Crescimento natural

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde dezembro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O crescimento natural ou crescimento vegetativo é a diferença entre os nascimentos e as mortes, ou seja, entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade, geralmente ele é expresso em permilagem. O Crescimento natural pode ser:

  • Positivo: Quando o número de nascimentos é maior que o de mortes.
  • Negativo: Quando o número de nascimentos é menor que o de mortes.
  • Nulo: Quando o número de nascimentos é igual ao de mortes.

Então podemos dizer que para o crescimento natural ser positivo, a taxa de fecundidade, precisa ser superior a dois filhos por mãe. Leva-se em conta, porém, que o crescimento natural está diretamente ligado à atualidade sócio econômica do país, afinal quanto melhor a infraestrutura, as condições sociais do país, tende a ser menor o crescimento natural.

Um crescimento natural negativo, típico de países com alto IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), e antiga industrialização não pode ser visto como benéfico. Tal fato, traz consequências futuras ruins para o país como previdência social sobrecarregada, afinal a população ativa não é suficiente para "suportar o país" e também o fato dos altos gastos do governo com a terceira idade. Sendo que cada vez mais se percebe o crescimento dessa faixa etária e uma diminuição relativa da faixa mais jovem.

Isso não significa que quanto mais filhos tivermos melhor, pois um crescimento acelerado é muitas vezes sinal de uma má infra-estrutura social.

O crescimento natural nem sempre é um fator decisivo para os valores do crescimento efetivo.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre demografia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.