Criminalidade no Japão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Apesar do Japão ser um estado moderno e industrialização - condição ligada por muitos criminologistas - o povo não pára de sofrer com níveis crescentes de atividades de organizações criminosas. Embora as cidades continuem apresentando altos índices de criminalidade, essas taxas permanecem relativamente constante, (taxas de criminalidade violenta continuam a diminuir), tal como o crime vem diminuído no Ocidente desde cerca de 1980 com o aumento da resolução da prejudicial injustiça social e das questões do envelhecimento e de natalidade.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Em 1990, a polícia identificou mais de 2,2 milhões de violações do Código Penal. Dois tipos de violações - furtos (65,1% das violações) e homicídio por negligência ou ferimentos em consequência de acidentes (26,2%) - representaram mais de 90% das infrações no Japão. Em 1989, o Japão apresentou o baixíssimo numero de 1,3 roubos por 100.000 habitantes, em comparação com 48,6 por Alemanha Ocidental, 65,8 para o Reino Unido, e 233 para os Estados Unidos; e, no mesmo ano, apresentou 1,1 assassinatos por 100.000 habitantes, em comparação com 3,9 para a Alemanha Ocidental, 1,03 para a Inglaterra e País de Gales, e 8,7 para os Estados Unidos.

Autoridades japonesas também resolveram uma alta taxa de assaltos (75,9% dos casos, em comparação com 43,8% para a Alemanha Ocidental, 26,5% para a Grã-Bretanha, e 26% para os Estados Unidos) e homicídios (95,9%, em comparação com 94,4% para a Alemanha, 78% para o Reino Unido, e 68,3% para os Estados Unidos). Isso está ligado ao fa(c)to da a(c)ção penal ser menos provável de ser contestada com êxito, em comparação com os demais países citados, um facto que tem causado preocupações dos direitos humanos e levou a uma mudança na lei, que entrou em vigor em 2009. Delinquência juvenil, embora não tão graves como na maioria dos países industrializados, como os Estados Unidos, é de grande preocupação para as autoridades. Em 1990 mais de 52% das pessoas detidas por delitos penais (exce(p)to homicídio por negligência ou lesões) eram jovens. Mais de 70% dos jovens presos foram acusados de furto, principalmente furtos de itens de lojas e furto de motocicletas e bicicletas. O fracasso do sistema educacional japonês é citada como um fa(c)tor importante para o aumento da delinquência juvenil.

Recentemente, o número de crimes no Japão estão diminuindo. Em 2002, o número de crimes, foi de 2.853.739. Foi reduzido pela metade em 2012, de 1.382.154[1] [2] .

Yakuza[editar | editar código-fonte]

A Yakuza é a maior organização criminosa do país. Ele já existia bem antes de 1800 e seguiu os códigos semelhantes ao Bushido, dos Samurais. Os clãs são organizados à semelhança de uma família, apresentando a mais rígida das hierarquias do mundo dos crimes. O oyabun (pai) é o chefe, wakashu (seus filhos) e kyodai (seus irmãos). Todos devem total obediência e lealdade ao oyabun, em troca, ele oferece proteção a todos de seu clã. Estima-se que a Yakuza tenha mais 88.000 membros que participam de 3.300 grupos.

Referências

  1. "2012年の刑法犯の認知件数、10年前から半減 殺人事件も戦後最少", 2013-1-10. Página visitada em 2013-2-2. (em Língua japonesa)
  2. 平成24年上半期の犯罪情勢 (PDF) 警察庁 (2012-10-1). Página visitada em 2013-2-2.
Bandeira do Japão Japão
Bandeira • Brasão • Hino • Cinema • Culinária • Cultura • Demografia • Economia • Forças Armadas • Geografia • História • Ilhas • Penínsulas • Portal • Política • Rios • Subdivisões • Imagens