Confissões de uma Máscara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Confissões de uma máscara (仮面の告白 Kamen no Kokuhaku) foi escrito pelo autor japonês Yukio Mishima e publicado pela primeira vez em 1948.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Suave e desprendidamente oriental, a sensação, ao ler esta obra-prima, é a de sobrevoar cenários envoltos em neblina habitados por personagens misteriosos pintados em desmaiadas cores de aguarelas japonesas.

Mas também é um livro profundo, rico e emocionalmente tocante, que nos leva a comparar as nossas próprias experiências de vida com as do personagem principal - qual era mesmo o nome? seria Yukio? será esta uma novel autobiográfica? - tal como quando ele se apaixona (platonicamente) pela primeira vez com Omi, um colega de escola mais velho e bem musculado. Ou quando ele se força a acreditar que se sente atraído por Sonoko, a irmã do seu melhor amigo, só por pensar (desejar?) que se a amar ficará "normal", sem sequer pensar por um segundo que a pode magoar.

Violento e sádico, descobre a masturbação e a ejaculação ao sonhar acordado com o São Sebastião de Guido Reni trespassado pelas setas. A partir daí acompanhará sempre este seu "mau vício" com pensamentos sobre belos homens nus sendo apunhalados ou morrendo, esvaidos em sangue dos ferimentos sofridos.

Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.