Cultura escolar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Categoria de análise da historiografia da educação que visa distinguir os processos de transmissão cultural de uma dada sociedade dos processos de transmissão da cultura escolar.

A cultura escolar refere-se às práticas e modos de transposição didática de diferentes conteúdos, comportamentos e normas sociais relizados na escola. A percepção da distinção entre cultura e cultura escolar surge no sentido de especificar, em profundidade, esta última: devido aos diferentes investimentos, simbólicos e materiais, de diversos países na Educação, as escolas configuraram-se, em sua generalidade, enquanto espaços estratégicos para inculcação de uma visão de mundo. Por exemplo, na escola não é proporcionado o aprendizado da relação do sujeito com a língua, mas o aprendizado de um modo específico de relação do sujeito com a língua. Além disso, pode-se perceber elementos da cultura escolar na arquitetura escolar (prédios especificamente construídos para abrigar escolas, por exemplo), no mobiliário escolar (carteiras, lousa, giz, materiais didáticos, por exemplo) e nos livros escolares (surgimento dos livros didáticos e de editoras especializadas na criação destes).

Marcam o surgimento também da cultura escolar a criação de áreas de especialidades da psicologia, história, filosofia e sociologia: a Psicologia da educação, a História da educação, a filosofia da educação e a sociologia da educação.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • BENCOSTTA, Marcus Levy (org.) Culturas escolares, saberes e práticas educativas: itinerários históricos. São Paulo: Cortez, 2007.
  • FARIA FILHO, Luciano Mendes de, VIDAL, Diana et all. A cultura escolar como categoria de análise e como campo de investigação na história da educação brasileira. Educação &Pesquisa, vol. 30, nr. 1, jan./abr., 2004.
  • FRAGO, Viñao Antonio. Historia de la educación e historia cultural. Revista Brasileira de Educação, SP, nº 0, p. 63-82, set./dez., 1995.
  • FRAGO, Viñao Antonio. Currículo, Espaço e Subjetividade: A Arquitetura como Programa. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.