Costumbrismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
La plaza de toros (1870), obra de José Jiménez Aranda (1837–1903)

Costumbrismo é a interpretação literária ou pictórica da vida cotidiana, maneirismos e costumes locais, principalmente no cenário hispânico e, particularmente , no século XIX. O costumbrismo está relacionado tanto com o realismo artístico e quanto ao romantismo, partilhando o interesse romântico pela expressão contra a simples representação e o foco romântico e realista na representação exata de determinados tempos e lugares, ao invés da humanidade em abstrato.[1] [2] Muitas vezes, é satírico e até moralista, mas ao contrário do realismo, não costuma oferecer ou até mesmo implicar qualquer análise específica da sociedade que retrata. Quando não satírica, a sua abordagem ao pitoresca detalhe folclórico muitas vezes tem um aspecto romântico.

O costumbrismo podemser encontradas das artes visuais às literárias e, por extensão, o termo também pode ser aplicado a certas abordagens de objetos folclóricos. Originalmente encontrado em ensaios curtos e mais tarde em romances, o costumbrismo é frequentemente encontrado nas zarzuelas do século XIX, especialmente no género chico. Museus costumbristas lidam com o folclore local e os festivais de arte costumbristas celebram costumes, artesãos e seu trabalho locais.

Embora inicialmente associada com a Espanha no final do século XVIII e XIX, o costumbrismo expandiu-se para a América e estabeleceu raízes nas Hispano-América, incorporando elementos indígenas. Juan López Morillas resumiu o apelo de costumbrismo ao escrever sobre a sociedade latino-americana da seguinte forma: os costumes da "preocupação com os mínimos detalhes, a cor local, o pitoresco e sua preocupação com as questões de estilo é frequentemente não são mais do que um subterfúgio. Espantados pelas contradições observadas em torno deles, incapazes de compreender claramente o tumulto do mundo moderno, esses escritores buscaram um refúgio no particular, no trivial ou no efêmero."[3]

Referências

  1. José Escobar, Costumbrismo entre Romanticismo y Realismo, Bibioteca Virtual Miguel Cervantes. Acessado em 27 de outubro de 2013.
  2. Antonio Reina Palazón, El Costumbrismo en la Pintura Sevillana del Siglo XIX, Biblioteca Virtual Miguel Cervantes. Acessado em 27 de outubro de 2013.
  3. Juan López Morillas, El Krausismo español (1980), p. 129, quoted by Enrique Pupo-Walker, "The brief narrative in Spanish America 1835–1915", 490:535 in Roberto González Echevarría, Enrique Pupo-Walker, The Cambridge History of Latin American Literature: Discovery to modernism, Cambridge University Press, 1996, ISBN 0-521-34069-1. p. 491 acessado no Google Books.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre Cultura é um esboço relacionado ao Projeto Cultura. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.