Crocus serotinus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaCrocus serotinus
Crocus serotinus subsp. clusii num pinhal na Nazaré, (Portugal)

Crocus serotinus subsp. clusii num pinhal na Nazaré, (Portugal)
Classificação científica
Reino: Plantae
Clado: angiospérmicas
Clado: monocotiledóneas
Ordem: Asparagales
Família: Iridaceae
Subfamília: Crocoideae
Tribo: Croceae
Género: Crocus
Espécie: C. serotinus
Nome binomial
Crocus serotinus
Salisb.

Crocus serotinus é uma espécie vegetal pertencente à família Iridaceae.

Os seus nomes comuns são açafrão-bravo e pé-de-burro.[1]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Planta de 6–12 cm, com bolbo, do qual surgem directamente varias folhas longas e finas de cor verde e 1-3 flores de curto tubo formado pelas 6 peças florais (tépalas), de cor rosa azulada, no centro das quais aparecem 3 longos estames e um estilete, dividido como uma "barba" de escassos "pêlos". Esta espécie floresce no Outono.[2]

Distribuição e habitat[editar | editar código-fonte]

Ocorre na Península Ibérica, em Portugal e em Castilla y León. Aparece em terrenos pedregosos e pastos.

Subespécies[editar | editar código-fonte]

Possui 3 subespécies:

  • Crocus serotinus subsp. serotinus: Folhas no geral parcialmente desenvolvidas, durante o período de floração e flores de lilás pálido a azul violáceo, por vezes com nervuras mais escuras por fora e com frequência com uma garganta amarela pálida, perfumadas; tépalas de não mais de 38 mm de comprimento; túbulo do perianto curto, de 2–5 cm. Habitats rochosos e arenosos, ervaçais rochosos e pinhais abertos. Floresce no Outono. Ocorre no Centro e Sul de Portugal.
  • Crocus serotinus subsp. clusii (J.Gay) B.Mathew: Possui folhas com frequência não presentes durante o período de floração, usualmente 4-7 (não 3-4). Norte e Centro de Portugal e no Noroeste e Sudoeste de Espanha.
Crocus serotinus subsp. salzmannii
  • Crocus serotinus subsp. salzmannii (J.Gay) B.Mathew: Possui flores sem odor e 5-7 folhas; cormos por vezes estoloníferos. Flores com frequência com nervuras mais escuras por fora, cobertas por uma capa prateada; túbulo da tépala de 4–11 cm de comprimento. Floresce no Outono. Ocorre no Sul, Centro e Norte de Espanha e também em Marrocos em zonas próximas de Tânger e no Rife.[3]

Citologia[editar | editar código-fonte]

O número de cromossomas de Crocus serotinus (Fam. Iridaceae) e táxones infraespecíficos é de 2n=22.[4] [5]

Sinonímia[editar | editar código-fonte]

  • Crocus asturicus Herb.
  • Crocus autumnalis Brot.
  • Crocus clusianus Herb.
  • Crocus clusii J.Gay
  • Crocus granatensis Boiss. ex Maw
  • Crocus nudiflorus Boiss., non Sm.
  • Crocus salzmannianus Herb.
  • Crocus salzmannii J.Gay
  • Crocus tingitanus Herb.[5]

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

A espécie foi descrita por Richard Anthony Salisbury (1761-1829) na obra Paradisus Londinensis: or Coloured Figures of Plants Cultivated in the vicinity of the Metropolis. London (Parad. lond. 1(1): t. 30. 1806) no ano de 1806.

Referências

  1. Biorede. Crocus serotinus Salisb. subsp. clusii (Gay) Mathew. Visitado em 6 de Janeiro de 2013.
  2. García Muñoz, B. (2004). Plantas de Ávila, mi ciudad. Ávila:Obra Social Caja de Ávila. ISBN 84-96264-09-2.
  3. Blamey, M.; Grey-Wilson Chr (2008). Flores Silvestres del Mediterraneo. Barcelona:Omega. ISBN 978-84-282-1450-6.
  4. Proves Chromosome counts in the genus Crocus (Iridaceae). Brighton, C. A., B. Mathew & C. J. Marchant (1973) Kew Bull. 28(3): 451-464
  5. a b Crocus serotinus. Real Jardín Botánico: Proyecto Anthos. Consultado a 16 de Novembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Crocus serotinus