Condutor neutro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Condutor neutro, num circuito elétrico ou sistema elétrico, é elemento de circuito ou de sistema, de qualquer forma ou natureza, que apresenta, em regime permanente, tanto corrente elétrica como diferença de potencial elétrico nulos por definição de projeto, embora possa vir a ser condutor ativo, com corrente e tensão não nulos.

Princípios[editar | editar código-fonte]

Condutor neutro pode haver em circuitos ou sistemas de corrente contínua ou de corrente alternada (estes, monofásicos ou polifásicos), em regime permanente ou em regime transitório, bem como em combinações dos casos anteiores.

Corrente contínua[editar | editar código-fonte]

Sistemas elétricos de corrente contínua podem ser concebidos em configurações tais que contenham um condutor neutro. Tais, por exemplo, são os clássicos sistemas de distribuição urbana de energia elétrica dos primórdios da era da eletricidade, como, por exemplo, o sistema Edison [A=+120, N=0, B=–120] volts em corrente contínua, que permitiam suprimento tanto em 120 volts (a utilidade elétrica ligada em [A,N] ou em [B,N], com ou sem inversão) como em 240 volts (a utilidade elétrica ligada em [A,B], com ou sem inversão).

Corrente alternada[editar | editar código-fonte]

Circuito polifásico com topologia estrela ou mesmo topologia poligonal, aquele condutor ativo a priori, porém concebido/destinado a não-condução em estado de perfeito equilibrio polifásico, também dita simetria polifásica: se todas as fases são igualmente carregadas (tanto em módulo como em ângulo), em regime permanente, então dar-se-á neutralidade do condutor neutro. Doutra sorte, em regimes não-permanentes (os transitórios, de manobra, de intemperismos etc.), não se podem considerar neutros no sentido de que "corrente não lhes haja", nem de que "seu potencial seja igual ao potencial de Terra", flutuante ou pleno).

Em corrente trifásica, essa condição de neutralidade com fluxo nulo no condutor neutro é alcançada desde que os carregamentos das fases sejam iguais em módulo e iguais entre si em ângulo, cujo valor é de 120 graus. Qualquer desvio dessa condição, quer em módulo, quer em ângulo, dará origem a uma assimetria (desequilíbrio) fasorial e, em consequência, uma corrente de neutro não nula surgirá, como resultante das composições fasoriais das fases.

Ver condutor terra;

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Eletricidade é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.