Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE) é uma coligação eleitoral de partidos políticos em Angola.

Em sua primeira eleição, no ano de 2012, elegeu oito representantes para a Assembleia Nacional de Angola, conseguindo aproximadamente 6,00% dos votos. Seu cabeça de chapa foi Abel Chivukuvuku, que terminou em terceiro lugar na disputa pela presidência da república.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O enfraquecimento da UNITA, após a derrota eleitoral sofrida por esta nas urnas em 2008, criou um clima de insatisfação dentro do partido, causado principalmente pela liderança de Isaías Samakuva (mais afinado com os ideais de direita).[1]

As correntes de centro, aglomeradas sob a figura de Abel Chivukuvuku, almejavam mais espaço e uma condução ideológica mais pragmática no partido. Entretanto a ala de Samakuva mostrou-se resistente estas intenções.

Em 2012, esta situação levou à saída de destacados dirigentes, entre eles Chivukuvuku, que fundou uma nova coligação eleitoral, a CASA (Convergência Ampla de Salvação de Angola), que faria frente tanto a UNITA e FNLA, quanto ao MPLA. A CASA-CE uniu as seguintes agremiações partidárias: Partido de Aliança Livre de Maioria Angolana (PALMA), Partido de Apoio para Democracia e Desenvolvimento de Angola – Aliança Patriótica (PADDA-AP), Partido Pacífico Angolano (PPA) e Partido Nacional de Salvação de Angola (PNSA).[2]

Na eleição de 2012 a CASA teve um destacado resultado, alcançando aproximadamente 6,00% dos votos. Este resultado deu a coligação oito cadeiras no parlamento, além de um surpreendente terceiro lugar na corrida presidencial.

Em maio de 2013 a coligação realizou seu primeiro congresso, onde esperava-se que a CASA-CE fosse transformada em um partido político, entretanto isto não ocorreu. No mesmo congresso a CASA-CE definiu-se como de centro-esquerda, com uma ideologia federalista e social-democrata. Segundo o comunicado oficial da coligação á imprensa, a CASA-CE tem os seguintes valores: "Unidade na Diversidade, a Paz, a Reconciliação Nacional, a Estabilidade, a Solidariedade, a Democracia, e o Desenvolvimento Económico Sustentado, Humano e Equilibrado."[3]

Referências

  1. JUSTINO, Jofre. A actual UNITA traiu o espírito de Muangai. Maputo, 2006
  2. Tribunal Constitucional extingue 67 Partidos Políticos - ANGOP
  3. CASA-CE afirma-se de centro-esquerda - O País Online