Corinthian Football Club

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
The Corinthian Casuals Football Club
Nome Corinthian Football Club
Alcunhas Tree Lions e Teacher's
Fundação 16 de dezembro de 1882 (131 anos)
Estádio Queen's Club, Crystal Palace e Leyton.
Website www.corinthianfc.com


Kit left arm rmcf1925h.png Kit body rmcf1925.png Kit right arm rmcf1925h.png
Kit shorts.png
Kit socks blacktop.png
Uniforme
titular
editar

Corinthian Casuals Football Club ou simplesmente Corinthian-Casualsé uma agremiação esportiva de Londres, Inglaterra, que inspirou a criação do Sport Club Corinthians Paulista. Famosa no início do século XX, atualmente disputa a 8ª divisão do Futebol Inglês.[1]

História[editar | editar código-fonte]

O Corinthian Football Club no período 1896-1897

O clube foi fundado em 1882 por N. Lane Jackson, então sub-secretário da FA, com a intenção de desenvolver o futebol britânico e revelar jogadores capazes de desafiar a supremacia da seleção escocesa e dos escoceses do Queen's Park, conhecidos como "professores" pela sua superioridade em campo. Jogou em diversas praças esportivas, incluindo algumas famosas como a do Crystal Palace e do Queen's Club. O novo clube começou disputando apenas partidas amistosas, normalmente contra clubes amadores da região de Londres. Mas a equipa logo tornaria-se uma das mais fortes do Reino Unido, tendo cedido dezenas de jogadores para a seleção inglesa. Durante os anos 1880 a maioria dos capitães da "Tree Lions" eram do Corinthian. Em 1894 e 1895, em duas partidas contra o seleção galesa todos os jogadores escalados jogavam pela equipe londrina - apesar de alguns, devido ao caráter amador do clube, também disputarem partidas por outras equipes.

Apesar do imenso sucesso, o Corinthian recusou-se a adotar o profissionalismo, não filiando-se a liga inglesa e nem disputando a Copa da FA, que até hoje permite a inscrição de clubes amadores. Esta recusa se deve ao fato de seu estatuto proibir terminantemente a disputa de "competição, copa ou prêmio de qualquer tipo". Esta "obsessão amadora" aliás está impressa no nome do time. A cidade de Corínto era famosa na Grécia Antiga pelo seu incentivo ao esporte amador.

Em 1900, porém, a equipe quebrou esta regra, participando e vencendo a Copa do Xerife de Londres, hoje conhecida como Copa da Caridade, e que na época reunia os campeões amador e profissional da Inglaterra. O adversário foi o poderoso Aston Villa, que havia vencido quatro dos últimos cinco campeonatos profissionais de futebol na Inglaterra e é, até hoje, um dos clubes mais importantes e populares do país. Outros resultados expressivos do Corinthian em seu auge foram as vitórias ante os então campeões da Copa da FA Blackburn Rovers, em 1884, por 8-1, e Derby County, em 1903, por 10-3. Em 1904 o Corinthian venceu o hoje poderoso Manchester United por 11-3, o que é, até hoje, a maior derrota dos "reds".

Depois de filiar-se a Associação Amadora de Futebol da Inglaterra, em 1907, e ser banido por disputar partidas contra clubes profissionais, o Corinthian passou a dedicar-se a excursões, onde pretendia disseminar o futebol pelo mundo. A popularidade do Corinthian era tão grande que, em uma excursão pela Suécia, realizada em 1904, equipes locais realizaram um torneio chamado Copa Corinthian, em comemoração a passagem do clube por aquele país, que continuaria a ser disputado por alguns anos. Como frutos mais famosos destas viagens estão o uniforme do Real Madrid, adotado em homenagem ao clube inglês, e, é claro, o Corinthians Paulista, fundado pouco depois da passagem da equipe pelo Brasil, entre agosto e setembro de 1910.

Nesta excursão o Corinthian jogou seis jogos e venceu todos, a maioria por placares elásticos, e sempre disputando contra grandes adversários. A primeira partida, realizada no dia 22 de agosto, no Rio de Janeiro, foi contra o Fluminense, e acabou num estrondoso 10 a 1. Também no Rio de Janeiro o Corinthian ganhou de um combinado carioca por 8 a 1 e de um combinado brasileiro por 5 a 2. Em São Paulo as partidas foram contra o então "trio de ferro" local. O A. A. Palmeiras (sem ligação com o atual Palmeiras) perdeu por 2 a 0 em 31 de agosto, o Paulistano perdeu por 5 a 0 em 2 de setembro e o SPAC, de Charles Miller, perdeu por 8 a 0 no dia 4 de setembro.

Mesmo tendo encantado o mundo da bola, o Corinthian perdeu força com a popularização do profissionalismo na Inglaterra, primeiro país a adotar a prática, que só seria implementada no Brasil na década de 1930, em larga escala. Depois do fim da Primeira Guerra Mundial, em 1918, o clube finalmente disputou a Copa da FA, mas, sem ter como competir diante dos profissionais, obteve pouco sucesso. O clube também disputou a Copa da Caridade em 1927, mas perdeu para o Cardiff City, do País de Gales, por 2-1.

Em 1939, a trajetória do Corinthian teve seu fim quando este fundiu-se ao Casuals, outro clube amador de Londres, para formar o Corinthian-Casuals Football Club. Esta equipe está na ativa até hoje, disputando a segunda divisão do futebol amador inglês - equivalente a sétima divisão do país.

Títulos[editar | editar código-fonte]

NACIONAIS
Competição Títulos Temporadas
CommunityShield.png Copa Xerife de Londres 3 1898, 1900 e 1904
Competição Vices Temporadas
CommunityShield.png Copa Xerife de Londres 9 1901, 1902, 1903, 1905, 1906, 1907, 1931, 1933 e 1934
Competição Vices Temporadas
CommunityShield.png Supercopa da Inglaterra 1 1927

Jogadores cedidos à seleção Inglesa[editar | editar código-fonte]

Pelo Corinthian passaram famosos jogadores do amadorismo britânico, como Max Woosnam e C. B. Fry. Outro jogador de renome nas ilhas, o meio-campista Fred Spinksley, que fez fama pelo Sheffield Wednesday e pela seleção nacional, jogou a última partida de sua carreira pelo Corinthian, sendo o único jogador profissional da história do clube. A partida em questão foi a vitória do Corinthian frente o Tottenham Hotspur por 2-1, e Spinksley foi ovacionado pelo estádio.

Devido ao caráter amadorista da equipe, muitos jogadores que foram selecionados para a seleção enquanto jogavam pelo clube também militavam em outro, profissional. Aqui serão listados apenas os 17 jogadores selecionados cujo o único clube à época era o Corinthian.

As excursões[editar | editar código-fonte]

África do Sul (1897)[editar | editar código-fonte]

Primeira excursão internacional do Corinthian. Lançou uma tradição que se tornaria importante para o clube nos anos seguintes. O time visitou a África do Sul, então colônia britânica, entre junho e julho de 1897, e voltou invicto para a Inglaterra. Foram 23 partidas, 21 vitórias e dois empates.

África do Sul (1903)[editar | editar código-fonte]

Outra viagem ao continente africano, e outra campanha invicta. Desta vez foram 25 partidas e 25 vitórias.

Flag of Austria-Hungary (1869-1918).svg Áustria-Hungria (1904)[editar | editar código-fonte]

Tendo tido problemas em realizar uma excursão para o continente americano, o Corinthian visitou o leste europeu em 1904, jogando seis partidas na antiga Áustria-Hungria e vencendo todas.

 Suécia (1904)[editar | editar código-fonte]

Famosa viagem que inspirou a Copa Corinthian, disputada até 1913. Foram seis jogos e seis vitórias inglesas, a maioria destas em campos de cascalho, já que a grama não suportava a temperatura baixa da Escandinávia.

North America (orthographic projection).svg América do Norte (1906)[editar | editar código-fonte]

Uma das excursões mais comemoradas pelo clube, já que o futebol norte-americano do começo do século era considerado forte para os padrões da época (Canadá e Estados Unidos haviam disputado, em 1895, a primeira partida entre seleções de futebol fora da Inglatera). Desta vez o Corinthian não terminou invicto, mas venceu 15 dos 18 jogos disputados, perdendo apenas um, para o Fall River, de Massachusetts, sua primeira derrota internacional. O clube marcou 118 gols.

 Alemanha e  Países Baixos (1906)[editar | editar código-fonte]

O Corinthian jogou ainda quatro jogos na Alemanha e na Holanda em 1906, marcando mais 30 gols, num total de 148 gols em 22 partidas naquele ano, um média de seis gols por jogo.

África do Sul (1907)[editar | editar código-fonte]

Primeira excursão depois da filiação do clube à Associação Amadora de Futebol da Inglaterra. O Corinthian disputou 24 partidas entre julho e setembro de 1907 na África do Sul, mas seus resultados foram mais modestos do que da última visita ao país, com 12 vitórias, sete empates e cinco derrotas. Uma boa campanha, mais aquém do que vinha demonstrando em excursões anteriores.

 França (1908)[editar | editar código-fonte]

Uma excursão curta, de apenas três jogos em Paris, mas com um saldo positivo de três vitórias para os ingleses.

Suíça e Áustria-Hungria (1909)[editar | editar código-fonte]

Mais uma excursão invicta do Corinthian, que disputou quatro partidas, duas na Suíça e duas em Praga, na atual República Tcheca, e venceu três delas.

 Brasil (1910)[editar | editar código-fonte]

Outra excursão invicta, e talvez a mais memorável para os torcedores do atual Corinthian-Casuals. Não só pelos resultados, mas pelo bom futebol da equipe ter inspirado a fundação de um dos clubes mais populares do Brasil, o Sport Club Corinthians Paulista.

North America (orthographic projection).svg América do Norte (1911)[editar | editar código-fonte]

Depois de visitar a América do Sul pela primeira vez, o Corinthian voltou para os Estados Unidos e o Canadá, onde disputou 21 jogos e venceu 19, perdendo apenas uma vez.

 Espanha (1911)[editar | editar código-fonte]

Um curto torneio triangular entre equipes amadoras da Espanha, mas que serviu para inspirar o poderoso Real Madrid, que por algumas temporadas adotou calções pretos, de forma a imitar o clube inglês.

Flag of Austria-Hungary (1869-1918).svg Áustria-Hungria (1912)[editar | editar código-fonte]

Nova visita à cidade de Praga, que começava a se desenvolver futebolisticamente. Nesta excursão o Corinthian jogou cinco vezes e venceu três, perdendo para o Slavia Praga e para uma seleção da região da Boêmia.

 Brasil (1913)[editar | editar código-fonte]

O Corinthian voltou ao Brasil em 1913, quando disputou seis partidas no país. O clube jogou três vezes no Rio de Janeiro e perdeu pela primeira vez em solo nacional para uma seleção carioca. As outras partidas foram contra combinados de jogadores locais e estrangeiros. Em São Paulo os adversários foram o C. A. Paulistano (vitória por 2 a 1), o A. A. Mackenzie College (vitória por 8 a 1) e o A. A. das Palmeiras (empate em 1 a 1)

 França (1921)[editar | editar código-fonte]

O começo da Primeira Guerra Mundial, em 1914, interrompeu as excursões do Corinthian, que ficou oito anos sem jogar fora da Inglaterra. O fim do conflito também viu a decadência do clube e do futebol amador britânico no geral, com a popularização do profissionalismo no país. Mesmo com dificuldades o time não fez feio na França, vencendo o Red Star Paris, um dos clubes mais importantes da França no primeiro quarto do século XX, e o Olympique Lillois, que depois daria origem ao atual Lille OSC.

 Países Baixos e  Dinamarca (1922)[editar | editar código-fonte]

Outra excursão vitoriosa. O Corinthian jogou seis partidas na Dinamarca e na Holanda em 1922, venceu cinco delas e perdeu apenas uma.

 Países Baixos e  Bélgica (1923)[editar | editar código-fonte]

Nova viagem para a Holanda, desta vez com uma passagem pela Bélgica. Desta vez Corinthian venceu apenas duas vezes e sofreu e quatro derrotas. Esta foi a primeira excursão em que o Corinthian voltou para a Inglaterra com resultado geral negativo.

North America (orthographic projection).svg América do Norte (1924)[editar | editar código-fonte]

Última excursão do Corinthian para fora da Europa, resultou em um saldo de nove vitórias, três empates e sete derrotas. Os jogos nos Estados Unidos salvaram a excursão do time, que ganhou apenas duas vezes contra adversários canadenses.

 Dinamarca e  Alemanha (1928)[editar | editar código-fonte]

Última excursão do clube com o nome Corinthian antes da fusão com o Casuals. Foram seis jogos com duas vitórias, um empate e apenas uma derrota, mas doída, por 6 a 3 diante do Kjøbenhavns Boldklub, da Dinamarca, atual F.C. Copenhagen. Esta foi a primeira e única vez que o Corinthian cedeu mais de seis gols em uma partida internacional.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Vídeo-Matéria da ESPN Brasil de dezembro de 2012 sobre a história e o presente do clube.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]