Conspiração (política)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gravura do século XVII representando os artesãos da Conspiração da pólvora.

Em política, conspiração é um entendimento secreto entre várias pessoas para organizar e realizar ações subversivas contra um poder político estabelecido.

Os objetivos de uma conspiração podem variar, assim como suas estratégias e meios. Falsos testemunhos e boatos (como no Complô Papista), sequestro (como na surpresa de Meaux, organizada em 1567 por Luís I de Bourbon-Condé, para sequestrar o rei da França, Carlos IX, e a família real), [1] atentados (como a Operação Charlotte Corday, organizada pelo CNR e pela Organisation armée secrète (OAS) visando assassinar o presidente Charles de Gaulle, em 22 de agosto de 1962),[2] assassinatos (como o de David Rizzio, confidente de Maria Stuart),[3] e golpes de Estado (como na Conjuração de Catilina, que visava a tomada do poder em Roma, em 63 a.C. pelo senador Lucius Sergius Catilina) estão entre os métodos mais notórios das conspirações conhecidas.

Referências

  1. Ver: Paz de Amboise põe fim à primeira guerra entre católicos e protestantes. Por Max Altman. Opera Mundi, 19 de março de 2011.
    Carlos IX (1550-1574).
    A reforma protestante e as primeiras guerras de religião na França.
  2. Ver Deux Généraux VII. Por Odilon Cabral Machado. Infonet, 26 de agosto de 2008.
  3. Um pouco sobre a história da Escócia: Maria Stuart, Rainha dos Escoceses. Por Tami Coelho Ocar. Laboratório de Arqueologia Pública Paulo Duarte - LAP (NEPAM/Unicamp), 20 de janeiro de 2013.


Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.