Cromodinâmica quântica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Os quarks possuem três cores: Vermelho, Azul e Verde.

A Cromodinâmica quântica conhecido também como QCD é uma teoria física que descreve uma das forças fundamentais: a interação forte.

Possui uma propriedade especial chamada liberdade assintótica e foi proposta primeiramente nos anos 70 por David Politzer, Frank Wilczek e David Gross como uma teoria que descreve a estrutura dos prótons, dos nêutrons, e de partículas similares. Ela é uma teoria quântica de campos que descreve a interação dos quarks e dos glúons. Por seus trabalhos na cromodinâmica quântica, Gross, Wilczek, e Politzer foram gratificados com o prêmio Nobel de Física em 2004.

De acordo com esta teoria, o caráter da interação forte é determinado por uma simetria especial entre as cargas de cor dos quarks. Esta simetria é conhecida como o grupo de calibre SU(3) e os quarks se transformam sob este grupo como um tripleto de campos fermiônicos SU(3). Embora as expansões perturbativas sejam importantes para o desenvolvimento da QCD, ela também prediz muitos efeitos não-perturbativos tais como o confinamento, os condensados fermiônicos e os instantons.

A cromodinâmica quântica é uma parte importante do modelo padrão da física de partículas. O nome "cromodinâmica" vem da palavra grega "chromos" (cor). Este nome é relevante porque a carga dos quarks é geralmente referida como "cor" embora não seja relacionada com a percepção visual da cor.

Uma aproximação particular a QCD, é o modelo de redes, que permite aos pesquisadores obterem alguns resultados teóricos e quantidades que eram previamente incalculáveis.

Veja também[editar | editar código-fonte]