Corinne Calvet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Corinne Calvett
Corinne Calvet no trailer de O Azar de um Valente, 1950
Nome completo Corinne Dibos
Nascimento 30 de Abril de 1925
Paris
Nacionalidade  França
Morte 23 de Junho de 2001
Los Angeles, Califórnia
Ocupação Atriz
Cônjuge John Bromfield (1948-1954)
Jeffrey Stone (1955-1962)
Robert J. Wirt (1968-1971)

Corinne Calvet (Paris, 30 de abril de 1925Los Angeles, Califórnia, 23 de junho de 2001) foi uma atriz francesa que atuou principalmente nos Estados Unidos.

Vida e carreira[editar | editar código-fonte]

Filha de um cientista, Corinne estudou leis na Sorbonne até descobrir, graças aos soldados americanos que libertaram Paris no fim da Segunda Guerra Mundial, que sua beleza poderia ser melhor aproveitada. Após um curso de artes dramáticas, telefonou em plena madrugada para o diretor Marc Allegret que, atônito com o atrevimento, marcou um encontro com ela. Logo Corinne estreava no cinema, em La Part de L'Ombre, em 1945. Outros filmes se seguiram até ser levada para Hollywood pelo produtor Hal Wallis, com a promessa de ser a nova Rita Hayworth.

Na meca do cinema, Corinne pôde ser vista ao lado de atores de prestígio, como Danny Kaye (Escândalos na Riviera - On the Riviera, 1951), Alan Ladd (Uma Aventura na Índia - Thunder in the East, 1952), James Stewart (Região do Ódio - The Far Country, 1954) e Tony Curtis (Três Marujos em Paris - So This Is Paris, 1954), quase sempre em papéis de francesa. Ainda assim, nunca atingiu o estrelato, sendo vista pelos estúdios como atriz do segundo time, a anos-luz da rainha da Columbia Pictures.

Todavia, Corinne manteve-se como assunto constante da mídia, que ela soube muito bem explorar ao expor sem rodeios sua atribulada vida sentimental. Os casamentos, todos terminados em divórcio, os entreveros com Zsa Zsa Gabor, os inúmeros casos com colegas de trabalho, os escândalos, tudo ela serviu de bandeja a um público ávido e nunca satisfeito. Fez poucos filmes, mas conseguiu trabalho até na década de 1980, inclusive na televisão, onde participou de séries como Starsky & Hutch e Batman.

Corinne descobriu o hipnotismo depois de filmar A Espada dos Bárbaros (The Sword and the Sorcerer, 1982) e montou um consultório em sua residência em Santa Mônica, oferecendo cura para alcoólatras e dependentes químicos. Publicou sua autobiografia em 1983, "Has Corinne Been a Good Girl?", onde culpa os estúdios por nunca lhe terem oferecido papéis dignos de seu talento. Faleceu aos setenta e seis anos de idade, vítima de aneurisma cerebral. Deixou um filho, Robin, que teve com seu segundo marido, Jeffrey Stone. [1]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Todos os títulos em Português referem-se a exibições no Brasil.[1]

Referências

  1. a b UNONIUS, Kristian Erik, Corinne Calvett, in MATINÊ 34, Ribeirão Preto, SP: Divino Rodrigues da Silva, 2004, periodicidade variável

Ligações externas[editar | editar código-fonte]