Conte Lopes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Roberval Conte Lopes Lima
Vereador por São Paulo - SP
Mandato 2013
Deputado estadual por  São Paulo
Mandato 1986 - 2010
Vida
Nascimento 14 de maio de 1947 (66 anos)
São Paulo,  São Paulo
Dados pessoais
Partido PTB
Profissão Capitão aposentado da ROTA
linkWP:PPO#Brasil

Roberval Conte Lopes Lima, (São Paulo, 14 de maio de 1947, é um político e ex-policial militar brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 1967 ingressa na PMESP (então Força Pública do Estado de São Paulo) na graduação de soldado, pouco tempo depois, tornou-se cabo por meio de aprovação em concurso próprio. Em 1970 é aprovado e ingressa no curso de formação de oficiais da PM da mesma corporação, graduando-se, ao final deste, como 2º tenente nas Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (ROTA).

Em 1977 é promovido por bravura ao posto de 1º tenente, após participações em operações policiais, em especial a que teve como desfecho o enfrentamento e morte do traficante de drogas "Carioquinha" (perseguido pelo assassinato de um policial civil pouco antes em 4 de maio de 1977).

Em 1978 graduou-se em Direito pelas Faculdades Integradas de Guarulhos, sendo promovido novamente ao posto de capitão, em 1980 e após salvar uma refém em um caso de sequestro na Vila Mariana, na cidade de São Paulo, torna-se o único caso de dupla promoção por bravura dentre os quadros de oficiais da PM de todo o Brasil, ostentando, em conjunto, a láurea de mérito pessoal em 1º grau.[1]

Em 1985, é afastado do policiamento de rua e colocado em serviço no hospital militar da PMESP para, logo após, eleger-se deputado estadual com 26.945 votos.

Em 1987 quando ainda na ativa policial, salvou a menina Tabatha (que originou o filme "O Caso Tabatha: o Bebê Refém") em Mogi das Cruzes, numa ação que resultou na morte dos sequestradores e numa ampla cobertura da mídia, em 1987.[2]

Já foi representante do governo paulista na condição de governador interino quando o governador Alberto Goldman e o Presidente da ALESP Barros Munhoz estiveram em viagem para fora de São Paulo em 2010[3]

Matar ou Morrer[editar | editar código-fonte]

É autor do livro "Matar ou Morrer", escrito em resposta a "Rota 66", do jornalista Caco Barcellos, que, por sua vez, faz um levantamento de dados sistemático e demonstra a brutalidade e ilegalidade das ações em que o tenente Conte esteve envolvido e, de acordo com Barcellos, com o apoio de alguns elementos da polícia civil e membros da justiça militar. O livro do tenente Conte deu, posteriormente, origem ao filme "Rota Comando", do diretor estreante Elias Júnior.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]