Cronobiologia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Cronobiologia é a ciência que estuda os fenômenos biológicos recorrentes que ocorrem uma periodicidade determinada, podendo ou não ter uma correspondência temporal com ciclos ambientais, como ciclo dia e noite, os ciclos de máres. Esses fenômenos são chamados de ritmos biológicos e podem tem diferentes frequências, os que ocorrem com uma periodicidade próxima a 24 horas são chamados de circadianos, os com período maior que 28 horas são chamados de infradianos e os menores que 20 horas de ultradianos.

As primeiras idéias da existência de relógios biológicos datam do século XVIII, mas somente no século XX a cronobiologia tornou-se aceita internacionalmente. No ano de 1960, no evento Cold Spring Harbor Symposium of Quantitative Biology – Biological Clocks, foram definidos as principais vertentes desta nova área científica.

Adaptação do relógio biológico[editar | editar código-fonte]

O estudo dos acontecimentos fisiológicos é fundamental para o entendimento da adaptividade do organismo no meio em que está inserido. Em grande parte dos animais e vegetais, ocorrem fenômenos periódicos e cíclicos com o decorrer do tempo.

Esses ritmos muitas vezes estão associados as condições vividas fisicamente. Um bom exemplo é o ciclo luz/escuro que funciona como a principal pista ambiental de passagem de tempo ou zeitgeber (do alemão, doador de tempo) para a maioria dos organismos. Os ritmos que se repetem a cada 24 horas, aproximadamente, são denominados de ritmos circadianos. Outros ritmos existem com frequências diferentes de 24 horas, por exemplo, os ritmos ultradianos (vários ciclos ocorrem a cada 24 h) e infradianos (um ciclo se completa a cada 28 horas ou mais). Exemplos do primeiro são os ritmos de batimentos cardíacos ou de respiração, que completam vários ciclos dentro de 24 horas. Exemplos de ritmos infradianos são o ciclo menstrual em mulheres (a cada 28 dias) e ciclos estrais em roedores (a cada 3 ou 4 dias em ratos, por exemplo).

O interessante é observar que em indíviduos cegos, ou em condições de laboratório, onde não existem pistas temporais, esses ritmos biológicos permanecem continuam se expressando, o que demonstra a natureza endógena de tais oscilações.

Importância[editar | editar código-fonte]

Área molecular[editar | editar código-fonte]

Abrange conjunto de genes que regulam atividades nos organismos, principalmente nos ciclos circadianos.

Área da fisiologia[editar | editar código-fonte]

Na regulação do ciclo do sono, no que diz respeito a intensidade de luz.

Na Psicologia[editar | editar código-fonte]

Nos diversos processos cognitivos, na aprendizagem e na memória, influenciadas pelo sistema de temporização (relógio biológico).

Saúde Pública[editar | editar código-fonte]

Pela importância de regulamentação e influências geradas pelo trabalho noturno ou em trocas de turno.

Referências[editar | editar código-fonte]

Cronobiologia e suas Aplicações na Prática Médica. Página visitada em 12/10/2007.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.