Currais Novos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Currais Novos
"Princesa do Seridó"
"Capital da Scheelita"
"Capital do Motociclismo Potiguar"
"Maior Cidade do Seridó Oriental"
"Galvanópolis"
"Portal do Seridó"
"CN"
A partir da esquerda : Matriz de Sant'ana; Pico do Totoró; Pedra do Navio; Panorâmico Parcial Noturno da Cidade;  Praça Cristo Rei; Palácio Prefeito Raul Macêdo (Prefeitura Municipal); Pórtico dos Mineradores; e a BR-427.

A partir da esquerda : Matriz de Sant'ana; Pico do Totoró; Pedra do Navio; Panorâmico Parcial Noturno da Cidade; Praça Cristo Rei; Palácio Prefeito Raul Macêdo (Prefeitura Municipal); Pórtico dos Mineradores; e a BR-427.
Bandeira de Currais Novos
Brasão de Currais Novos
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 20 de Outubro de 1890 (123 Anos)
Fundação 20 de Outubro de 1808 (206 Anos)
Gentílico curraisnovense
Lema Nosso Bem Maior
Prefeito(a) José Vilton da Cunha (PR)
(2013–2016)
Localização
Localização de Currais Novos
Localização de Currais Novos no Rio Grande do Norte
Currais Novos está localizado em: Brasil
Currais Novos
Localização de Currais Novos no Brasil
06° 15' 39" S 36° 30' 54" O06° 15' 39" S 36° 30' 54" O
Unidade federativa  Rio Grande do Norte
Mesorregião Central Potiguar IBGE/2008[1]
Microrregião Seridó Oriental IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Norte: Lagoa Nova e Cerro Corá; Sul: Frei Martinho e Picuí, ambas na Paraíba; Leste: Campo Redondo e São Tomé; e Oeste: São Vicente e Acari.
Distância até a capital 172 km[2]
Características geográficas
Área 864,341 km² [3]
População 42 934 hab. (RN: 9º) –  IBGE/2012[4]
Densidade 49,67 hab./km²
Altitude 341 m
Clima semiárido BSh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,691 (RN: 6°) – médio PNUD/2010[5]
PIB R$ 303 765,000 mil IBGE/2010[6]
PIB per capita R$ 5 615,38 IBGE/2008[6]
Página oficial

Currais Novos é um município brasileiro no interior do estado do Rio Grande do Norte. Pertence à Mesorregião do Central Potiguar e à Microrregião do Seridó Oriental. Localizado a 172 km da capital estadual, Natal.[2] Sua Área é de 864,34 km² representando 1.6371% do Estado, 0.0556% da Região e 0.0102% de todo o território brasileiro. Currais Novos se encontra na região do Seridó, na região central do estado junto à divisa com o estado da Paraíba. Considerada um centro sub-regional, suas principais atividades econômicas são a agricultura, pecuária e a extração mineral. Desde o início de sua fundação, a cidade sempre se destacou e se diferenciou das outras cidades adjacentes, avançando repentinamente em vários aspectos, sendo eles arquitetônicos, econômicos, geográficos, hierárquicos, culturais, entre outros. No século XX a cidade já contava com idéias cosmopolitas e progressistas possuindo código de postura de acordo com os prenúncios que regem o progresso e a civilidade da nação brasileira, se tornando uma das cidades mais urbanizadas e modernas do país , portanto sendo comparada aos principais centro urbanos existentes.[7] Sendo uma das cidades mais importantes e influentes do Nordeste e a principal da região[8] é sede da AMSO (Associação dos Municípios da Micro Região do Seridó Oriental) e também da 9ª DIRED (Diretoria Regional de Educação e Desporto), RPTV (Rede Potiguar de Televisão Educativa e Cultural), CDL (Câmara dos dirigentes Lojistas) entre várias e outras empresas, realiza eventos esportivos e escolares como o JERNs e JOMEC pois tem um papel centralizador e de influência nos demais municípios da localidade. Foi a primeira cidade do Norte-Nordeste a possuir TV a Cabo , e ainda hoje se destaca pela a abundância de meios de comunicação. A cidade é marcada pelo a maior tragédia de sua história, o desastre de 13 de maio. O fato trágico aconteceu quando um ônibus desgovernado atropelou dezenas de fiéis que participavam da tradicional procissão em honra a Nossa Senhora de Fátima na Avenida principal do Bairro Paizinho Maria, em 13 de maio de 1974, tirando a vida de vinte e cinco fiéis católicos e deixando dezenas de pessoas feridas.No local foi construído um monumento aos mortos ao lado da Praça Aproniano Pereira, onde existe uma lápide com o nome de todos os que morreram na tragédia. Fato esse que teve repercussão mundial e completou-se 40 anos no ano de 2014. Outro acontecimento foi ocorrido recentemente , foi o falecimento da menina Sara, que lutava contra uma leucemia e levava o apoio de sua família e de várias pessoas no estado principalmente em Currais Novos, que em seu velório levou comoção e repercussão nacionalmente.[9]

Seu simbolo turístico é a estátua "Cristo-Rei", réplica fiel, mas em menor proporção, da estátua do Cristo Redentor, que foi trazida da França e doada por Cel. Manoel Salustino em 1937.[10] A cidade destaca-se pelo Carnaxelita, maior micareta do interior do estado e que notadamente atrai turistas de várias partes do interior nordestino e também pelo o Cactus Moto Fest, um dos maiores eventos motociclísticos do País e a Festa de Sant'ana uma das maiores e mais tradicionais festas religiosas do estado, e pelo o Exponovos evento que engloba (Torneio Leiteiro de Bovinos e Caprinos; Leilão Agropecuário; Palestras Técnicas; Julgamento de Raças de Bonvinos; Rodeio - Circuito Nacional / Etapa Nordeste e Festa do Leite) , e o Festival Gastronômico de Currais Novos criado com o objetivo de valorizar o que há de melhor na culinária da região, e ainda o Pé na Trilha um evento ecoturístico objetivando promover a divulgação do Ecoturismo na Região do Seridó.

De forte formação geológica, o município também se destaca por abrigar a Mina Brejuí, a maior mina de scheelita da América do Sul[11] e o Canyon dos Apertados, único canyon de rocha granítica do mundo.

De acordo com a estimativa realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2014, sua população é de 44 710 habitantes, o que classifica Currais Novos como o município mais populoso do estado[12] e o sexto maior em área urbana .

História[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

A cidade de Currais Novos foi colonizada inicialmente por Criadores de Gado, dentre os quais o mais importante foi Cipriano Lopes Galvão, nomeado Coronel do Regimento de Cavalaria da Ribeira do Seridó pelo então governador Pedro de Albuquerque Melo, e agricultores que têm em sua origem cristãos-novos vindos dos Açores e de Portugal continental.

Cipriano Lopes Galvão veio de Igarassu- PE com sua esposa Adriana de Holanda e Vasconcelos no ano de 1754 para a região do Totoró. No local, fixou residência e fundou uma fazenda de gado. Quando requereu as terras em 1754, cujo requerimento consta no livro número 5 de Sesmarias do Rio Grande do Norte, já morava no local há anos e tinha seu rebanho bovino com os devidos empregados, chamados de vaqueiros. É certo que sua sesmaria abrangia desde a bifurcação entre os rios Totoró e Maxinaré até a região do Rio São Bento.

Na época, não existia o município de Acari nem o de Vila do Príncipe (atual Caicó) e toda a região, então denominada Ribeira do seridó, pertencia à Paraíba.

Aproveitando as boas pastagens que o Rio São Bento oferecia, o gado de seu rebanho se deslocava até aí para se alimentar e beber, fato que dificultava o trabalho dos seus empregados. Observando tal dificuldade, resolveu construir currais de pau-a-pique, com troncos de aroeira, nos quais tirava- se o leite das vacas, adestrava-se os bezerros e marcava-se o restante do gado com o método do ferro moldado e aquecido no fogo. Contavam com uma infra- estrutura para a troca e comercialização, bem como para a hospedagem dos parceiros comerciais. A partir destes, casas começaram a ser construídas e vários outros fazendeiros passaram a requerer terras nas circunvizinhanças para aproveitar a proximidade com a emergente feira de gado.

Origem e evolução do nome[editar | editar código-fonte]

Com o crescimento da feira de gado, o Coronel Cipriano resolveu desmembrar o espaço de suas terras, dando-lhe o nome de Fazenda Bela Vista. Após sua morte em 1764, seu filho, o Capitão- Mor Cipriano Lopes Galvão Filho, assumiu os negócios, reformou os currais e investiu cada vez mais no comércio do gado. Bela Vista foi ficando casa vez mais movimentada, já que era ponto de encontro comercial de várias partes do estado. Todos os tropeiros e viajantes marcavam suas reuniões nos "Currais Novos do Capitão", nome pelo qual o crescente povoado passou a ser designado.

A partir de 1813, com a morte do seu dono, mudou-se o nome definitivamente para povoado Currais Novos, nome que persiste até os nossos dias, a preferência pelo nome "Currais Novos" fundamenta-se na troca feita pelos moradores, isto é, as pessoas que residiam próximo aos currais velhos existentes no povoado passaram a residir perto dos novos currais.

No início do século XX, surgiu dentre os mais influentes a proposta de mudança do nome para Galvanópolis, em homenagem ao fundador. Tal idéia, apesar de ter ganhado força, não atingiu seu objetivo, uma vez que o próprio nome Currais Novos já relembra toda a origem e história do município.

Da promessa surge a cidade[editar | editar código-fonte]

Imagem de Santa Ana comprada pelo Coronel Cipriano Lopes Galvão para ser colocada no altar-mor na Capela, construída em 1808.
Hino oficial de Sant'Ana, de autoria de Vivaldo Pereira de Araujo (letra) e Maestro Santa Rosa (música), na voz do Coral de Sant'Ana.

No ano de 1755, houve uma grande seca. O Coronel Cipriano Lopes Galvão viu-se muito aflito com a inexistência de água para seu rebanho.

Celestino Alves, em Retoques da História de Currais Novos, nos cita: O Capitão fez uma promessa: se Deus fosse servido para que chovesse e enchesse as cacimbas para escapar o gado, ele erigiria uma capela em homenagem à gloriosa Senhora Santa Ana na sua fazenda. Tal promessa foi feita em 26 de julho, dia em que a água acabou totalmente. Na mesma noite , choveu e os rios e cacimbas encheram, formando um novo poço próximo aos currais, ao qual chamou de Poço de Sant'Ana.

Em 1808, a dita promessa foi cumprida com a construção da capela por seu filho, o Capitão-Mor Cipriano Lopes Galvão, que teve sua autorização outorgada pelo Bispo de Olinda em 24 de fevereiro de 1808, tendo o lançamento da pedra fundamental ocorrido em 26 de julho do mesmo ano pelo padre Francisco Brito Guerra. A doação de meia légua de terras na ponta da Serra do Catunda está registrada em escritura lavrada em 5 de janeiro de 1808.

A partir daí começou a construção acelerada de casas ao redor do templo e surgiu o início da construção da atual zona urbana.

Povoado, distrito, vila e município emancipado[editar | editar código-fonte]

O Totoró ficava na Ribeira do Seridó, pertencente à comarca da Paraíba. Criado o município de Caicó em 31 de julho de 1788, com a denominação oficial de Vila do Príncipe, Currais Novos passou a partencer a Caicó.

Depois da morte do idealizador da capela em 13 de dezembro de 1813, o Capitão Gonsalo Lopes Galvão ficou na chefia das terras e do povoado. Organizou a construção das casas obedecendo o alinhamento de ruas, construiu a primeira casa paroquial e a primeira escola (só para meninos, como era de costume), além de outras obras de urbanização.

Passou então ao município de Acari com a criação deste em 11 de abril de 1833.

Durante o reinado de Dom Pedro II, a povoação foi instituída Distrito de paz, através da resolução provincial nº 301 de 6 de setembro de 1854.

A Vila foi criada e desmembrada de Acari em 15 de outubro de 1890 pelo Decreto Estadual nº 59, do então governador provisório Pedro Velho de Albuquerque Maranhão, com instalação em Sessão Solene realizada no dia 26 de fevereiro de 1891 pelo então presidente da Intendência acariense, O Capitão Cipriano Bezerra de Santa Rosa.

Após o desmembramento, o município de Currais Novos teve sua área delimitada pelo topógrafo Juventino da Silveira Borges. A posse da Intendência foi solenizada pelo Governador do Estado, sendo constituída pelos cidadãos: Laurentino Bezerra de Medeiros Galvão (presidente), seguindo-se dos Conselheiros (no papel de vereadores) Juventino da Silveira Borges, Sérvulo Pires de Albuquerque Galvão Filho, Francisco Bezerra de Medeiros e Moisés de Oliveira Galvão

O município foi elevado à condição de cidade pela Lei nº 486, de 29 de novembro de 1920, sancionada pelo Governador Antônio José de Melo e Souza, no 32º ano da República. Nessa época, a população era de 14 mil habitantes, com 12 ruas, 1 avenida, 2 praças e 3 travessas.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima Currais Novos é caracterizado Semiárido, tipo BSh segundo a Classificação mundial de Köppen-Geiger[13] , com sua estação chuvosa sujeita a atrasar-se para o outono, com regime irregular de chuvas, o que acontece entre os meses de janeiro a junho, com média de precipitação pluviométrica anual de 579,0 mm. O município apresenta grande amplitude térmica, com média de 26 °C, mínima de 20 °C e máxima de 31 °C. Em um ano a cidade apresenta 2700 horas de insolação, com umidade média anual de 65%.[14] A incidência de descargas elétricas é de 2.89 raios por km².[15]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Currais Novos Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 33 32 32 32 31 29 28 30 31 33 33 33 31
Temperatura mínima média (°C) 23 22 22 22 20 19 18 19 20 21 22 23 20
Precipitação (mm) 67,0 76,1 115,2 145,8 81,4 52,3 19,0 8,5 1,0 5,3 0,0 6,3 579,0
Fonte: METSER[16] 04 de outubro de 2013

Relevo[editar | editar código-fonte]

O município de Currais Novos está inserindo em terrenos do Planalto da Borborema, com altitudes variando entre 200 e 500 metros. As principais serras são a do Chapéu, Vermelha, do Piauí, do Doutor e de São João.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

O principal ecossistema da cidade é a Caatinga do Seridó, vegetação de transição entre o campo e Caatinga Arbórea, com árvores de porte médio e baixo, e abundância de cactos e manchas desnudas. Ainda se faz presente na região a Floresta Subcaducifólia, na Serra de Santana.

Segundo o Plano Nacional de Combate à Desertificação (PNCD), que define desertificação como a degradação de terras nas zonas áridas, semi- áridas e sub- úmidas, resultante de fatores diversos tais como as variações climáticas e as atividades humanas, Currais Novos está inserido em uma área susceptível em categoria muito grave.

Hidrografia e recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

Pico do Totoró e, logo abaixo, o sangradouro do Açude Totoró.

É marcada pela temporariedade de seus rios, ou seja, rios que secam em um período do ano em decorrência do desprovimento de chuvas. No entanto, também existem rios de regime perene ( que não secam )no agreste e no litoral. Dentre os rios que compõem a hidrografia, os principais são: Mossoró, Apodi Assu, Piranhas, Potengi, Trairi, Jundiaí, Jacu, Seridó, Curimataú.

Economia[editar | editar código-fonte]

A cidade cresceu e desenvolveu-se através da criação de gado bovino e teve toda a sua história atrelada a ciclos econômicos bem definidos, sendo o primeiro o ciclo do gado, sucedido pelo ciclo do algodão e depois pelo ciclo da mineração, liderado pela Mina Brejuí, fundada em 1943 pelo então desembargador Thomáz Salustino Gomes de Melo.

Durante décadas a Mina Brejuí foi a maior exportadora de sheelita do hemisfério sul do planeta até quando teve um declínio na década de 1990 e retomou as suas atividades no ano de 2006, voltando novamente a ser um dos maiores exportadores de scheelita do mundo e gerando 200 empregos diretos, com perspectiva de expansão do setor, ligado, também, ao turismo, desenvolvido nos túneis inativos, nas trilhas e no Memorial Thomáz Salustino, museu que conta a história da família de mesmo nome e dos tempos áureos da mineração.

O artesanato mineral está em alta e contribui em muito para a divulgação da cidade nacionalmente e internacionalmente.

A pecuária é extensiva, envolvendo, principalmente, a criação de suínos, bovinos, eqüinos, asininos, muares, ovinos, caprinos e coelhos (ainda inexpressiva). A produção de leite bovino e caprino vem se destacando e é uma das maiores regiões produtoras do Seridó.

A agricultura também segue o regime extensivo, muitas vezes de subsistência, envolvendo a policultura. Destaca- se, na horticultura, a produção de coentro, tomate, alface e pimentão. Apresenta limitações muito fortes no uso agrícola, principalmente pela falta d'água, erosão e pelos impedimentos do uso de maquinários, em decorrência do solo pedregoso, rochoso e meio acidentado.

Destaca-se ainda a pesca, a extração vegetal e mineral (principalmente de sheelita) e a silvicultura.

O pólo turístico está em formação, com a abertura de novos hotéis e pousadas e a divulgação emprendida pela Prefeitura Municipal e outros setores nas diversas áreas do país.

Em 2002, conforme estimativas do IBGE, o PIB era de R$ 96,208 milhões e o PIB per capita, R$ 2.358,00.

Produção agrícola[editar | editar código-fonte]

IBGE (2003)
Lavoura Quantidade produzida (ton.) Valor da produção (R$ mil) Área plantada (ha.) Área colhida (ha.) Rendimento médio (kg/ha.)
Castanha de caju 7 7 24 24 291
Batata-doce 60 15 10 10 6.000
Coco-da-baía 288 (mil frutos) 115 72 72 4.000 (frutos/ha.)
Feijão (em grão) 32 48 785 88 363
Goiaba 33 20 11 11 3.000
Manga 360 90 60 60 6.000
Milho 17 9 775 39 435
Tomate 840 336 28 28 30.000
Mamão 750 150 10 10 75.000
Maracujá 14 4 3 3 4.666
Melancia 84 17 3 3 28.000

Pecuária[editar | editar código-fonte]

IBGE (2003)
Rebanho Efetivo (cabeças)
Bovino 16.331
Suíno 1.190
Eqüinos 515
Asininos (jumentos) 1.090
Muares (mulas) 259
Ovinos 5.992
Galinhas 47.071
Galos, frangas, frangos e pintos 86.384
Caprinos 2.070
Vacas ordenhadas 5.089
IBGE (2002)
Gênero Produção
Leite de vaca 7.664 (mil litros)
Ovos de galinha 717 (mil dúzias)
Mel de abelha 4.205 (kg)

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Há o Hospital Regional Doutor Mariano Coelho que pela sua parte filantrópica possui o nome de Hospital Padre João Maria e Maternidade Ananília Regina, Pronto Atendimento da UNIMED, 7 postos de saúde, 5 clínicas particulares (com diversas especialidades) e 3 laboratórios de análises clínicas.

Educação[editar | editar código-fonte]

Há 14 escolas municipais, 1 centro de reabilitação, 7 escolas estaduais, 5 escolas particulares, 2 cursinhos pré- vestibulares, 1 escolas de ensino profissionalizante, 2 escolas de ensino de idiomas, 1 unidade de ensino do IFRN, 1 campus da UFRN que dispõe os cursos presenciais de Administração, Letras e Turismo, e Matemática, Física e Química com ensino à distância; além de 3 universidades particulares.

Meios de comunicação[editar | editar código-fonte]

Há 2 rádio- emissoras FM:Serta 95 FM e Antena 3 FM; 2 AM: Rádio Ouro Branco e Rádio Currais Novos; Um sistema local de TV a Cabo por assinatura dispondo de 4 canais locais de televisão: Canal 4 Sidy's TV a Cabo, canal 5 TV Cristo Rei,canal 20 TV Câmara e canal 57 TV COM. Existe também uma concessionária de serviço de Internet a Cabo feito pela própria Sidys; 3 concessionárias de sinal de Internet a Rádio.

Dados estatísticos[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

IBGE (2003)
Ensino Alunos matriculados Professores
Infantil 2.361
Fundamental 7.779 397
Médio 3.123 137

Dentre os projetos do Plano de Desenvolvimento da Educação, vinculado ao Ministério da Educação, executado pelo INEP, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, na Região Nordeste, Estado do Rio Grande do Norte, as Escolas Públicas Urbanas estabelecidas no Município de Currais Novos obtiveram os seguintes IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), em 2005:

IDEB, escola e ranking estadual
Nota Escola Ranking
3,8 Escola municipal Ausônio Araújo 32º
3,5 Escola municipal Presidente Castelo Branco 61º
3,4 Escola municipal de Nossa Senhora 83º
3,3 Escola municipal Professor Socorro Amaral 104º
3,1 Escola municipal Professora Trindade Campelo 156º
3,0 Escola municipal Professor Salustiano Medeiros 176º
2,9 Escola municipal Francisco Leonis Gomes de Assis 209º
2,6 Escola municipal Gilson Firmino da Silva 325º
2,2 Escola estadual Professora Ester Galvão 470º
2,2 Escola municipal Professor Francisco Rosa 471º
  • Analfabetos com mais de quinze anos: 22,06% (IBGE, Censo 2010).

Saneamento urbano[editar | editar código-fonte]

IBGE (2000)
Serviço Domicílios (%)
Água 96,40%
Esgoto sanitário 90,80%
Coleta de lixo 95,22%

Saúde[editar | editar código-fonte]

  • 136 leitos hospitalares, dos quais 121 conveniados ao SUS e 16 particulares (2003, IBGE).
  • Mortalidade infantil: 27,4 p/mil (Ministério da Saúde/1998).
  • Esperança de vida ao nascer: 68,7 anos (IBGE, Censo 2000).

Cultura[editar | editar código-fonte]

Música[editar | editar código-fonte]

A tradicional banda de música "Maestro Santa Rosa", há mais de cem anos vem fazendo harmonizando as ruas largas de Currais Novos/RN. Existem também vários repentistas atuantes no município, como é o caso de Zé Lúcio, Zé Omar, entre outros. Os seresteiros também fazem parte do imaginário local. Na Década de 80 a banda Tártaros e a banda Tigres animaram as noites curraisnovenses.

Literatura[editar | editar código-fonte]

Os escritores Luís Carlos Guimarães e José Bezerra Gomes ficaram para a história do Rio Grande do Norte como dois grandes escritores. Atualmente, o Grupo Casarão de Poesia (Ponto de Leitura) tem realizado um movimento de valorização da poesia no município. Três de seus representantes, Iara Maria Carvalho, Luma Carvalho e Wescley J. Gama, venceram vários concursos no Estado do RN, como o Concurso Zila Mamede (do Jornal Potiguar Notícias) e o Concurso Luís Carlos Guimarães (Fundação José Augusto).

Na última década a produção literária curraisnovense teve um significativo avanço, tendo neste sentido grande importância o Curso de Letras do Campus local da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Dentre os integrantes deste movimento, que publicaram alguma obra, podemos citar: Adriano dos Santos (poesia e prosa), Aldenir Dantas (poesia), João Antônio de Medeiros Neto (poesia), Theo G Alves (poesia e prosa), Maria José Mamede (prosa), Maria José Gomes (poesia e prosa), Eva Salustiano (prosa), Antônio Guedes (poesia)e Assis Costa (poesia).

Teatro[editar | editar código-fonte]

Na década de 80 o grupo de Teatro Boca de Rua, coordenado por Jefferson Fernandes, realizou um importante trabalho com Teatro de Rua em Currais Novos. Atualmente alguns grupos, como Empório Dell'Arte, ONHOSEM Cristo e o Grupo Adoleart, procuram o teatro como forma de expressão.

Artes plásticas[editar | editar código-fonte]

Artistas como Francisco Iran e João Antônio, dentre outros, representam as astes plásticas do município. Ministrando aulas para a comunidade desde o início da década de 90, João Antônio já revelou outros grandes artistas, como Jennerson Fernandes, Assis Costas, Francinaldo Moura, Francisco Walter, dentre outros.

Atrações turístico- histórico- culturais[editar | editar código-fonte]

Monumento de Cristo Rei, localizado na praça de mesmo nome.

Já o turismo passou a ser uma nova fonte de recursos para Currais Novos que tem massificado investimentos nessa área, atraindo turistas, não só do próprio Rio Grande do Norte, mas de outros estados da federação e, também, de outras partes do mundo. A própria mina Brejuí, localizada a sete quilômetros da cidade, transformou-se em ponto de atração, abrindo suas instalações aos visitantes que podem percorrer os túneis inativos da mineradora, caminhar pelas trilhas da scheelita e conhecer a história da mineração curraisnovense, da família e do pioneiro na exploração da scheelita no Memorial Tomáz Salustino.

Outros pontos turísticos que merecem destaque, são: o povoado de Totoró, a nove quilômetros da cidade, onde se encontra o Museu Arqueológico; a Pedra do Navio, na saída da cidade em direção a Natal; o Canyon e a cachoeira dos Apertados; a Matriz de Sant´Anna; e o complexo urbano composto pelas praças Cristo Rei e desembargador Tomáz Salustino, onde se encontram a réplica da imagem do Cristo Redentor carioca em tamanho menor, o marco de fundação da cidade, o Hotel Tungstênio e o coreto. Também fazem parte do roteiro turístico municipal as festas pontuais como o “Carnaxelita” (carnaval fora de época); a Festa de Sant´Ana (padroeira do município); “Forronovos” (festividade junina); e a tradicional vaquejada de Currais Novos.

Principais Roteiros e Atrações da Cidade :

Imagem de São Joaquim, que está no altar-mor da Matriz de Sant'Ana, ao lado da imagem de Sant'Ana.

Esportes[editar | editar código-fonte]

Atletismo[editar | editar código-fonte]

A cidade de Currais Novos foi o berço de alguns grandes nomes no atletismo brasileiro, revelando nomes que hoje são destaque no cenário internacional: o medalhista panamericano e olímpico, Vicente Lenílson; Magnólia Figueiredo, que participou de 3 Jogos Olímpicos defendendo o nosso município, onde morou por muito tempo e Cláudio Richardson.

Currais Novos é um dos maiores celeiros de atletas do Norte e Nordeste dentre os vários atletas que hoje atuam no Sul do país.

Futebol[editar | editar código-fonte]

A cidade possuí dois clube de futebol profissional, a Associação Cultural e Desportiva Potyguar Seridoense e Currais Novos Esporte Clube. O clube Potyguar Seridoense foi Campeão Potiguar pela 2ª Divisão em 2007 e atualmente é o vice-campeão do Campeonato Potiguar 2009,.

Há diversos clubes de futebol amador na cidade, que disputam algumas ligas organizadas entre si, por exemplo, O Matutão, torneio amador realizado anualmente.

Exite também uma seleção na cidade a Seleção de Currais Novos onde disputa amistosos internacionais, mas até o momento (2014) não recebeu nem um convite.

Jiu-Jitsu[editar | editar código-fonte]

O esporte que mais cresce no mundo também evolui na cidade, Currais Novos hoje está entre as principais cidades do estado da modalidade a atual equipe WGT/HIKARI (Wanderson Gold Team) representa a cidade em varias competições dentro e fora do Rio Grande do Norte hoje a equipe tem campeões brasileiros, vários campeões norte nordeste e estaduais. A equipe é liderada pelo faixa preta Wanderson Marcelo membro da Federação Riograndense de Jiu-Jitsu e da Confederação Brasileira de Jiu Jitsu. Anualmente é realizado o Open Torre Forte de Jiu-Jitsu que a cada ano tem um número maior e expressivo de atletas.

Comunicação (2)[editar | editar código-fonte]

EMISSORAS DE RÁDIO

FM

Rádio 95 FM (91,1 FM) Rádio Antena 3 FM (87,9 FM)

AM

Rádio Currais Novos Rádio Ouro Branco

EMISSORAS DE TELEVISÃO ANALÓGICO

VHF

07 TV Tropical (Natal) (Rede Record) 09 InterTV Cabugi (Rede Globo) 13 TV Ponta Negra (Natal) (Sistema Brasileiro de Televisão)

UHF

19 TV Igreja Mundial (Rede 21)

TV A CABO (Canais Locais)

04 Sidys TV A Cabo 05 TV Cristo Rei 57 Tv Comunitária 55 Tv Câmara Municipal

Referências escritas[editar | editar código-fonte]

  • ALVES, Celestino. Retoques da História de Currais Novos. Brasília: Gráfica do Senado Federal, 1981.
  • SOUZA, Joabel R. de. Sant'Ana, uma bela festa; uma longa história. Currais Novos:s. ed., 2008. Impressão feita sob ajuda do Senador Garibaldi Alves Filho

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. a b FEMURN. Distâncias dos Municípios do Rio Grande do Norte a Natal-RN. Visitado em 7 de agosto de 2011.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  4. ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2012 (PDF) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (30 de agosto de 2011). Visitado em 31 de agosto de 2012.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 6 de agosto de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  7. http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/bitstream/1/9819/1/GenisonCM_DISSERT.pdf
  8. http://www2.ifrn.edu.br/ocs/index.php/congic/ix/paper/viewFile/1218/133
  9. http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2014/10/multidao-vai-velorio-de-menina-que-lutava-contra-o-cancer-junto-com-mae.html
  10. [1].
  11. [2].
  12. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas IBGE_Pop_2011
  13. Idema (2012). Aspectos físicos do RN 2012. Visitado em 18 de novembro de 2012.
  14. CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Agosto/2013). Monitoramento Climático do Brasil. Visitado em 2013.
  15. INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Agosto/2012). Ranking de descargas elétricas. Visitado em 2013.
  16. METSER - Currais Novos (em português) METSER/EMPARN.

[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira do Rio Grande do Norte.svg A Wikipédia possui o Portal do Rio Grande do Norte. Artigos sobre história, cultura, atrações, personalidades e geografia.
  1. http://www.cnguiaonline.com/index.php?option=com_content&view=article&id=48&Itemid=85