Conjunto Monumental de Hampi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Conjunto Monumental de Hampi *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Hampi-Old-And-New.jpg
Vista aérea de Hampi nova e de Hampi velha
País Índia
Critérios (i)(iii)(iv)UNIQ8eb776deeb7ea76f-nowiki-00000001-QINU1UNIQ8eb776deeb7ea76f-nowiki-00000002-QINU
Referência 241
Coordenadas 15° 18′ N 76° 28′ E(Karnataka, Índia)[1]
Histórico de inscrição
Inscrição 1986[1]   (? sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

Hampi (também conhecida por Cidade da Victória), a capital do Império Vijayanagara de 1336 a 1565, ocupa uma área de cerca de 26 quilómetros quadrados no vale do Tungabhadra, em Karnataka, Índia. Foi declarada Património Mundial da Unesco em 1986.[2]

Visitada já no século XV por italianos e persas, foi no século XVI visitada pelos portugueses Duarte Barbosa, Domingo Paes (este viajante português, que viveu em Hampi durante dois anos, descreve o monarca da altura - Krishnadeva Raya - como perfeito em todas as coisas) e Fernão Nunes. Todos eles deixaram relatos da grandiosidade e beleza de Hampi. No início do século XVI, um viajante persa - Abdur Razzak - deixou escrito que "a cidade era de tal modo grandiosa que os seus olhos nunca tinham visto nada parecido e que não tinha conhecimento de existir no mundo lugar como este".[2]

No "coração" de Hampi existem cerca de 350 templos. Existem também fortificações, um vasto e muito elaborado sistema de irrigação, esculturas, pinturas, estábulos, palácios, jardins, mercados,etc.[2]

Hampi é composto pelo "Centro Sagrado" (onde se localizam, entre outros, os templos de Vitthala, de Virupaksha, de Krishna e de Achyuta Raya, a estátua de Narasimha,...), pelo "Centro Real" (onde ficam o templo de Hazara Rama, o estábulo real dos elefantes[3] , os quartéis, o tanque dos degraus, o Palácio da Rainha,...) e os centros suburbanos.[2]

Em 1565 os sultões de Decão, alarmados com o crescimento e poder do Império de Vijayanagara, aliaram-se e derrotaram Rama Raya na batalha de Talikota. A capital foi ocupada e o império nunca mais recuperou.[2]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Referências