Conrado de Wittelsbach

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Conrado de Wittelsbach
Cardeal da Santa Igreja Romana
Deão do Sagrado Colégio dos Cardeais
Arcebispo de Mogúncia

Título

Cardeal-bispo de Sabina
Ordenação e Nomeação
Ordenação Episcopal 1163 ?
Nomeado Arcebispo maio de 1161
Cardinalato
Criação 1163, pelo Papa Alexandre III
Brasão
CardinalCoA PioM.svg
Dados Pessoais
Nascimento  Sacro Império Romano-Germânico
1120
Falecimento Sacro Império Romano-Germânico Neustadt an der Aisch
25 de outubro de 1200 (80 anos)[1]
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Conrado de Wittelsbach, em alemão: Konrad von Wittelsbach (1120 - 25 de outubro de 1200) foi um cardeal bávaro, Arcebispo de Mogúncia e Deão do Sagrado Colégio dos Cardeais.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era o quarto filho do Conde Palatino da Baviera Oto IV, conde de Wittelsbach-Scheyern e sua esposa Heilika von Pettendorf.[1] A sua formação inicial foi na escola da catedral de Salzburgo, mais tarde, estudou em Paris e em Bolonha.[1]

Eleito Arcebispo de Mainz em maio de 1161 e nomeado Arquichanceler da Germânia, mas em 1167, a famosa biblioteca e a antiga catedral de Mainz foram destruídas por um incêndio. Perseguido pelo imperador Frederico I Barbarossa, porque ele não tinha apoiado antipapa Vítor IV, procurou refúgio com o Papa Alexandre III em Sens.[1]

Foi criado cardeal-presbítero de São Marcelo no consistório de 1163, celebrado em Sens.[2] Ele acompanhou o Papa no final de novembro 1163 a Roma. Recebeu a consagração episcopal do Papa Alexandre III. Nomeado cardeal-bispo de Sabina, em 1163, mantendo a Sé de Mainz. Subscreveu bulas papais emitidas entre 18 de março de 1166 e 6 de agosto de 1177, entre 10 agosto de 1177 e 12 de abril de 1179 e 30 de abril e 5 de junho de 1182. Estabeleceu uma estreita amizade com o arcebispo Thomas Becket de Canterbury, futuro mártir e santo. Legado da Baviera, entre 1169-1171 e 1173-1177.[1]

De acordo com o contrato de Anagni, o cardeal Conrado renunciou em 1 de agosto de 1177, em Veneza, à arquidiocese de Mainz nas mãos do Papa Alexandre III, e em 9 de agosto, com base no artigo 12 da paz de Veneza, e de acordo com Imperador Frederico Barbarossa, o capítulo da catedral de Salzburgo escolheu o cardeal como seu arcebispo e o papa conferiu-lhe a legação de toda a Germânia, tendo o imperador investido-o imediatamente após a eleição pelo capítulo, e da confirmação pelo papa foi feito por um certificado de 14 de junho de 1178.[1] Nesse mesmo ano, ele realizou um sínodo provincial em Hohenau, ele construiu um mosteiro, onde o corpo de São Virgílio, apóstolo dos Carintianos e bispo de Salzburgo, foi exposto. Em homenagem ao seu amigo assassinado Arcebispo Becket de Canterbury, ele consagrou, em 17 de março de 1178, o restaurado "Felsenkapelle" nas catacumbas do cemitério de St. Peter, em Salzburgo, e também estabeleceu a primeira festa do padroeiro de São Tomás Becket no sul da Alemanha.[1]

Ele participou do Terceiro Concílio de Latrão, de 1179, que estabeleceu que para ser canonicamente eleito papa, o candidato teve que receber dois terços dos votos dos cardeais que participam do conclave. Por uma bula papal de 1179, ele e seus sucessores tiveram a dignidade e os poderes de um legado apostólico permanente (legatus natus) para a província eclesiástica de Salzburgo e a ele também foi concedido o direito de nomear os bispos de Gurk, um uso ampliado do pálio, o porte de uma cruz diante dele em procissões, e a montaria em um cavalo branco (palfrey) nos feriados santos.[1]

Tornou-se arcebispo de Mainz novamente em novembro de 1183, depois da paz de Veneza, entre o papa e o imperador, ele reviveu as visitações e celebrações dos sínodos (1184, 1188, 1194 e 1196) e favoreceu aos Agostinianos e Premonstratenses. Torna-se Decano do Colégio dos Cardeais em 1181.[1]

Legado na Hungria para reconciliar os dois irmãos do rei, Emérico e André. Embora fosse cardeal-bispo de Sabina, ele se tornou protopresbítero em 1196[3] . Em abril de 1197, ele liderou um exército da Terceira Cruzada à Terra Santa como legado do Papa Celestino III. Tomou parte na sucessão do rei de Antioquia, em 6 de janeiro de 1199, com a permissão papal, o cardeal Conrado coroou Leão II como rei da Armênia, no final daquele ano, ele voltou para a Germânia com novos poderes legatinos.[1]

Em abril de 1200, ele foi capaz de estabelecer uma trégua entre os Hohenstaufen e Guelfos na Germânia.[1]

Faleceu em 25 de outubro de 1200, retornando da Terra Santa, em Neustadt an der Aisch, sendo sepultado na Catedral de Mainz, que ele ajudou a reconstruir em 1167.[1]

Conclaves[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l The Cardinals of the Holy Roman Church
  2. De acordo com Cardella, Memorie storiche de' cardinali della Santa Romana Chiesa, 1792, I, pt. 2, 100; Eubel, Hierarchia Catholica Medii et Recientoris Aevi, I, p. 3, no, 3; e "Essai de liste générale des cardinaux. Les cardinaux du XIIè siècle". Annuaire Pontifical Catholique 1928, p. 43; Brixius, Die Mitglieder des Kardinalkollegiums von 1130-1181, p. 63, no. 14; e Ortner, Franz ; Jürgensmeier, Friedhelm. "Konrad von Wittelsbach (um 1130-1200)." Die Bischöfe des Heiligen Römischen Reiches, 1198 bis 1448, p. 397; e todas as fontes eletrônicas ligadas, dizem que ele foi promovido ao cardinalato em 18 de dezembro de 1165.
  3. De acordo com Francesco Cristofori, Cronotasi dei cardinali di Santa Romana Chiesa (Roma: Tipografia de Propaganda Fide, 1888), p. 277.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Rodolfo de Zähringen
Arcebispo
Arcebispo de Mogúncia

11611165
Sucedido por
Cristiano I de Mainz
Precedido por
Júlio
Cardeal
Cardeal-presbítero de São Marcelo

1163
Sucedido por
Mathieu d'Anjou
Precedido por
Gregorio della Suburra
Cardeal
Cardeal-bispo de Sabina

11631200
Sucedido por
João de São Paulo
Precedido por
Adalberto III da Boêmia
Arcebispo
Arcebispo de Salzburgo

11771183
Sucedido por
Adalberto III da Boêmia
Precedido por
Ubaldo Allucignoli
Cardeal
Deão do Sacro Colégio dos Cardeais

11811200
Sucedido por
Ottaviano Poli dei conti di Segni
Precedido por
Cristiano I de Mainz
Arcebispo
Arcebispo de Mogúncia

11831200
Sucedido por
Leopoldo II de Schönfeld