Conjectura de Birch e Swinnerton-Dyer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Problemas do Prémio Millenium
P versus NP
Conjectura de Hodge
Conjectura de Poincaré (solução)
Hipótese de Riemann
Existência de Yang-Mills e intervalo de massa
Existência e suavidade de Navier-Stokes
Conjectura de Birch e Swinnerton-Dyer
 

A conjectura de Birch e Swinerton-Dyer foi enunciada em 1965 e estabelece uma condição para que uma curva algébrica plana, f(x,y) = 0, definida sobre os racionais — isto é, com os argumentos x,y∈ℚ—, tenha infinitos pontos racionais —isto é, (x,y) solução de f(x,y) = 0, com x,y∈ℚ—, como por exemplo a circunferência.[1]

Consequências da citada conjectura[editar | editar código-fonte]

A Conjectura de Birch-Swinnerton-Dyer está relacionada a outros dois problemas diofantinos famosos: o famoso problema fermatiano e a chamada Conjectura ABC [criada por David Masser e Joseph Oesterlé, em 1985].

Uma consequência da conjectura citada é a existência de um algoritmo para decidir se um dado número "n" é congruente ou não.

Referências

  1. Wiles, Andrew (2006). "The Birch and Swinnerton-Dyer conjecture". In Carlson, James; Jaffe, Arthur; Wiles, Andrew. The Millennium prize problems. American Mathematical Society. pp. 31–44. ISBN 978-0-8218-3679-8.