Culinária da Grécia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Típica salada grega.

A culinária grega (em grego: Ελληνική Κουζίνα, transl. Elinikí kuzína) é a culinária tradicional da Grécia, de características mediterrânicas,1 e que partilha diversas características com as culinárias da Itália, dos Balcãs, da Turquia e do Oriente Médio em geral.

Prato de souvlaki.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Pikilia, Meze.
Tomilho, uma das ervas gregas mais tradicionais, mencionada na Odisseia.

A culinária grega contemporânea é tipicamente mediterrânea, e utiliza extensivamente o azeite, grãos, pão, vinho, peixes e diversos tipos de carnes, incluindo aves e coelho.1 Entre os ingredientes típicos da culinária grega estão a carne de cordeiro ou de porco, azeitonas kalamata, queijo feta, folhas de uva, abobrinha e iogurte. Entre as sobremesas predominam o mel e as nozes, algumas utilizando massa filo, como a baclavá.1

O elemento mais característico e antigo da culinária grega é o azeite, utilizado em quase todos os seus pratos. É produzido a partir das azeitonas, uma vez que as oliveiras são típicas de toda a região, o que dá um toque característico à comida grega. Um condimento popular é azeite fervido em lume muito brando com a casca, ou mesmo fatias de limão; a “infusão” é deixada a curtir durante a noite e no dia seguinte é coado e, se estiver muito ácido, acrescenta-se azeite. Este condimento pode usar-se com fatias de pão, grelhados, sopa de feijão ou de grão-de-bico, e na salada de tomate. 2

O grão mais utilizado na Grécia é o trigo, embora a cevada também seja cultivada. Entre os legumes e verduras cultivados estão o tomate, a berinjela, batata, vagem, quiabo, pimentões e cebolas. O mel é feito com base no néctar de árvores frutíferas e cítricas: limoeiros, laranjeiras, além do mel de tomilho e de pinhas. O lentisco, resina aromática com coloração de marfim, é cultivado na ilha de Quios, situada no mar Egeu.

A culinária grega utiliza mais ervas e temperos do que é comum com outras culinárias do Mediterrâneo: orégano, menta, alho, cebola, endro e folhas de louro, manjericão, tomilho, funcho, noz-moscada, cravo e canela.

O terreno do país favoreceu a criação de cabras e ovelhas, no lugar de vacas, e, desta maneira, pratos com carne bovina são mais raros. Pratos feitos com peixes são mais comuns, especialmente nas regiões litorâneas e nas ilhas. Uma grande variedade de queijos também é utilizada na culinária da Grécia; alguns dos tipos são feta, kasseri, kefalotyri, graviera, athotyros, manouri, metsovone e mizithra.

O espírito rústico da culinária grega geralmente se opõe a muito refinamento, embora as tendências recentes tenham indicado que a culinária contemporânea do país esteja se deslocando a um enfoque mais refinado. Comer fora sempre foi prática comum no país; estabelecimentos como a taverna e o estiatorio, espalhados por todo o país, servem comida grega caseira tradicional a preços acessíveis, tanto para locais como para turistas.

Recentemente, o fast-food veio se tornando popular na Grécia, como no resto da Europa, com diversas cadeias estrangeiras abrindo franquias. A maioria dos gregos, no entanto, ainda tem como base de sua alimentação os pratos ricos e extensos de sua culinária. Além disso, algumas comidas tradicionais dos gregos, em especial o souvlaki, gyros, sanduíches no pão pita, tiropita e spanakopita, entre outros, são servidos no estilo fast-food.

Origens[editar | editar código-fonte]

Skordalia (centro)

A Grécia tem uma tradição culinária antiga, com uma história de vários milênios; ao longo do tempo, esta culinária evoluiu e absoveu diversas influências, e acabou influenciando, por sua vez, as culinárias de outros locais.

Alguns dos pratos e bebidas datam da Grécia Antiga: skordalia, por exemplo, um grosso purê de batatas, nozes, amêndoas, alho e azeite; sopa de lentilhas; retsina, vinho branco ou rosé resinado; e pasteli, barra de doce com sementes de gergelim assadas com mel.3 Outros remontam aos períodos helenístico e romano, como o loukaniko, uma salsicha de carne de porco seca; enquanto outros vêm do período bizantino: o queijo feta, o avgotaraho, ovas de peixe curadas, e o paximadi, pão duro tradicional, assado a partir de uma mistura de trigo, cevada e centeio. Existem também diversos pratos antigos e bizantinos que não são mais consumidos, como o mingau que compunha a alimentação básica, além do molho de peixe e da água do mar que era misturada ao vinho.

Os nomes de muitos dos pratos atuais vêm da tradição e revelam suas origens árabes, persas e turcas, como mussaca, uma espécie de lasanha feita de berinjela, carne moída e tomate assados; baclavá, massa filo doce com recheio típico; tzatziki (do turco cacık), iogurte com alho e pepino picado; yuvarlakia e kefthedhes (almôndegas). A maioria destas palavras entrou no vocabulário do idioma grego durante o período otomano, porém já havia contato anterior tanto com os persas quanto com os árabes. Alguns destes pratos podem ser pré-otomanos, tendo adotado simplesmente o nome utilizado pelos turcos para designá-los; os dolmades, por exemplo, feitos com folhas de videira, também eram consumidos pelos bizantinos.4 5

Alguns dos pratos tiveram influência italiana (mais especificamente veneziana), como o pastitsio, o makaronia me kima ("macarrão com carne"), encontrado principalmente na Anatólia e na Ásia Menor, em regiões de influência grega.

Segundo a lenda, o kleftikó, cordeiro assado lentamente (cujo significado pode ser traduzido como "carne roubada") tem sua origem nas ovelhas e cabras que os kleftes, espécie de guerreiros-bandidos que habitavam as regiões montanhosas do país, roubavam e cozinhavam posteriormente num poço fechado, para que a fumaça não atraísse a atenção.

Pratos típicos[editar | editar código-fonte]

A culinária grega é muito diversificada, e embora existam diversas características em comum entre as tradições culinárias das diferentes regiões dentro da Grécia, existem também muitas diferenças, o que torna difícil apresentar uma lista completa dos pratos mais representativos. Por exemplo, o prato vegetariano chamado haniotikó bouréki (fatias de batata assadas com abobrinhas, queijo myzithra e hortelã) é um prato típico do oeste da ilha de Creta, na região de Chania. Uma família típica do local costuma consumir este prato de uma a duas vezes por semana durante o verão; no entanto, ela não é preparada em qualquer outra região do país.

Esta lista apresenta alguns dos pratos mais representativos da culinária grega e que podem ser encontrados em todo o país (além dos pratos regionais mais significantes):

Entradas[editar | editar código-fonte]

Mezes típicos gregos: queijo e azeitonas.

Mezes é o nome dado coletivamente para uma variedade de pequenos pratos, servidos tipicamente com vinhos ou licores com sabor de anis, como o ouzo ou o tsipouro caseiro. Orektiká é o nome que se dá formalmente a estes acepipes, pode ser utilizado também para se referir ao primeiro prato de uma refeição nas culinárias não-gregas. Diversos dips são servidos, com pita ou fatias de algum outro tipo de pão. Em certas regiões o pão seco (paximadhi) costuma ser amolecido na água.

Muitos outros alimentos são envoltos em massa folhada, formando pequenos triângulos ou pasteis maiores, como kotopita (recheio de frango), spanakotyropita (espinafre e queijo), hortopita (hortaliças) e kreatopita (carne moída).

Sopas[editar | editar código-fonte]

  • Avgolemono: sopa 'ovo-limão', consiste de um caldo de carne, peixe ou legume engrossado com ovos, suco de limão e arroz.
  • Bourou-Bourou: sopa de legumes e massa da ilha de Corfu.
  • Faki ou fakes: sopa de lentilhas, uma das sopas cotidianas mais comuns no país, servida costumeiramente com vinagre e queijo feta.
  • Fasolada (lit. "Feijoada"): sopa de feijões, definida em diversos livros de culinária como o prato grego tradicional por excelência. Além de feijões, leva tomate, cenoura, aipo e bastante azeite.
  • Magiritsa: sopa tradicional da Páscoa, feita com vísceras e engrossada com avgolemono.
  • Patsas: sopa de tripas, semelhante à shkembe tchorba búlgara.
  • Psarosoupa: 'sopa de peixe', pode ser cozinhada com diversos tipos de peixe, e diversos legumes e verduras, além de outros vegetais (cenouras, aipo, salsa, batatas e cebola); entre as diversas variedades está a clássica kakavia, que leva azeite.
  • Revithia: sopa de grão-de-bico.
  • Trahana: sopa feita da mistura de grãos fermentados e iogurte.

Referências

  1. a b c Spices and Seasonings:A Food Technology Handbook - Donna R. Tainter, Anthony T. Grenis, p. 223
  2. (em inglês) “Lemon is a Greek Perversion” no site Aglaia’s Table in Kea Cyclades
  3. greekcuisine
  4. Dalby, p.190
  5. John Ash, A Byzantine Journey

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Dalby, Andrew. Siren Feasts: A History of Food and Gastronomy in Greece, London, 1996. ISBN 0-415-11620-1. (Mostly about ancient and Byzantine food.)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Flag-map of Greece.svg Grécia
História • Política • Regiões • Geografia • Economia • Demografia • Cultura • Turismo • Portal • Imagens