Coreia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Dezembro de 2008).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
A localização da península da Coreia
Bandeira da Unificação. Bandeira utilizada quando as duas Coreias participam juntas em eventos desportivos.

A Coreia (FO 1943: Coréia) é um território localizado na península Han na Ásia Oriental, que foi anteriormente uma nação única, mas foi dividido em dois países - separados pela Linha de Demarcação Militar: a Coreia do Norte, República Popular Democrática da Coreia no norte e a Coreia do Sul, República da Coreia no sul.

No idioma coreano, chama-se Hanguk. Han significa grande, um e Guk país (nara em coreano legítimo). No idioma japonês, chama-se Kankoku. Coreia é o nome proveniente de uma dinastia coreana, Koryo (918-1392), Choson (Coreia do Norte) de uma outra dinastia coreana, Choson (1392-1910).

Coreia se refere aos estados (Joseon 조선/朝鮮 [N] e Hanguk 한국/韓國 [S]) a nação ou o povo (Hanminjok 한민족), a língua (Hangugeo 한국어/韓國語 [S] Joseonmal 조선말 [N]), e ao rasgo geográfico (Hanbando 한반도), todos relacionados com os estados que hoje em dia se chamam República Popular Democrática da Coreia (conhecido também como Coreia do Norte) e República da Coreia (conhecida também como Coreia do Sul).

História[editar | editar código-fonte]

Um relance retrospectivo a milhares de anos da história coreana revela triunfos e tragédias, sucessos e conflitos que deram forma à Coreia de hoje. Um fato notável que emerge de um estudo histórico da Coreia é que os governos duradouros e estáveis dominavam o povo coreano. De um modo geral, cada um dos reinos e dinastias coreanas durou cerca de 500 anos ou mais. Embora a história escrita coreana começasse muito mais cedo do que o século VII, foi com a unificação dos Três Reinos pela dinastia Silla em 668 que a Coreia, como uma entidade histórica com a cultura e a sociedade coesas, veio ocupar a maioria da região da península como ainda hoje existe.

Antes do período unificado de Silla (668-935) havia o período dos Três Reinos o qual acabou quando Silla conquistou o Reino de Baekje (18 A.C. - 660 D.C.) e o reino de Goguryeo (37 a.C. - 668 d.C.). A Dinastia Goryeo (918-1392) que seguiu, testemunhou o florescimento do Budismo, que tinha chegado na Coreia durante a era dos Três Reinos. O período de Goryeo é bem conhecido internacionalmente não só pela sua cerâmica marchetada azul-acinzentada, mas também pela invenção da primeira tipografia de metal móvel do mundo. Com o estabelecimento da nova dinastia Joseon do general Yi Seonggyeo (1392-1410) o Confucionismo torna-se a filosofia nacional dominante até o domínio colonial forçadamente imposto pelo Japão (1910-1945). Finalmente , a Coreia foi libertada do domínio Japonês no fim da Segunda Guerra Mundial, somente para ficar emaranhada no conflito ideológico da Guerra Fria que, por sua vez, levou a península à divisão ao longo do paralelo 38 e à formação de dois Estados separados do Sul e do Norte.

No passado a Coreia era considerada uma parte nobre da Ásia assim como a China e o Japão, mais pobre.Já que a língua também remonta a passados longíquos e por hora ainda desconhecidos. Costumava-se usar cabelo comprido e havia uma grande inclinação de se usar roupas brancas, era uma desonra cortar os cabelos dos homens.

Gojoseon (2333 a.C. - 37a.C.)[editar | editar código-fonte]

Segundo o Samguk Yusa escrito no século XIII d.c., a primeira dinastia da Coreia foi Hwuanguk. A segunda dinastia foi Gojoseon desde o 2333-2 do século a.C., foi criado por Tangun ou Dangun ao sul de Manchuria e norte da Coreia. Recentes estudos indicam que o povo de Gojoseon pertencia à família linguística dos Tungusos e estava familiarizada com o Altaico.

Era dos Três Reinos da Coreia (37 a.C. - 668 d.C.)/ Balhae (713 d.C. - 926 d.C.)[editar | editar código-fonte]

Os estudiosos, em geral, creem que os primeiros reinos ou estados na península coreana começaram a formar-se durante a Idade do Bronze (1000 a.C.-300 a.C.). Deles, o reino supostamente fundado por Dangun, conhecido geralmente por Gojoseon ou Joseon Antigo, logo surgiu como o mais poderoso e consolidou seu poder em 233 a.C. Ante o poder emergente de Joseon Antigo, China começou a preocupar-se mais e mais. O imperador chinês Han Wuti lançou uma invasão em 109 a.C.. Destruiu o reino no seguinte ano e estabeleceu quatro colonias militares para administrar a parte norte, metade da península.

Entretanto, depois de um século, emergiu um novo reino chamado Goguryeo (37 a.C. - 668 d.C.) na parte norte da península Goguryeo foi uma nação de guerreiros guiados por reis agressivos e valentes como o rei Gwanggaeto (r. 391-410). Conquistou a tribos vizinhas uma atrás da outra, e expandiu praticamente seu reino em todas as direções. Finalmente expulsou aos chineses de sua última colônia militar, Nangnang (Lo-lang em chinês) em 313 d.C. Em seu apogeu, seu território estendia-se até o interior da Manchúria, e ao sul chegava até a metade sulista da península coreana.

Um novo reino chamado Baekje (18 a.C. - 660 d.C) se desenvolveu ao sul do rio Hanggang, parte de Seul atual. Os de Baekje eram mais pacíficos que os ferozes guerreirros de Goguryeo. Eles se trasladaram ao sul fugindo da ameaça de sua rival ao norte. Baekje se estabeleceu firme como um estado próspero e civilizado, fazendo intenso comércio com seus vizinhos de ultramar. Na realidade, Baekje serviu como ponte importante para a transmissão da cultura continental ao Japão: lhes passou o budismo, escritura chinesa e sistemas políticos e sociais. O doutor Wang In foi professor do príncipe do Japão.

Shilla (57 a.C. - 668 d.C.), o mais longe da China, a princípio era o reino mais fraco e menos desenvolvido dos três. Foi o último a aceitar ideias e credos estrangeiros, e sua sociedade estava marcadamente dividida em classes sociais. Entretanto, Shilla cresceu rápido graças aos recursos de seu singular Corpo de Hwarang (Flor de Juventude) e dos ensinamentos budistas. A meados do século ¥µ, Silla consolidou seu poder e território, formou uma aliança militar com T'ang da China para submeter Goguryeo e Baekje. As forças aliadas de Shilla-T'ang tiveram êxito, e a península foi unificada pela primera vez em 668. Depois disso, os sobrevivientes do reino de Goguryeo expulsaram as forças de T'ang da Manchúria e da parte norte da península, e estableceram ali o reino de Balhae no ano de 698. Ainda que politicamente estivessem separados, os três reinos de Goguryeo, Baekje e Shilla estavam relacionados étnica e lingüisticamente. Cada um deles desenvolveram uma sofisticada estrutura política e adotaram a ética confuciana e a fé budista.

Silla Unificada (668 d.C. - 935 d.C.) e Balhae[editar | editar código-fonte]

Durante dois séculos e meio, Silla desfrutou de paz e estabilidade. Liberado das preocupações de lutas internas e de invasões externas, originou o rápido florescimento da arte, da religião, do comércio, da educação. A capital de Shilla, na atualidade Gyeongju, tinha uma população de mais de um milhão e contava com magníficos palácios reais e templos budistas.

O budismo floresceu baixo a proteção da nobreza e da corte, e exerceu uma grande influência nos assuntos do Estado, na arte e moral. Alguns dos monumentos históricos mais destacados da Corea são atribuídos ao gênio criativo e fervor religioso dos artistas daquela época. Entre eles podemos citar o templo Bulguksa e a gruta de Seokguram, ambos nas proximidades de Gyeongju.

Shilla alcançou o apogeu de sua prosperidade e poderio em meados do século ¥·, depois entrou em lenta decadência. Intensificaram-se os conflitos entre os nobres; os líderes rebeldes reclamavam o direito à sucessão dos reinos de Goguryeo e Baekje. No ano de 935 o rei deixou o mandos do Estado nas mãos de Wang Geon (rei Taejo, seu nome posterior), fundador da dinastía Goryeo.

Depois da queda de Goguryeo, Dae Jayeong, um ex-general de Goguryeo, formou um exército com gente de Goguryeo e de Malgal (uma tribo de Tungus), e emigrou ao território controlado pela China. Finalmente estabeleceram-se cerca de Jilin na Manchúria, ali Dae Joyeong fundou um estado que ao princípio se chamou Chin, mas em 713 foi renominado como Balhae (Bolhai em chinês). Balhae logo recuperou o território antigo de Goguryeo. A maioria da classe governante de Balhae era gente de Goguryeo. Balhae se declarou como sucessor de Goguryeo, e às vezes era chamado por Goryeoguk (Estado de Goryeo).

O sistema político de Balhae era semelhante ao de Tang, e sua capital Sanggyeong tinha por modelo a capital de Tang, Chan-an. Sua cultura distintiva tinha influência de Tang e Goguryeo. Quando Balhae foi invadida por Khitan nos primeiros anos do século ¥¹, sua classe dominante se refugiou no novo estado de Goryeo.

Ciência e tecnologia[editar | editar código-fonte]

Um dos mais bem conhecidos artefactos é Cheomsongdae, um observatório de 9,4 metros de altura construído em 634. Acredita-se que seja um dos mais velhos observatórios astronómicos ainda existentes.

A primeira prensa móvel de metal foi desenvolvida na Coreia em 1232 por Chae Yun-ui durante a dinastia Goryeo.

Imigração para o Brasil[editar | editar código-fonte]

Cerca de 90% da comunidade coreana no Brasil está concentrada na cidade de São Paulo, 140 mil pessoas no bairro do Bom Retiro. A imigração ocorreu principalmente entre 1963 e 1974.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Coreia