Confronto Indonésia-Malásia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Confronto da Indonésia-Malásia
Control of the island of Borneo.png
O controle da ilha de Bornéu, que é dividida entre a Indonésia, Malásia e Brunei, foi a principal questão por trás da guerra.
Data 1962–1966
Local Península Malaia, Bornéu
Desfecho * Suharto, substituiu Sukarno como o Comandante Supremo das Forças Armadas Indonésias
  • A normalização das relações diplomáticas
  • A Indonésia aceita a formação da Malásia
  • Tratado de Paz
Combatentes
 Malásia
 Reino Unido
 Austrália
 Nova Zelândia
Indonésia Indonésia
Principais líderes
Malásia Tunku Abdul Rahman
(political)
Reino Unido Walter Walker
(military)
Indonésia Sukarno
Indonésia Omar Dani
Indonésia Maraden Panggabean
Vítimas
114 mortos
181 feridos
590 mortos
222 feridos

O confronto da Indonésia-Malásia (também conhecido como Konfrontasi em indonésio e malaio) foi uma guerra não declarada sobre o futuro da ilha de Bornéu, entre a Malásia e a Indonésia com o apoio britânico entre 1962-1966. A origem do conflito está na tentativa da Indonésia para desestabilizar a nova Federação da Malásia, que surgiu em 1963. A Malásia ganhou independência da Grã-Bretanha em 1957 e seu líder, Tunku Abdul Rahman, foi a força motriz por trás da federação de Estados da Malásia, Sabah, Sarawak, Brunei, Singapura na Federação da Malásia.

Tratou-se da oposição política e armada da Indonésia para a criação da Malásia. No entanto, Sabah e Sarawak eram etnicamente, religiosamente e politicamente diversificadas e havia alguma oposição local de ingressar na Malásia que a Indonésia tentou explorar, com muito pouco sucesso. O terreno em Bornéu era desafiador e havia muito poucas estradas, ambos os lados contaram com operações de infantaria leve e transportes aéreos, embora os rios também fossem utilizados. Não havia quase nenhum recurso de poder aéreo ofensivo.

Ataques iniciais da Indonésia na Malásia Oriental dependiam muito de voluntários locais treinados pelo Exército indonésio. As principais forças militares de apoio aa Malásia eram britânicas e, inicialmente, suas atividades foram fundamentamente baixas. No entanto, os britânicos reagiram ao aumento da atividade da Indonésia, expandindo as suas próprias. Isto incluiu, a partir de 1965, as operações encobertas em Kalimantan indonésia sob o nome de código Operação Claret. Em 1965, houve várias operações da Indonésia na Malásia Ocidental, embora sem sucesso militar. Em agosto de 1966, após a ascensão do presidente indonésio Suharto ao poder, um acordo de paz, finalmente, entrou em vigor e a Indonésia aceitou a existência da Malásia.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Carver, Michael. 1986 'Conventional Warfare in the Nuclear Age' in Peter Paret (ed). The Makers of Modern Strategy: From Machiavelli to the Nuclear Age. Princeton: Princeton University Press.
  • Conboy, Ken. 2003. ‘’Kompassus – Inside Indonesia’s Special Forces’’. Jakarta: Equinox Publishing.
  • Dennis (et al.), Peter. 2008. The Oxford Companion to Australian Military History. Second Edition. South Melbourne: Oxford University Press, ISBN 9780195517842.
  • Doohan, J.T. 2004. '’Mud Sweat & Tears: An account of 24 Construction Squadron Royal Australian Engineer's Borneo tour of duty 1965, ISBN 0-646-43718-6.
  • Easter, D. 2004. Britain and the Confrontation with Indonesia, 1960–1966. London: I.B. Tauris. ISBN 1-85043-623-1.
  • Easter, D. "'Keep the Indonesian pot boiling': western covert intervention in Indonesia, October 1965–March 1966", Cold War History, Vol 5, No 1, February 2005.
  • Jones, M. 2002. Conflict and Confrontation in South East Asia, 1961–1965: Britain: the United States and the Creation of Malaysia. Cambridge: Cambridge University Press. ISBN 0-521-80111-7.
  • Mackie, J.A.C. 1974. Konfrontasi: The Indonesia-Malaysia Dispute 1963–1966. Kuala Lumpur: Oxford University Press (for the Australian Institute of International Affairs). ISBN 0-19-638247-5.
  • Pimlott, John, ed 1984, British Military Operations 1945-1985. London: Bison. ISBN 0-86124-147-9.
  • Pocock, Tom. 1973 Fighting General – The Public & Private Campaigns of General Sir Walter Walker. London: Collins. ISBN 0-00-211295-7.
  • Porritt, V.L. 2004. The Rise and Fall of Communism in Sarawak 1940–1990. Victoria: Monash Asia Institute. ISBN 1-876924-27-6.
  • Poulgrain, G. 1998. The Genesis of Konfrontasi: Malaysia, Brunei, Indonesia 1945–1965. London: C. Hurst & Co. ISBN 1-85065-510-3.
  • Reece, R.H.W. 1993. The Name of Brooke: The End of White Rajah Rule in Sarawak. Kuala Lumpur: Oxford University Press. ISBN 0-19-580474-0
  • Subritzky, J. 2000. Confronting Sukarno: British, American, Australian and New Zealand Diplomacy in the Malaysian-Indonesian Confrontation, 1961–1965. London, Palgrave. ISBN 0-312-22784-1.
  • Tuck, C. "Borneo 1963–66: Counter-insurgency Operations and War Termination", Small Wars and Insurgencies, Vol 15, No 3, Winter 2004.
  • van der Bijl, Nick. 2007. Confrontation, The War with Indonesia 1962—1966. Barnsley: Pen & Sword Military Press. ISBN 9781844155958
  • Anonymous. 1964. Gelora Konfrontasi Mengganjang Malaysia. Djakarta: Departemen Penerangan. (Contains Joint Statements of the Manila Agreements, Indonesian presidential decrees and all transcripts of Sukarno's public speeches from July 1963 to May 1964 pertaining the Konfrontasi)