Coronel Telhada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão. (desde fevereiro de 2013)
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Paulo Adriano Lopes Lucinda Telhada
Vereador por São Paulo - SP
Mandato 2013
Comandante da ROTA
Mandato 2009 - 2012
Vida
Nascimento 10 de outubro de 1961 (52 anos),
São Paulo,  São Paulo
Dados pessoais
Partido PSDB
Religião Protestante
Profissão Coronel, Vereador
linkWP:PPO#Brasil

Paulo Adriano Lopes Lucinda Telhada, conhecido como Coronel Telhada, (São Paulo, 1961) é um Coronel da policial militar, e deputado estadual de São Paulo, que atuou pela Rondas Ostensivas Tobias Aguiar[1] e vereador na cidade de São Paulo[2] e integrante da frente política conhecida como bancada da bala. Declarou publicamente em 26 de Outubro de 2014, ser adepto da questão separatista paulista, ranço histórico das revoluções de 1932. Filho de Paulo Lopes Lucinda Telhada Neto e Heleusa Morgado Telhada. É casado com Ivânia Cano Telhada e pai de Rafael Henrique Cano Telhada e Juliana Cano Telhada.

História[editar | editar código-fonte]

A história da família Telhada é diretamente ligada à Segurança Pública. Paulo Lopes Lucinda Telhada Filho (avô do Coronel Telhada) era fiscal de quarteirão, no bairro Freguesia do Ó (São Paulo), na década de 1940. Paulo Lopes Lucinda Telhada Neto (pai do Coronel) foi Guarda Municipal e Soldado da Polícia Militar (PM); seus três filhos seguiram o mesmo caminho. O mais velho é o Coronel Paulo Adriano Telhada; o do meio, Carlos Telhada, foi aluno-soldado e atualmente é músico da banda "365" (MMDC); e o mais novo, Claudio Telhada, é 1º Sargento PM aposentado. Por fim, o filho do Coronel Telhada, Rafael Henrique Telhada, é 1º Tenente PM da ROTA.

Telhada é formado pela Academia de Polícia Militar do Barro Branco quando ingressou nessa em 1979 com dezessete anos, ingressou na Polícia Militar de São Paulo em 1983 e em 1986 ingressou na ROTA através da alteração feito no contingente realizado pelo governador André Franco Montoro e posteriormente para o GATE, do qual foi um dos oficiais fundadores. Em 1992 foi afastado do policiamento da ROTA por desentendimentos com superiores da Polícia[3] .

Promovido a Capitão da PM por bravura em 15 de agosto de 1988 e ferido em serviço duas vezes (1990 e 1995). Em 31 de julho de 2010 sofreu um atentado na porta da sua casa, seu veículo foi alvejado com 11 tiros. Foi onze vezes preso.[4]

Dentre os cursos realizados: Curso de Formação de Oficiais, Curso de Paraquedismo, Curso de Segurança Física de Instalações e Dignitários, Curso de Resgate de Reféns em Aeronaves, Curso de Negociação e Resgate de Reféns, Estágio de Salvamento em Altura, Curso de Técnica de Ensino, Curso de Resgate e Pronto-Socorrismo e Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais.

Como Oficial Superior da PM atuou como Subdiretor de Pessoal da PMESP, Chefe do Estado Maior do Comando de Policiamento de Área Metropolitano-7, em Guarulhos. Comandou o 7º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (área central de São Paulo).

Em 7 de maio de 2009 o comandante geral da Polícia Militar, o coronel Álvaro Batista Camilo indicou Telhada para o cargo de Comandante Geral das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar. Em 2012 desligou-se do comando da corporação e aposentou-se dos ofícios de policial militar devido a decreto do então Governador Geraldo Alckmin[5] . Atualmente é Coronel PM Reserva.

Recentemente foi acusado de fazer ameaças a um jornalista da Folha de S.Paulo, porém, nada foi comprovado.[6] Fez bico como segurança particular do apresentador Gugu Liberato, pelo que quase foi expulso da polícia.[7]

A sua campanha foi cercada de ações e polêmicas. O Ministério Público pediu a impugnação de sua candidatura por incitação à violência.[8]

Telhada é evangélico e com 15 anos foi batizado na Congregação Cristã no Brasil.

É um dos protagonistas do documentário "A Verdadeira História da ROTA" (2014), que estreou nos cinemas de São Paulo em 27 de maio de 2014.

Em junho de 2014 lançou a primeira edição de sua revista em quadrinhos nas bancas de jornais do Rio de Janeiro e São Paulo.

Eleito Deputado Estadual em 2014 pelo PSDB com 254.074, a segunda maior votação do Estado de São Paulo.

Política[editar | editar código-fonte]

Coronel Telhada ingressou pela primeira vez na política no ano de 2012 se filiando pelo PSDB, para concorrer ao cargo de vereador na cidade de São Paulo. Foi eleito após obter 89.053 votos, um total de 1,56 %, o 5° lugar como mais votado nessa eleição. Também foi o quinto mais votado considerando vereadores de todo o país neste ano. Assumiu o cargo em 1º de janeiro de 2013.

No ano de 2014 disputou as eleições como candidato a deputado estadual por São Paulo, onde obteve a segunda maior votação do estado com 254.074. Foi a quarta maior votação de deputado estadual no país. Na capital paulista foram 161.904 votos. Assume o cargo em 15 de março de 2015.


Atualmente ocupa na câmara municipal as seguintes funções:

  • Presidente da Frente Parlamentar de Segurança Pública (2013)
  • Vice-presidente da Comissão Extraordinária Permanente de Segurança Pública (2013)
  • Presidente da Comissão Extraordinária Permanente de Segurança Pública (2014)
  • Membro da Comissão Permanente de Trânsito, Transporte, Atividade Econômica, Turismo, Lazer e Gastronomia (2013)
  • Vice-presidente da Comissão Permanente de Trânsito, Transporte, Atividade Econômica, Turismo, Lazer e Gastronomia (2014)

Fora da Câmara atua como:

  • Presidente do Conselho da ABACH (Academia Brasileira de Arte, Cultura e História) (2012 a 2014)
  • Vice-presidente da Associação dos Ex-Combatentes do Brasil - Seção São Paulo (2013 e 2014)
  • Presidente do Conselho do Núcleo "MMDC Leste" - Juventude Constitucionalista (Sociedade Veteranos de 32 - MMDC) (2013 e 2014)
  • Presidente do Conselho Deliberativo Associação Brasileira das Forças Internacionais de Paz da ONU (2013 e 2014)

Livros[editar | editar código-fonte]

  • "8 de Março" (capítulo sobre Mulheres Policiais), 2014
  • "Quartel da Luz, Mansão da ROTA", 2012
  • "A Polícia de São Paulo nos Campos da Itália", 2001

Honrarias[editar | editar código-fonte]

  • Láurea de Mérito Pessoal em 1º Grau.
  • Medalha Mérito Policial do Estado de São Paulo 1ª Classe
  • Medalha Mérito e Dedicação do Diretório Acadêmico XV de Dezembro
  • Medalha M.M.D.C.
  • Medalha Pedro de Toledo
  • Medalha Nove de Julho
  • Medalha 2º Centenário de José Bonifácio
  • Medalha Constitucionalista
  • Medalha do Centenário do Batalhão Tobias de Aguiar
  • Medalha Ordem e Democracia – Associação de Ex Combatentes do Brasil.
  • Medalha Mérito Comunitário – Sociedade Amigos da Polícia Militar – 4º BPM/M
  • Medalha por Ferimento em Serviço, Cruz de Sangue – 3º Categoria – Bronze
  • Medalha “O Expedicionário” – Associação de Ex- combatentes do Brasil;
  • Medalha da Vitória – FEB – Rio de Janeiro.
  • Diploma e Distintivo de Colaborador Emérito do Exército Brasileiro
  • Medalha e Diploma da Ordem do Mérito de Educação e Integração, no Grau de Comendador.
  • Medalha Marechal Zenóbio da Costa – Rio de Janeiro
  • Medalha Cinqüentenário das Forças de Paz do Brasil.
  • Medalha da Vitória dos Combatentes Poloneses – Curitiba
  • Medalha da Legião do Mérito da FEB – Rio de Janeiro
  • Medalha Gen. Francisco Alves do Nascimento Pinto – Centenário da CBPM
  • Medalha Gen. Miguel Costa – Museu da PMESP
  • Medalha do 1º Centenário do Regimento de Polícia Montada “9 de Julho”
  • Medalha do Mérito “Marechal Castelo Branco”
  • Medalha da Casa Militar do Gabinete do Governador.
  • Medalha Dom João VI.
  • Colar do Mérito Cívico “Alferes Tiradentes” – Grau Comendador.
  • Medalha do Cinqüentenário do Canil da PMESP
  • Medalha Comemorativa do Centenário do 2º BPM/M.
  • Prêmio Troféu “Marco da Paz”- 7ª Edição – Associação Comercial de São Paulo.
  • Medalha Marechal Castelo Branco – Associação dos Oficiais da Reserva do 28° BIB.
  • Medalha Pero Vaz de Caminha – Grau Comendador
  • Diploma de Amigo e Colaborador do CPOR/São Paulo.
  • Medalha da Ordem dos Nobres Cavaleiros de São Paulo – Grau -Comendador – Academia Brasileira de Arte, Cultura e História.
  • Medalha “Mérito Tiradentes” – Grau Comendador.
  • Medalha “Ordem do Mérito da ABRAMMIL” – Grau Cavaleiro – Academia Brasileira de Medalhística Militar – Rio de Janeiro.
  • Medalha Souza Carvalho – Agruban
  • Medalha Comemorativa aos 50 Anos de Brasília – Academia Brasileira de Arte, Cultura e História.
  • Medalha “Batalhão de Expedicionários Paulistas” – 2º BPChq – PMESP.
  • Medalha “Cinquentenário do 9º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano”
  • Placa da 2ª Circunscrição da Justiça Militar de São Paulo, em solenidade alusiva ao Dia da Justiça (2012)
  • Placa do 5º Batalhão de Policia Militar Metropolitano (2012)
  • Destaque de 2012 - Academia Brasileira de Arte, Cultura e História (2012)
  • Medalha do Centenário da Academia de Policia Militar do Barro Branco (2012)
  • Medalha Cinquentenário do 9º BPMM (2012)
  • Medalha Centenário do Terceiro Grupamento de Bombeiros (2012)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Coronel Telhada

Referências