | editar código-fonte]

És chama ardente que não se apaga
E no litoral do norte da Bahia
Despontas, Conde, como bela plaga,
Sempre cortejada qual nobre rainha.

Os tupinambás tribo bem antiga,
Pelos jesuítas foram educados,
Na terra de barões, de gente muito antiga,
De povo alegre, destemido e enamorado.

Rios e lagoas, belos coqueirais,
Praias formosas, lindos recantos,
Históricos lugares, vastos manguezais,
São bases fortes de todos teus encantos. (bis)
Lamberto pinto e outros batalharam,
Lutando bravos pela emancipação
De Minervino e sangue derramaram
E o 10 de agosto marcou a redenção.

De nomes importantes, Conde, és celeiro:
Severino Vieira foi seu filho mais notável,
Tornou-se um grande vulto brasileiro
Fazendo do Conde uma terra memorável.

Rios e lagoas, belos coqueirais,
Praias formosas, lindos recantos,
Históricos lugares, vastos manguezais,
São bases fortes de todos teus encantos. (Bis)
Letra: Jarbas carvalho de Oliveira

Turismo[editar | editar código-fonte]

Conde concentra diversas atrações que fazem a alegria de nativos e visitantes. Dentre elas estão as diversas praias, rios, cachoeiras, dunas e construções históricas. Depois de ter acesso a esta lista, o turista já não sabe mais qual atrativo do município irá visitar primeiro.

Escorregar nas areias finas do Cavalo Russo, uma duna com aproximadamente 30 metros de altura, é uma brincadeira que encanta pessoas de todas as idades. Utilizando um prancha, o praticante deve subir até topo da duna, respirar um pouco de ar puro e descer a toda velocidade até encontrar, no final do areal, as águas frias e calmas do rio Piranji.

Dentre as praias, há um destaque maior para a dos Artistas (também conhecida como Corre Nu) por ficar mais próxima do famoso Sitio do Conde, além de esbanjar um mar de ondas fracas e águas cristalinas, envolto pela natureza. Lá, o turista encontrará barracas e quiosques, que vendem água de coco, cerveja gelada e deliciosos tira-gostos de frutos do mar.

O Sítio do Conde é um dos pontos mais procurados por concentrar a maioria das pousadas locais e uma grande infra-estrutura turística. Ele fica a 6km da sede do Conde e a 9km da Linha Verde, com acesso totalmente asfaltado.

Por se tratar de uma antiga vila de pescadores, o ambiente deste lugarejo mistura uma rusticidade e sofisticação que encanta o visitante.

Como chegar

Está a 162km de Salvador, sair de Salvador, pela Avenida Luis Viana Filho, mais conhecida como Avenida Paralela, e seguir pela Estrada do Coco, em seguida, pela Linha Verde até a entrada do Conde. Daí são mais 6km, até o Sítio.

Praias[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2013. Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (01 de julho de 2013). Página visitada em 30 de outubro de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.