Crumbles murders

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Crumbles Murders pode referir-se a dois crimes ocorridos em "The Crumbles", uma praia encascalhada entre Eastbourne e Beachy Head — o assassinato de 1920 contra Irene Monro por Field e Gray, e em 1924 o duplo assassinato de Emily Kaye e seu filho não nascido por Patrick Mahon.

Irene Monro[editar | editar código-fonte]

Irene Monro foi morta por Jack Alfred Field e William Thomas Gray.[1] O corpo dela foi enterrado entre as pedras do cascalho da praia.

Emily Kaye[editar | editar código-fonte]

Essa caso foi investigado pelo investigador forence Sir Bernard Spilsbury, que ficou notado pelas diversas falhas durante a investigação do caso.[2] Os restos mortais de Emily Kaye, que estava grávida, e seu filho em desenvolvimento foram achados em uma casa de praia em The Crumbles, local onde havia iniciado seu caso com Patrick Mahon, que era casado e foi condenado e enforcado tempos depois. [3] [4]

Um filme de 1976 foi feito sobre esse crime, Killers: The Crumbles Murder[5] . Em 1984 um grupo australiano, Severed Heads, usou uma narração sobre o assassinato de Emily Kaye em uma rádio escrita por Edgar Lustgarten como abertura de sua canção "Dead Eyes Opened."

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Albert Borowitz. Blood & ink: an international guide to fact-based crime literature. [S.l.]: Kent State University Press, 2002. p. D-43. ISBN 0873386930
  2. dailymail.co.uk, Lethal witness: How legendary pathologist Bernard Spilsbury's evidence was often fatally flawed, 20 August 2007, retrieved 17 November 2010
  3. eastbournecousins.com, Murder at the Crumbles, retrieved 17 November 2010
  4. Richard Gordon. Great Medical Disasters. [S.l.]: House of Stratus, 2001. 81-83 pp. ISBN 1842325191
  5. ftvdb.bfi.org.uk, Killers: The Crumbles Murder, retrieved 17 November 2010
  • Bernard Spilsbury: his life and cases. [S.l.]: Harrap, 1951. 148-163 pp.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]