Cyrus Ingerson Scofield

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
C. I. Scofield, c. 1920

Cyrus Ingerson Scofield (19 de Agosto de 1843 – 24 de Julho de 1921) foi um teólogo estadounidense, ministro religioso, e escritor cujo o best-selling, Bíblia de Referência Scofield, popularizou o futurismo e o dispensacionalismo entre os fundamentalistas cristãos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cyrus Scofield nasceu em Clinton Township, em Michigan, o sétimo e último filho de Elias e Abigail Goodrich Scofield. Os ancestrais de Elias Scofield eram descendentes de Puritanos ingleses, mas a família se denominava episcopal. Abigail Scofield morreu três meses depois do nascimento de Cyrus, e seu pai casou-se pela segunda vez enquanto Cyrus ainda era menor[1] Detalhes de sua educação juvenil, são desconhecidos, mas não existem razões para se por em dúvida seu testemunho posterior de que ele amava a prática da leitura e que havia estudado sobre Shakespeare e Homer.[2]

Em 1861 Scofield morou na casa de parentes em Lebanon, Tenessee. No início da Guerra Civil Americana, aos 17 anos de idade Scofield serviu como soldado raso na 7ª Infantaria do Tenessee, e seu regimento lutou na Cheat Mountain, Sete Pinheiros, e a Antietam. Em 1862, depois de passar um mês no Hospital Chimborazo em Richmond, Scofield teve sua petição de liberação aceita.[3] Ele, então, retornou para Lebanon e foi, novamente, recrutado para os Serviços Confederados. Encaminhado para McMinnville (Tennessee), Scofield desertou e fugiu para trás das linhas da União em Bowling Green (Kentucky).[4] Após realizar o juramento de obediência à União, foi permitido a Scofield translado seguro para St. Louis (Missouri), local onde se estabeleceu.[5]

Em 1866, casou-se com Leontine LeBeau Cerrè, membra de uma proeminente família católica da França em St. Louis.[6] Scofield foi aprendiz no escritório de advocacia de seu cunhado e, então, trabalhou como adjunto no escritório de St. Louis, em seguida mudou-se para Atchison, Kansas no final de 1869. Em 1871, Foi eleito para a Casa dos Representantes do Kansas, primeiro por Atchison, por um ano e, num segundo momento, por Nemaha County. In 1873 ele trabalhou para a eleição de John J. Ingalls para senador do Kansas, e quando este venceu, indiciou Scofield para o “U. S. District Attorney for Kansas”—aos 29 anos, o mais jovem do país.[7] Não obstante, naquele mesmo ano, Scofield foi forçado a renunciar "sob uma nuvem de escândalos" por conta de suas questionáveis transações financeiras, nisso pode ser incluído aceitação de suborno, desvio de contribuições políticas direcionadas a Ingalls, e garantia de notas promissórias de bancos para forjar assinaturas.[8] . Pouco tempo depois, Scofield seria preso sob acusação de falsificação[9]

Talvez, em parte, por ser um alcoólatra confesso,[10] Scofield abandonou sua esposa e duas filhas durante este periodo.[11] Leontine Cerrè Scofield divorciou-se dele alegando abandono em 1883, e no mesmo ano Scofield casou-se com Hettie Hall von Wartz, ,com a qual teve um filho.[12]

De acordo com Scofield, sua conversão ao cristianismo evangélico deu-se através do testemunho de um amigo advogado.[13] Certainly by the late fall of 1879, Scofield was assisting in the St. Louis campaign conducted by Dwight L. Moody, and he served as the secretary of the St. Louis YMCA. Significantly, Scofield came under the mentorship of James H. Brookes, pastor of Walnut Street Presbyterian Church, St. Louis, a prominent dispensacionalista premilenista.[14]

Em Outubro de 1883, Scofield foi ordenado ministro da Igreja Congregacional— enquanto seu divórcio estava se processando, mas não, ainda, finalizado — Ele aceitou o pastorado de uma pequenas igreja de missões fundada por essa denominação, a qual veio a se tornar A Primeira Igreja Congregacional de Dallas, Texas, agora denominada Scofield Memorial Church.[15] A igreja aumentou de quatorze para mais de cinco mil membros antes dele renucniar seu pastorado em 1895.

Em 1888 Scofield assistiu a Conferência Bíblica do Niágara onde conheceu o missionário pioneiro do evangelismo na China, Hudson Taylor. A aproximação de Taylor das missões cristãs influenciou Scofield a fundar a Central Americana de Missões em 1890 (agora denominada CAM International [1]).[16]

Scofield também serviu como superintendente do “American Home Missionary Society” no estado do Texas e na Louisiana; e em 1890, ele ajudou a fundar o “Lake Charles College” (1890–1903) em Lake Charles, Lousiana. Como o autor do informativo "Rightly Dividing the Word of Truth" (1888), o próprio Scofield tornou-se um líder do premilenismo dispensasional, um precursor do fundamentalismo cristão do século XX.[17] Durante o início da década 1890, Scofield passou a se autoentitular Rev. C. I. Scofield, D.D.; Contudo, não existem quaisquer registros de qualquer instituição acadêmica que tenham lhe concedido este título honorífico de grau deDoutor em Divindade.[18]

Em 1895, Scofield foi chamado para pastorear a igreja fundada pelo evangelista Dwight Lyman Moody,a Igreja Congregacional Trinitariana de Northfield (Massachusetts), e, além disso, ele tentou, com limitado sucesso, encarregar-se da “Moody’s Northfield Bible Training School”.[19] Contudo, supostamente, Scofield voltou a pastorear sua igreja em Dallas em 1903, sua tão almejada Biblia de referências consumiu muito de sua energia, e muito de seu tempo antes de sua publicação, e este trabalho o deixou fisicamente muito fragilizado. Quando a Bíblia de Referência Scofield foi publicada em 1909, it quickly became the most influente declaração do premilenismo dispensacional, e a popularidade de Scofield como orador de confeências bíblicas cresceu ao mesmo tempo em que sua saúde continuava a declinar. Os direitos de exploração de patentes oriundos de sua obra foram substanciais, e Scofield construiu um grande patrimônio em Dallas, Ashuelot (New Hampshire), e Douglaston. Scofield, portanto, embarcou em seu prestígio. Lotos Club.[20]

Scofield deixou a independente Igreja Congregacional para tornar-se membro da Igreja Presbiteriana nos Estados Unidos e mudou-se para Nova York onde supervisionou o “New York Night School of the Bible”. In 1914 ele fundou a Escola Bíblica da Filadelfia, Pensilvania (agora Universidade Bíblica da Filadélfia).

A segunda esposa de Scofield mostrou-se uma fiel companheira e uma boa assistente de edição, mas seu relacionamento com seus filhos estava, na melhor da hipóteses, bem distante.[21] Scofield morreu em sua casa em Long Island em 1921.[22]

Significancia Religiosa[editar | editar código-fonte]

O curso de estudo bíblico por correspondência de Scofield foi a base para formulação de sua Bíblia de Referências. Com notas, e de ampla circulação, ela foi publicada pela primeira vez em 1909 pela “Oxford University Press”.[23] As anotações de Sofield ensinam a visão futurista e dispensacionalista, uma teologia que foi, em parte, concebida no início do século XIX, pelo clérigo Anglo-Irlandês John Nelson Darby, o qual, assim como Scofield, também teve uma formação na área advocatícia.[24] O Dispensacionalismo enfatiza a distinção entre a Igreja Neotestamentária e o antigo Israel do Velho Testamento. Scofield defendia que entre a criação e o juízo final existem sete períodos distintos na relação de Deus para com o homem e esses períodos são as estruturas em torno da qual a mensagem de sua bíblia pode ser explicada. Foi, em grande parte, por influência das notas de Scofield, que o pré-milenismo dispensacionalista se tornou influente entre os fundamentalistas cristãos nos Estados Unidos.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Lutzweiler, 60-61.
  2. Lutzweiler, 61-62. Scofield told his first biographer that his personal reading had inspired him to begin making a chart of universal history when he was twelve.
  3. Lutzweiler, 63-65. Scofield argued that he was native of Michigan, had never exercised the rights of citizenship in the Confederacy, had enlisted as a minor, was suffering from bad health, and intended to "enter Guerilla service in East Tenn." He was discharged on September 26, 1862.
  4. Rushing, 24.
  5. Rushing, 26. In 1903, Scofield was awarded the Southern Cross of Honor by the United Daughters of the Confederacy, Dallas Chapter #6. Rushing, 105.
  6. Lutzweiler, 71.
  7. Lutzweiler, 73-74.
  8. Lutzweiler, 74; Michael Phillips, White Metropolis: Race, Ethnicity, and Religion in Dallas, 1841-2001 (Austin: University of Texas, 2006), 47-48.
  9. History of the United States Attorney District of Kansas. Nevertheless, the apologetic Mangum & Sweetnam note that "there are discrepancies in these reports as to where his time was served or what the crime was he allegedly committed. Even Canfield, after scouring public records, looking for corroboration of the jail time stories, concludes that such reports turn out to be nothing but unsubstantiated rumors." (37)
  10. Magnum & Sweetnam, 25.
  11. Scofield also had a son by Leontine, Guy Sylvestre (1872-74), who died of scarlet fever at the age of two. Magnum & Sweetnam, 24.
  12. Noel Paul Scofield (1888-1962) consistently refused to give interviews about his father. Lutzweiler, 198. C. I. Scofield almost certainly provided deliberately inaccurate personal information to Who's Who and to his official biographer, Charles Trumball. As another biographer has written, Scofield "was secretive about his past and not above distorting the facts of his shadowy years." John D. Hannah, "Scofield, Cyrus Ingerson" American National Biography Online February 2000.
  13. Trumbull, 28.
  14. Mangum & Sweetnam, 11.
  15. Lutzweiler, 101.
  16. Tucker, 304-305.
  17. Mangum & Sweetnam, 13-15.
  18. Mangum & Sweetnam, 46. Scofield did not include the "D.D." in the information he provided Who's Who.
  19. When Moody died in 1899, Scofield presided at his funeral service. Mangum & Sweetnam, 15.
  20. Lutzweiler, 182.
  21. Lutzweiler, 192-98. Suas duas filhas moravam em Atchison, Kansas e tornaram-se professoras. Magnum & Sweetnam, 26.
  22. Mangum & Sweetnam, 18. The funeral was held in the large sanctuary of the First Baptist Church, Flushing, New York, and Scofield was buried in Flushing Cemetery.
  23. The title page listed seven "consulting editors": Henry G. Weston, James M. Gray, W.J. Erdman, A.T. Pierson, W. G. Moorehead, Elmore Harris, and A. C. Gaebelein. "Just what role these consulting editors played in the project has been the subject of some confusion. Apparently Scofield only meant to acknowledge their assistance, though some have speculated that he hoped to gain support for his publication from both sides of the millenarian movement with this device." Ernest Sandeen, The Roots of Fundamentalism: British and American Millenarianism, 1800-1930 (Chicago: University of Chicago Press, 1970), 224.
  24. Nevertheless, dispensationalist Charles Caldwell Ryrie argues that Scofield was actually following the dispensationalist scheme of hymn writer and theologian Isaac Watts (1674-1748) rather than that of Darby, although Watts had rejected the Millennium as a dispensation. Charles C. Ryrie, Dispensationalism (Chicago: Moody Press, 1995), 55.

Referencias[editar | editar código-fonte]

  • Joseph M. Canfield, The Incredible Scofield and His Book, (Vallecito, California: Ross House Books, 1988).
  • John Gerstner, Wrongly Dividing the Word of Truth, (Brentwood, Tennessee: Wolgemuth & Hyatt, 1991).
  • John D. Hannah, "Scofield, Cyrus Ingerson," American National Biography.
  • David Lutzweiler, The Praise of Folly: The Enigmatic Life and Theology of C. I. Scofield (Draper, VA: Apologetics Group Media, 2009).
  • R. Todd Mangum and Mark S. Sweetnam, The Scofield Bible: Its History and Impact on the Evangelical Church (Colorado Springs: Paternoster, 2009).
  • D. Jean Rushing, "From Confederate Deserter to Decorated Veteran Bible Scholar: Exploring the Enigmatic Life of C. I. Scofield, 1861-1901," MA Thesis, East Tennessee State University, 2011.
  • Ernest R. Sandeen, The Roots of Fundamentalism, British and American Millenarianism, 1800-1930 (Chicago: University of Chicago Press, 1970).
  • Charles G. Trumball, The Life Story of C. I. Scofield (New York: Oxford University Press, 1920).

Links externos[editar | editar código-fonte]