Contrafatual

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia
Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia

Definição[editar | editar código-fonte]

Em metafísica e em lógica modal contrafatual é a situação ou evento que não aconteceu, mas poderia ter acontecido. (A situação ou evento que aconteceu é chamada de atual.) Se diz que o evento contrafatual faz parte de um mundo possível, enquanto o evento atual faz parte do mundo atual.


Forma Lógica[editar | editar código-fonte]

“se fosse o caso que A, então seria o caso que B”

Num contrafatual, A e B são proposições e o antecedente necessariamente é falso em relação aos fatos de nosso mundo.


Exemplos[editar | editar código-fonte]

  • "Se a família real não tivesse vindo ao Brasil, então o território se desintegraria"
  • "Se o Império Britânico não tivesse sido forçado a entrar em guerra no verão de 1914, uma possível vitória do Império Alemão evitaria o surgimento da Alemanha Nazi em 1933." [1]
  • "Se Lionel Messi tivesse jogado no Manchester United na época de 2008-2009, teria sido colega de equipa de Cristiano Ronaldo." [2]


Histórico[editar | editar código-fonte]

Há metafísicas que aceitam contrafatuais e há metafísicas que não as aceitam. A metafísica de Spinoza, por exemplo, é necessitarista, o que significa que aceita como mundo possível apenas o mundo atual. Trata-se, pois, de uma espécie de atualismo. (Discussões acerca do necessitarismo têm impacto em discussões sobre ética, visto que a possibilidade da liberdade está em jogo.)

Saul Kripke utiliza experimentos mentais contrafatuais para estabelecer se um designador (um nome próprio ou uma descrição definida) é rígido ou não -- p.ex., em seus ataques ao descritivismo. Costuma-se defender que designadores rígidos preservam a referência em situações contrafatuais. Por exemplo, o nome próprio "Aristóteles" refere a Aristóteles, não importando se ele foi ou não aluno de Platão, e por isso é um designador rígido. A descrição definida "O discípulo mais famoso de Platão" refere a Aristóteles no mundo atual, e a alguma outra pessoa ou a nenhuma pessoa em outros mundos possíveis, e por isso não é um designador rígido.


História Contrafatual[editar | editar código-fonte]

A história contrafactual (do latim: contra facta = contra os fatos), chamada também de história virtual, é o resultado de um exercício mental científico, partindo de uma premissa (condição contrafactual ou ponto de divergência) para explorar - na base de fatos históricos ocorridos - as possíveis mudanças na história. Em comparação, a história alternativa é mais como uma fonte de ficção comparável com a literatura fantástica, ficção científica ou ficção especulativa (no que se denominam ucronias). A pergunta «O que teria acontecido se...?» é comum na história contrafactual sendo o ponto de partida para especulações históricas como (entre outros): O que teria acontecido se Alexandre, o Grande tivesse vivido mais tempo? O que teria acontecido se Adolf Hitler tivesse ganhado a Segunda Guerra Mundial? Alguns historiadores, tais como Niall Ferguson, têm promovido a história contrafactual como um método válido na ciência histórica, mas outros consideram a história contrafactual como produtora de meras especulações não-científicas.

Referências

  1. The Pity of War: Explaining World War I, Allen Lane/Penguin Press, 1998. ISBN 0 140275 23 1.
  2. http://blog.criticanarede.com/2012/04/raio-de-contrafactuais.html