Crase

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Metaplasmos
Por adição de sons:
Prótese
Aglutinação
Epêntese
Anaptixe
Paragoge
Por supressão de sons:
Aférese
Deglutinação
Síncope
Haplologia
Apócope
Crase
Por modificação de sons:
Por transposição:
Metátese
Hipértese
Hiperbibasmo
Por transformação:
Apofonia
Assibilação
Assimilação
Consonantização
Desnasalização
Dissimilação
Ditongação
Fortição
Lenição
Metafonia
Monotongação
Nasalização
Palatalização
Sonorização
Vocalização

Crase é um dos metaplasmos por supressão de fonemas a que as palavras podem estar sujeitas à medida que uma língua evolui. [1] Neste caso, há a fusão de dois fonemas vocálicos idênticos e seguidos em um só. [2]

Exemplos: [1]

A crase[editar | editar código-fonte]

O termo crase significa fusão, junção. Em português, a crase é o nome que se dá à contração da preposição "a" com:

  • artigo feminino "a" ou "as";
  • o "a" dos pronomes "aquele"(s), "aquela"(s), "aquilo", "aqueloutro"(s) e "aqueloutra"(s);
  • o "a" do pronome relativo "a qual" e "as quais";
  • o "a" do pronome demonstrativo "a" ou "as".

Obs.: sempre haverá crase quando a oração se refere a alguém ou a alguma coisa.

O sinal que indica a fusão, que indica ter havido crase de dois aa é o acento grave.

  • Acentua-se a preposição a quando, substituindo-se a palavra feminina por uma masculina, o a torna-se ao.
  • As palavras terra e casa são casos especiais de crase. A preposição "a" antes da palavra casa (lar) só recebe o acento grave quando vier acompanhada de um modificador,[1] caso contrário não ocorre a crase. Já com a palavra terra (chão firme, oposto de bordo) só ocorre crase quando vier acompanhada de um modificador — da mesma maneira que existe a expressão "a bordo", enquanto que com a palavra terra (terra natal ou planeta) sempre ocorre crase.

Exemplos:[2]

Chegamos cedo a casa (coloquialmente, "em casa").
Chegamos cedo à casa de meu pai.
Os jangadeiros voltaram a terra.
Os jangadeiros chegaram à terra procurada.
Ele voltou à terra dos avós.
  • O pronome aquele (e variações) e também aquilo e aqueloutro (e variações) podem receber acento grave no a inicial, desde que haja um verbo ou um nome relativo que peça a preposição a.[2]
  • A contração "à" pode surgir também com a elipse de expressões como "à moda (de)", "à maneira (de)", como em "arroz à grega" (à maneira grega), "filé à Chatô" (à moda de Chatô)", etc. É este o único caso em que "à" se pode usar antes de um nome masculino.

Regras de verificação[editar | editar código-fonte]

Para saber se a crase é aplicável, ou seja, se deve ser usada a contração à (com acento grave) em vez da preposição a (sem acento), aplique-se uma das regras de verificação:

1) Substitui-se a preposição a por outra preposição, como em ou para; se, com a substituição, o artigo definido a permanecer, então a crase é aplicável.

Exemplos:

Pedro viajou à Região Nordeste.

Com crase, porque equivale a Pedro viajou para a Região Nordeste.

Pedro viajou a Portugal.

Sem crase, porque equivale a Pedro viajou para Portugal.

2) Troca-se o complemento nominal, após "a", de um substantivo feminino para um substantivo masculino; se, com a troca, for necessário o uso da combinação ao, então a crase é aplicável.

Exemplos:

Prestou relevantes serviços à comunidade.

Com crase, porque ao se trocar o complemento — Prestou relevantes serviços ao povo — aparece a combinação ao.

Chegarei daqui a uma hora

Sem crase, porque ao se trocar o complemento — Chegarei daqui a um minuto — não aparece a combinação ao.

Obs.: a crase não ocorre antes de palavras masculinas; antes de verbos, de pronomes pessoais, de nomes de cidade que não utilizam o artigo feminino, da palavra casa quando tem significado do próprio lar, da palavra terra quando tem sentido de solo e de expressões com palavras repetidas (dia a dia).

Crase facultativa[editar | editar código-fonte]

A crase é facultativa nos seguintes casos:

Antes de nome próprio feminino:

Refiro-me à (a) Fernanda.

Antes de pronome possessivo feminino:

Dirija-se à (a) sua fazenda.

Depois da preposição até:

Dirija-se até à (a) porta.

Casos Proibidos[editar | editar código-fonte]

Tendo por princípio basilar que a palavra "à" é o feminino de "ao", não existe crase onde também não cabe o uso de "ao". Portanto, nas seguintes situações:

Antes de verbos:

Preços a combinar.

Antes de substantivos masculinos, salvo no já supracitado caso de estar subentendida a expressão "à moda de":

Passear a Cavalo

Antes de numerais:

De 10 a 100
Encontramos o produto numa faixa de preço que vai de R$120,00 a R$ 150,00.

Antes de plural sem o emprego do artigo definido "as":

a brilhantes psicólogas
a soluções

Após o uso de preposições:

Ante a descoberta o cientista gritou.
Após a voz de prisão o bandido entregou os comparsas.
Contra a ação do governo, João realizou um protesto.

Mas: Caminhamos até à (a) casa. (no caso específico de "até", a crase é facultativa)

Antes de pronomes indefinidos, pessoais, relativos ou demonstrativos (com exceção da terceira pessoa):

Entregue o relatório a ela. (Pessoal)
Dei nota zero a esta aluna. (Demonstrativo)
Permiti apenas a uma mulher conhecer-me. (Indefinido)
Jamais devi dinheiro a ninguém. (Relativos)

Obs.: (Pronomes demonstrativos de 3ª pessoa, aquele, aquela, aqueles, aquelas podem levar crase):

Entreguei as chaves àquela mulher. (Demonstrativo)

Entre substantivos idênticos:

Menino, vais tomar essa sopa gota a gota!
Vamos nos encontrar cara a cara.

À exceção de:

É preciso declarar guerra à guerra!
É preciso dar mais vida à vida!

Antes de topônimos de cidades que não admitem "a":

Vou a Salvador.
Vou a Lisboa.
Vou a Madri.

Obs.: substituir por "Fui à" ou "Vim da" (pode crasear) — "Fui a" ou "Vim de" (crasear pra quê?).

Vou a Brasília.

Fui a Brasília. Vim de Brasília.(não vai crase)

Vou à Bahia.

Fui à Bahia. Vim da Bahia. (vai crase)

À exceção de: Quando há um modificador do topônimo, assim como ocorre com "casa" e "terra", a crase é obrigatória em topônimos que não admitem artigo

Vou à Lisboa dos poetas.
Vou à Brasília de Oscar Niemeyer.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: crase
Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete crase.

Referências

  1. a b c Lucas Martins (18 de março de 2007). Crase (em português). InfoEscola. Página visitada em 16 de fevereiro de 2013.
  2. a b c Crase: Regras de uso e emprego (em português). UOL — Educação (15 de junho de 2005). Página visitada em 16 de fevereiro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.