Cumas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ruínas do Templo de Zeus em Cumas

Cumas (em grego: Κύμη ou Κύμαι; em latim: Cumae; em italiano: Cuma) foi um antiga colónia grega fundada em cerca de 750 a.C. na Campânia, a cerca de vinte quilómetros de Nápoles, na Itália.

Foi a primeira colónia grega fundada na Península Itálica, segundo relato de Estrabão. Os colonos eram oriundos da Calcídia, na Grécia, mas já se tinham fixado alguns anos antes na ilha de Pitecussas (moderna Ísquia), situada frente a Cumas. A cidade viria a fundar as próprias colónias, Zancle (moderna Messina, fundada em 725 a.C.) e Nápoles (fundada em 600 a.C. e cujo nome significa "nova pólis")

A cidade estabeleceu relações comerciais com os etruscos, aos quais fornecia produtos como vasos de cerâmica de Corinto, assim como bens provenientes da Síria e Fenícia. Cumas viria também a envolver-se em conflitos com os etruscos.

Em 524 a.C. Aristodemo derrotou os etruscos, tornando-se tirano da cidade. Em 474 a.C., aliada a Siracusa governada por Hierão I, Cumas conseguiu derrotar os etruscos numa batalha naval. Contudo, os Samnitas, um povo da Itália, tomaram a cidade em 428 a.C. (ou 421 a.C.). A cultura grega desapareceu então da localidade.

Cumas foi conquistada por Roma em 338 a.C., tendo se tornado uma cidade pouco relevante durante Império Romano. Sobreviveu até 1205, ano em que foi destruída.