Cratera da Terra de Wilkes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cratera gigante de Wilkes Land

A Cratera da Terra de Wilkes é uma cratera hipotética situada Terra de Wilkes na Antártida oriental sob um manto de gelo de 2 km de espessura. Confirmada a sua existência seria a maior cratera de impacto conhecida na Terra, com aproximadamente 480 km de diâmetro.[1] [2] Cientistas da Universidade de Ohio, liderados por Ralph von Frese e pelo geólogo Laramie Potts fizeram em 2006 essa descoberta, eles contaram com dados do satélite Grace e com a ajuda de cientistas da NASA, Coreia do Sul e Rússia.

Desde de 2004 já havia suspeitas da existência dessa cratera; equipes fazendo prospecção de petróleo no sul Austrália retiraram amostras de rocha da região; baseado nessas amostras a equipe Luann Becker, da Universidade da Califórnia, descreveu a existência de uma grande cratera de impacto no litoral noroeste da Austrália.

Segundo os cientistas, um cometa de 45 km de diâmetro colidiu com a terra a 250 milhões de anos atrás; esse cataclismo foi tão gigantesco que causou a ruptura do continente gigante Gonduana que reunia a América do Sul, a África a Antártida e a Austrália; alem de provocar a extinção de 90% das espécies viventes durante o período Permiano-Triássico, a maior extinção em massa conhecida.

Referências

  1. GIGANTE CRATERA POR BAIXO DE ANTÁRTICA
  2. Schmidt, RA.. (1962). ""Australites and Antarctica"" (em inglês). Science 138 (3538): 443–444 pp.. DOI:10.1126/science.138.3538.443. PMID 17794921. Bibcode1962Sci...138..443S.

Ver também[editar | editar código-fonte]



Portal A Wikipédia possui o portal:
Ícone de esboço Este artigo sobre uma cratera é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.