Cone (célula)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A estrutura celular da retina. À direita, 1 cone entre dois grupos de bastonetes

Cones são as células do olho dos animais que tem a capacidade de reconhecer as cores, segundo a teoria tricromática (teoria de Young-Helmholtz). Já os bastonetes, outro tipo de célula dos olhos, tem a capacidade de reconhecer a luminosidade. Existem aproximadamente 6 milhões de cones em cada olho humano concentrados na região fóvea. Sendo estes os responsáveis pela percepção das cores, quando existe uma anomalia ou ausência de algum dos fotopigmentos nas terminações dos cones estamos na presença do daltonismo.

Tipos[editar | editar código-fonte]

Os seres humanos normalmente têm três tipos de cones. O primeiro responde à luz de comprimentos de onda longos, chegando a uma cor vermelha, este tipo é, por vezes designada L (Long). O segundo tipo responde à luz de comprimento de onda médio, atingindo um máximo de uma cor verde, e é abreviado M (Medium) para médio. O terceiro tipo responde mais a curto comprimento de onda de luz, de cor azulada, e é designado S (Short). Os três tipos têm comprimentos de onda de pico perto 564-580 nm, 534-545 nm e 420-440 nm, respectivamente. [8] [9] A diferença entre os sinais recebidos a partir dos três tipos de cone permite que o cérebro a perceber todas as cores possíveis , através do processo oponente da visão de cores. (Células Rod tem uma sensibilidade de pico em 498 nm, aproximadamente a meio caminho entre as sensibilidades de pico dos cones S e M). A cor amarela, por exemplo, é percebida quando os cones L são estimulados um pouco mais do que os cones M, ea cor vermelha é percebido quando os cones L são estimulados significativamente mais do que os cones M. Da mesma forma, tons de azul e violeta são percebidos quando o receptor é estimulado S mais do que os outros dois. Os cones S são mais sensíveis à luz em comprimentos de onda em torno de 420 nm. No entanto, a lente e córnea do olho humano estão cada vez mais absorção para comprimentos de onda menores, e isso define o limite inferior de comprimento de onda da luz visível humanos para cerca de 380 nm, que é, portanto, chamado de luz 'ultravioleta'. Pessoas com afacia, uma condição onde o olho não tem uma lente, às vezes relatam a capacidade de ver na faixa do ultravioleta. [10] Em níveis moderados a luz brilhante, onde a função de cones, o olho é mais sensível à luz verde-amarelada do que outros cores porque isso estimula as duas mais comuns (M e L) dos três tipos de cones quase igualmente. Em níveis mais baixos de luz, onde só a vara função das células, a sensibilidade é maior no comprimento de onda verde-azulado.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Histologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.