Cultura da Rússia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cultura russa)
Ir para: navegação, pesquisa
Ovo Fabergé de 1906.

A cultura da Rússia, cujas raízes remontam aos primeiros eslavos orientais, é produto de uma sociedade etnia multiétnica, embora dominada pelo idioma russo e pelo povo russo, que constitui a maioria da população. Os outros povos foram aculturados mediante um processo de russificação, no qual foram utilizados instrumentos legais, tais como o ucasse de Ems (um decreto do czar Alexandre II da Rússia Alexandre II firmado por ele durante suas férias na cidade de Bad Ems, Alemanha, em 1876. Esse decreto proibia o uso da língua ucraniana na imprensa escrita, exceto no caso de reimpressão de documentos antigos. O ucasse também proibia a importação de publicações em ucraniano, bem como a representação teatral e o ensino do ucraniano nas escolas.

A cultura da antiga Russia acabou sendo fortemente influenciada pela conversão ao cristianismo ortodoxo, pela arte e pela arquitetura bizantinas, dado que a Igreja possuía recursos para encomendar grandes obras de arte.

Por volta de 1890, novas formas de arte tiveram seu auge, com as vanguardas russas, que se desenvolveram por algum tempo, já sob o regime soviético, até que o governo assumiu o controle de toda atividade artística.

A política cultural da URSS foi ambivalente: por um lado, motivada politicamente, visava criar um povo exclusivamente "soviético", a partir da noção de cultura soviética, sendo o realismo socialista a mais conhecida expressão dessa diretriz; por outro lado, empreenderam-se campanhas de preservação das diferente culturas nacionais, com apoio às práticas folclóricas, além de que cada etnia tinha seus próprios "grandes escritores autóctones".

Língua e literatura[editar | editar código-fonte]

A literatura russa foi constituída por alguns dos mestres da grande literatura universal, como Alexander Pushkin, Fiodor Dostoievski, Lev Tolstoi, entre outros, que produziram obras clássicas, como Guerra e Paz, Ana Karenina, Crime e Castigo, Pais e Filhos, entre outras.

Arquitectura e monumentos[editar | editar código-fonte]

Igreja de Ostrov - Estilo da Moscóvia.
Igreja de madeira em Kizhi
Igreja de madeira em Suzdal

Em termos estilísticos, os períodos de Arte Russa são dividos da seguinte forma:

  • Rússia Medieval (988-1230)
  • Pré-Muscóvia (1230-1530)
  • Estilo de Muscóvia (1530-1630)
  • Pós-Muscóvia (1612-1712)
  • Rússia Imperial (1712-1917)
  • Pós-Revolução (1917-1932)
  • Pós-Guerra Soviética
  • Rússia Moderna

Durante séculos, o material de construção mais usado era madeira. Até hoje, por todo o país há muitos edifícios de madeira, de casas comuns até belíssimas igrejas. Há museus de arquitectura de madeira em Suzdal e Kizhi.

Na Rússia Medieval, os monumentos têm muita representação do cristianismo antes e depois do Cisma do Oriente.

Esta corrente estilística precedeu as correntes estilísticas que viriam a ser usadas independentemente na Ucrânia e na Bielorrússia.

Todas outras correntes foram sucessivamente melhorando, quer em termos de riqueza quer em termos de elegância. Porém, a cúpula é a forma mais usada pelos russos no seus monumentos.

O estilo russo é muito interessante e original em relação aos do resto da Europa.

Arte e museus[editar | editar código-fonte]

Trinidade, Andrei Rublev, século XV

A Rússia tem uma tradição ortodoxa de vários séculos. Ícones russos são conhecidos por todo o mundo. Nos séculos XIX e XX desenvolvem-se vários estilos artísticos, inclusive a célebre vanguarda russa.

Há vários estilos da arte decorativa tradicional, entre os quais gzhel, khokhloma, palekh.

A Galeria Tretyakov em Moscovo, o Museu Russo e o Museu Hermitage, ambos em São Petersburgo, são centros onde pode-se ver pricipais obras primas da arte russa. Sua Academia de Arte é uma das mais importantes do mundo.

Música, teatro e cinema[editar | editar código-fonte]

A música russa é extremamente rica e diversificada. Do ballet ao rock, do POP ao Rap, do Hard Rock à erudita, destacam-se inúmeros compositores, cantores, escritores, etc.

Na música erudita destacam-se grandes compositores como Tchaikovski e Rachmaninoff.

A era soviética traz novidades como cantores a solo, novos instrumentos, orquestras menores. Os grandes cantores foram Leonid Utyosov, Alexander Vertinsky, Konstantin Sokolsky, Pyotr Leshchenko...

Durante a Perestroika, muitos compositores e cantores foram revelados. Trouxeram o rock e o Pop.

Formaram-se bandas como Kino, Nautilus Pompilius, Alisa, Aria, DDT. Algumas delas ainda estão vivas.

Finda a URSS, a música russa vai-se diversificando em todos os temas da música como o Trance, o rock, o pop, a disco.

Bandas conhecidas no mundo foram formadas graças à liberalização das ideias. Algumas delas são as T.A.T.u, Linda, Catharis, Zemfira, etc.

Teatro Bolshoi em Moscovo e Teatro Mariinsky em São Petersburgo (na época soviética conhecido como Ballet Kirov) são dois centros do ballet russo conhecidos no mundo.

Cinema russo é também muito conhecido, a partir dos inícos do século XX (Sergei Eisenstein, Vsevolod Pudovkin, etc.).

Culinária[editar | editar código-fonte]

A culinária russa é especializada em sopas. Utiliza-se muito das raízes, tais como batatas, beterrabas, cenouras e até o nabo, que produz a raiz forte russa, chama Gren. Trabalham muito com derivados do leite, tais como o kefir, smetana e tvorog. Com ervas e verduras específicas, tais como o dill, o estragão ou a azedinha, que garantem sabores ainda desconhecidos por muitos, a culinária russa é uma surpresa bastante agradável.

Em São Paulo pode-se provar as iguarias russas no Camarada Bistrô, que fica no bairro dos Jardins.

Superstições[editar | editar código-fonte]

O povo russo é muito supersticioso. Aqui vão alguns exemplos:

  • Antes de viajar, os viajantes têm de fazer um momento de silêncio.
  • Após alguém sair de casa para uma viagem, ninguém deve fazer as limpezas durante a ausência do proprietário.
  • Partir um espelho não dá azar, mas olhar-se através de um partido, provoca sete anos de azares seguidos.
  • Se fores ser examinado, não faz a tua cama e veste-te como novo. Dá sorte.
  • Os aniversários devem ser celebrados no fim-de-semana a seguir ao dia do aniversariante, a não ser que este dia calha num Sábado ou num Domingo.
  • Falar do futuro ou gabares-te do teu futuro pode dar azar.
  • Caso te tenhas esquecido de alguma coisa, antes de a ires recuperar, vê-te no espelho senão o regresso poderá ser caótico.
  • Os solteiros não devem sentar-se nas esquinas, senão, não casam.
  • A dares uma carteira, esta deve ter sempre algum dinheiro lá dentro, senão o presenteado poderá ter azar na sua vida financeira.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências


Ícone de esboço Este artigo sobre Cultura é um esboço relacionado ao Projeto Cultura. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.