Cristianismo na África

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde fevereiro de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Cerimonia

A África é o segundo continente em que o cristianismo foi estabelecido.

Como uma religião organizada, a presença do Cristianismo na África começou no final do século I no Egito, e até o fim do século II na região em torno de Cartago. Importantes africanos que influenciaram o desenvolvimento precoce do cristianismo incluem Tertuliano, Clemente de Alexandria, Orígenes, Cipriano de Cartago, Atanásio de Alexandria e Agostinho de Hipona.

O posterior aumento do Islão no Norte da África reduziu o tamanho e o número de congregações cristãs, deixando só a Igreja Ortodoxa Copta do Egipto e a Igreja Ortodoxa Tewahedo Etíope no Corno de África. A última professa o seu próprio distintivo aduaneira, um único cânone da Bíblia, e um distintivo arquitetura ilustrada pelas estruturas de Axum, Debre Damo e Lalibela. Trata-se de uma comunidade de cristãos na África sub-saariana que não é o produto do trabalho missionário europeu, mas pode documento antes de sua fundação que, em muitos países europeus.

O Cristianismo é adotado pela maioria da população na maior parte das nações africanas do sul, central e oriente, e, em alguns nações do oeste africano. No Norte de África, cristãos coptas fazem uma significativa minoria no Egipto. Segundo a Encyclopædia Britânica, o cristianismo é actualmente um dos religiões mais generalizadas da África, com cerca de 40% da população como seus seguidores. A reivindicação por cristãos em África de que eles representam 62,5% da população do continente não pode ser justificada.

História[editar | editar código-fonte]

A história do Cristianismo na África começou no primeiro século quando Marcos o Evangelista começou a Igreja Ortodoxa de Alexandria por volta do ano 43. Pouco se sabe sobre os primeiros dois séculos da história do Cristianismo na África, além da Lista dos Patriarcas de Alexandria. Na primeira, a Igreja em Alexandria foi principalmente de língua grega, mas até o final do século II, as escrituras e a Liturgia foram traduzidas em três línguas locais. O Cristianismo também foi instalado no noroeste da África (hoje conhecido como Magrebe), mas as igrejas haviam se ligado à Igreja de Roma.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cristianismo na África