Cultura Harifiana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A cultura Harifiana desenvolveu-se no Sinai e Negev entre 10.800/10.500-10.200/10.000 AP, sendo uma representante notável de adaptabilidade as condições locais.[1] Os harifianos era nômades e viviam em casas semi-subterrâneas aproximadamente alinhadas e com fornos.[1] São considerados como migrantes do Faium e dos desertos do leste do Egito durante o mesolítico final, tendo eles se fundido com a cultura Pré-cerâmica Neolítica B, cujo instrumento de aglutinação se assemelha à dos harifianos, que levou à Circum Arabian Nomadic Pastoral Complex (Complexo Pastoril do Círculo de Árabes Nômades), um grupo de culturas que inventaram o pastoreio nômade, e pode ter sido a cultura que espalhou as línguas protossemíticas em toda Mesopotâmia.[2]

A indústria lítica harifiana era baseada em micrólitos (especialmente a ponta Harif), lunates, raspadores, ferramentas em forma de triângulos isósceles.[3] Os restos faunísticos indicam subsistência baseada na caça (gazelas, ovelhas selvagens, lebres, onagros, auroques e moluscos).[1]

Referências

  1. a b c Harifian (em inglês). Visitado em 12 de março de 2012.
  2. Juris 1990, p. 31-65
  3. PreHistoric Har Harif (em inglês). Visitado em 12 de março de 2012.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Juris, Zarins. ({{{mês}}} 1990). "Early Pastoral Nomadism and the Settlement of Lower Mesopotamia". Bulletin of the American Schools of Oriental Research (280).