Curdistão iraquiano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Localização do Curdistão iraquiano.
Curdistão iraquiano

O Curdistão iraquiano, conhecido localmente como Região do Curdistão (em curdo: Herêmî Kurdistanî; em árabe: إقليم كردستان, transl. Iqlīm Kurdistān) ou Curdistão do Sul (curdo: باشووری کوردستان, Başûrî Kurdistan) é uma região federal autônoma[1] do Iraque. Faz fronteira com o Irã a leste, a Turquia a norte, a Síria a oeste e com o resto do Iraque no sul. Sua capital é a cidade de Arbil (curdo: Hewlêr). A região é governada oficialmente pelo Governo Regional do Curdistão.

A fundação da Região do Curdistão no Iraque data do acordo de autonomia feito em março de 1970 entre a oposição curda e o governo iraquiano, após anos de combates pesados. Mesmo após o acordo, no entanto, as guerras entre o Curdistão e o Iraque tiraram boa parte da soberania que os curdos gozavam anteriormente. A Guerra Irã-Iraque, durante a década de 1980, e a campanha genocida em Anfal do exército iraquiano devastou a população do território, e após a revoltas de 1991 contra Saddam Hussein os curdos foram forçados a fugir do país e se tornarem refugiados nas regiões fronteiriças no Irã e Turquia. A criação da zona de tráfego aéreo interditado, após a Guerra do Golfo (1991) facilitou o retorno destes refugiados, e o Curdistão obteve uma independência de facto. A invasão do Iraque de 2003 e as mudanças subsequentes no Iraque pós-Saddam levaram à ratificação da nova constituição iraquiana, em 2005, estipulando que o Curdistão iraquiano é uma entidade federal reconhecida pelo Iraque e pelas Nações Unidas.

O Curdistão é uma democracia parlamentar, com uma assembleia nacional com 111 cadeiras.[2] Seu presidente atual é Massoud Barzani, eleito durante as eleições locais (realizadas a cada quatro anos) de 2005. As três províncias de Duhok, Arbil e Sulaymania abrangem um território de cerca de 40.000 quilômetros quadrados, e uma população de entre 4 e 6,5 milhões de habitantes. Ainda existem disputas entre o governo central iraquiano e o governo do Curdistão a respeito de territórios de maioria curda fora das fronteiras atuais do Curdistão iraquiano.

Como uma das principais forças econômicas do Iraque, o Curdistão tem as mais baixas taxas de pobreza e o mais alto padrão de vida do país.[3] É a região mais estável e segura do Iraque, e nenhum soldado estrangeiro estacionado ali foi morto, ferido ou sequestrado desde a invasão do país, em 2003.[4] O território mantém suas próprias relações estrangeiras, e hospeda consulados e escritórios de representação de diversos países, entre eles as Nações Unidas, o Reino Unido, Alemanha, França, Itália, Israel e Turquia.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Viviano, Frank. (Janeiro 2006). "The Kurds in Control". National Geographic Magazine.
  2. http://www.krg.org/uploads/documents/About_Kurdistan_Regional_Government__2008_09_10_h13m52s30.pdf
  3. Nearly 25 percent of Iraqis live in poverty. MSNBC, 20 de maio de 2009 (visitado em 18-3-2010).
  4. The Kurdistan Region in brief. Governo Regional do Curdistão, 23 de abril de 2008 (visitado em 18-3-2010).
  5. Four Security Council member states have Erbil consulates. Iraq Updates, 6 de dezembro de 2007 (visitado em 18-3-2010).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Iraque é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.