Cooperativa Cresol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cooperativas Cresol
Cresol logo.jpg
Slogan Juntos Somos Fortes
Tipo Cooperativa
Indústria Cooperativa de Crédito Rural
Fundação 1995
Sede Francisco Beltrão, PR, Brasil
Produtos Serviços financeiros
Página oficial www.cresol.com.br

A Cooperativa Central de Crédito Rural com Interação Solidária – Central Cresol Baser é uma das cooperativas centrais do Sistema Cresol. Estão filiadas a ela as cooperativas Cresol do Paraná e parte das cooperativas de Santa Catarina, com expansão para os estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Mato Grosso e São Paulo. Os associados das cooperativas Cresol são exclusivamente, agricultores familiares. São eles os responsáveis pela gestão das cooperativas, garantindo assim o controle social. Mesmo com a expansão e crescimento das cooperativas, a está nas mãos dos agricultores.

História[editar | editar código-fonte]

Sede da Central Cresol Baser.

O Sistema Cresol de Cooperativas de Crédito Rural com Interação Solidária é resultado da luta de famílias agricultoras por acesso ao crédito e pela participação, como sujeitos, num projeto de desenvolvimento local sustentável. No final da década de 1980, as dificuldades de acesso ao crédito rural, a necessidade de financiar experiências alternativas da agricultura e a luta dos assentados da reforma agrária nas regiões Sudoeste e Centro-Oeste do Paraná, levaram algumas organizações a estruturar um fundo de financiamento para a agricultura familiar – o Fundo de Crédito Rotativo (FCR).

Esse fundo, financiado pela cooperação internacional (Misereor), era administrado por entidades/movimentos pastorais, sindicais, não governamentais, associativas e sem terras, nas regiões Sudoeste e Centro-Oeste. A partir dessa experiência ficou evidenciada a necessidade de criar uma instituição que pudesse acessar, canalizar e desburocratizar o crédito rural, além de administrar os recursos de poupança dos agricultores e prestar outros serviços financeiros que eles demandassem.

No final de 1994 e início de 1995, foram realizados dois importantes seminários sobre fundos rotativos e cooperativismo de crédito, na Fundação Rureco, em Guarapuava/PR e na Assesoar (Associação de Estudos, Orientação e Assistência Rural), em Francisco Beltrão/PR. Além disso, três intercâmbios foram realizados em 1995 com visitas às cooperativas de crédito de Quilombo, Caçador e Itapiranga, no Oeste catarinense, apoiadas pela Apaco (Associação dos Pequenos Agricultores do Oeste Catarinense). Estes intercâmbios contribuíram para consolidar o projeto de um sistema de cooperativas de crédito independentes e autônomas, gestionadas pelos próprios agricultores, com crescimento horizontal e inclusão social.

Assim, em 1995 foram criadas as primeiras cooperativas do Sistema Cresol e em seguida uma base de serviços (Baser) encarregada de dar suporte a essas cooperativas nas áreas de formação, normatização, contabilidade, informática, organizando ainda a interlocução com outras organizações, bancos, governos e entidades de apoio. Com o gradativo aumento do número de cooperativas nos anos seguintes, novas bases regionais foram criadas.

Em 1998 são constituídas as primeiras cooperativas do Sistema Cresol nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A expansão para outros territórios foi resultado da atuação de organizações da agricultura familiar desses estados, que se identificaram com a proposta do Sistema Cresol.

Em 2000, a Cresol Baser, por orientação do Banco Central, foi transformada em cooperativa central, com sede em Francisco Beltrão/PR. Em 2004, conforme o princípio da descentralização e crescimento horizontal, foi criada a segunda cooperativa central de crédito. A Cre$ol Central, com sede em Chapecó/SC, tem filiadas as cooperativas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, enquanto a Central Cre$ol Baser tem como filiadas as cooperativas singulares do Paraná e também de Santa Catarina.

Organização[editar | editar código-fonte]

A estrutura do Sistema Cresol combina exigências da legislação regulamentadora do cooperativismo de crédito no Brasil com um processo de horizontalização e descentralização, de forma a permitir o controle social.

Cooperativas Singulares[editar | editar código-fonte]

São cooperativas de primeiro grau que atuam diretamente com o público alvo do Sistema Cre$ol, os agricultores e agricultoras familiares. Têm como objetivo facilitar o acesso ao crédito rural e a serviços financeiros, buscando a viabilização da agricultura familiar e contribuindo para um projeto de desenvolvimento local sustentável. Estimulam a formação, a capacitação e a organização dos associados a fim de ampliar o controle social, orientando relações de parceria em nível local. Os recursos captados pelas singulares são aplicados localmente, contribuindo com a economia dos municípios e para o desenvolvimento local.

Bases Regionais de Serviços[editar | editar código-fonte]

São cooperativas de serviço, de caráter operacional, agregando cooperativas singulares por proximidade. Tem a responsabilidade de organizar e oferecer serviços de formação, contabilidade, informática e demais atividades relacionadas ao cooperativismo de crédito rural.

Cooperativas Centrais[editar | editar código-fonte]

Têm a função de representar legal e politicamente o Sistema Cre$ol junto ao Banco Central e à sociedade civil. Estabelece e fomenta as relações de parceria, tanto com organizações da agricultura familiar, como com instituições públicas e privadas, de forma a assegurar a sustentabilidade institucional do Sistema. Compõem o Sistema Cre$ol duas cooperativas centrais: Central Cre$ol Baser, com sede em Francisco Beltrão/PR e Cre$ol Central, com sede em Chapecó/SC.

Referências[editar | editar código-fonte]