Crates de Tebas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia
Crates de Tebas

Crates de Tebas (cerca de 368/365 — cerca de 288/285 a.C.), um filósofo helenístico, pertenceu à escola cínica de filosofia e mestre de Zenão de Cítio. Crates era natural de Tebas e foi discípulo de Diógenes de Sínope.

É dito que ele perdeu sua fortuna devido à invasão macedônica, mas uma história mais provável é que ele a tenha sacrificado segundo seus princípios, entregando-a aos cuidados de um banqueiro para que ele a desse a seus filhos caso eles provassem ser tolos, mas para os pobres se por acaso eles demonstrassem ser filósofos.

Ele dedicou sua vida à busca da virtude e à divulgação do autocontrole ascético. Seu costume de entrar nas casas para este propósito, sem ser convidado, deu-lhe o apelido de o "Abridor de portas". Ele casou-se com Hiparquia, filha de uma rica família traciana, de quem foi dito ter se dedicado com entusiasmo ao estilo de vida cínico com Crates.

Seus escritos foram poucos. De acordo com Diógenes Laertius, ele foi o autor de um número de cartas com temas filosóficos; mas os existentes sob o nome de Crates são falsos, obra de retóricos posteriores. Diógenes Laertius credita a ele um curto poema, e diversas tragédias filosóficas. A vida de Crates por Plutarco está perdida. A grande importância do trabalho de Crates foi a de ele ter feito a ponte entre o Cinismo e o Estoicismo, uma vez que Zenão de Cítio foi seu discípulo.