Contabilidade internacional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Contabilidade Internacional, do ponto de vista do Brasil, pode ser classificada em duas vertentes: a da contabilidade estadunidense, cujas regras principais são conhecidas por FAS, organizadas pela entidade civil FASB - The Financial Accounting Standards Board; e as regras de contabilidade organizadas por iniciativa da ONU.

Contabilidade estadunidense[editar | editar código-fonte]

A contabilidade estadunidense deve ser conhecida para fins de padronização com a contabilidade das corporações holdings daquele país, a serem seguidas pelas filiais no exterior, por exemplo. Também é exigida para o balanço (convertido em moeda estrangeira) das empresas de fora dos EUA que quiserem lançar títulos nas bolsas americanas. A SEC (órgão similar à CVM do Brasil), designou o FASB como responsável pela padronização contábil das companhias americanas.

Contabilidade baseada nos moldes da ONU[editar | editar código-fonte]

Já a contabilidade internacional baseada nos moldes descritos a seguir, busca uma padronização para todos os países da ONU.

Os princípios e regras de Contabilidade Internacional são detalhados nos pronunciamentos IAS, IFRS, SIC e IFRIC, que foram publicados pelo IASB (International Accounting Standards Board). As normas internacionais de contabilidade IAS / IFRS são publicadas em inglês que é a única versão oficial. A União Europeia realizou uma tradução livre para o português assim como para outros idiomas (Francês, Espanhol, Alemão etc.). Porém as traduções não são versões oficiais. O IASB e o IFRS estão em busca de uma convergência internacional com o FASB. Em 18 de setembro de 2002, em Norwalk (Connecticut), FASB e IASB se reuniram e divulgaram um "Memorando de Entendimento (Memorandum of Understanding)".[1]

Siglas inglesas importantes[editar | editar código-fonte]

  • IASC (International Accounting Standards Committee)
  • IASB (International Accounting Standards Board)
  • IAS (International Accounting Standard)
  • SIC (Standing Interpretations Committee)
  • IFRS (International Financial Reporting Standard)
  • IFRIC (International Financial Reporting Interpretations Committee)

Estrutura conceitual da contabilidade internacional[editar | editar código-fonte]

Os princípios fundamentais da estrutura conceptual da Contabilidade internacional estão definidos no texto chamado "Framework" em inglês ("Estrutura conceitual"). O texto não é uma norma internacional de contabilidade. Ele é uma descrição dos conceitos básicos que devem ser respeitados na preparação e apresentação das demonstrações financeiras internacionais. O texto define o espírito intrínseco das normas internacionais, a filosofia geral das normas e tem também como objetivo ajudar a diretoria do IASB no desenvolvimento e interpretação das normas internacionais de contabilidade, os usuários na elaboração das demonstrações financeiras e os auditores na formação de uma opinião de auditoria. Em caso de conflito entre qualquer norma internacional e o "framework", as exigências da norma internacional prevalecem sobre as do "framework".

Os principais conceitos apresentados na Estrutura conceitual são:

  • Os objetivos das demonstrações financeiras: dar informações sobre a posição financeira, os resultados, e as mudanças na posição financeira de uma entidade, que sejam úteis a um grande número de usuários (investidores, empregados, fornecedores, clientes, instituições financeiras ou governamentais, agências de notação e público) em suas tomadas de decisão.
  • Os pressupostos básicos: regime de competência e continuidade.
  • As características qualitativas das demonstrações financeiras: clareza, relevância, confiabilidade, comparabilidade, equilíbrio entre custo e beneficio na preparação das demonstrações financeiras.
  • Os elementos das demonstrações financeiras: o balanço patrimonial, a demonstração de resultado, a demonstração de fluxo de caixa, as notas e as divulgações incluindo informações por segmento de negócio.
  • Os critérios de reconhecimento dos ativos, passivos, receitas e despesas.
  • Os princípios de avaliação dos elementos das demonstrações financeiras: custo histórico, custo corrente, valor realizável e valor presente.

Referências

  1. Memorandum of Understanding, "The Norwalk Agreement" (PDF) Financial Accounting Standards Board and International Accounting Standards Board. Fasb.org (2002). Página visitada em 17 de março de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]