Déjà Vu (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Déjà Vu
Déjà Vu (PT/BR)
 Estados Unidos
2006 • Cor • 128 min 
Direção Tony Scott
Roteiro Bill Marsilii e Terry Rossio
Elenco Denzel Washington
Paula Patton
Val Kilmer
James Caviezel
Adam Goldberg
Elden Henson
Erika Alexander
Género ação
ficção científica
suspense
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Déjà Vu é um filme americano de 2006, um thriller policial, com elementos de ficção científica, dirigido por Tony Scott, produzido por Jerry Bruckheimer, e co-escrito por Bill Marsilli e Terry Rossio. O filme é estrelado por Denzel Washington, Bruce Greenwood, Matt Craven, Jim Caviezel e Paula Patton como os personagens principais, mas também incluem atores como Val Kilmer e Adam Goldberg. Déjà Vu relata a história do agente da ATF Douglas Carlin, que viaja no tempo em uma tentativa de evitar um atentado terrorista que acontece em Nova Orleans e salvar uma mulher que ele se apaixona, Claire Kuchever. O filme foi gravado após os acontecimentos do furacão Katrina.[1]

O filme estreou na cidade de Nova Iorque em 20 de Novembro de 2006, e foi lançado ao redor dos Estados Unidos 2 dias depois. O filme foi lançado no México e no Canadá no final de Novembro, e mundialmente nos primeiros meses de 2007. Ainda que tenha recebido críticas das mais variadas, sua nota média no site Rotten Tomatoes é abaixo de 55% de aceitação. O filme arrecadou 64 milhões de dólares apenas nos Estados Unidos, tendo alcançado um total de 180 milhões de dólares somando com o resto do mundo; Déjà Vu foi o 23º filme de maior sucesso ao redor do mundo em 2006. O filme foi indicado a 5 prêmios, tendo ganho o Golden Reel Award.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Na quinta-feira da semana do Carnaval, a Balsa Sen. Alvin T. Stumpf está carregando centenas de marinheiros da Marinha Americana e seus familiares para a celebração, quando ela explode e afunda no rio, matando pelo menos 543 pessoas à bordo. O Agente Especial Doug Carlin (Denzel Washington) da divisão de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos (ATF) é enviado para investigar as causas da explosão, e encontrar evidências que o fato foi um atentado terrorista doméstico. Ao chegar na cena do crime, ele ouve seu celular tocar, porém, o toque vêm do celular de uma das vítimas, que estava envolta em um dos sacos pretos. Ele então conhece o agente do FBI, Paul Pryzwarra (Val Kilmer), e lhe informa quanto a suas descobertas. De volta ao seu escritório, Doug é informado quanto à um corpo em específico que foi retirado do rio, de Claire Kuchever (Paula Patton). Porém, diferentemente dos outros corpos encontrados no rio, este foi descoberto que havia morrido minutos antes da explosão.

Pryzwarra fica impressionado com a aptidão que Doug tem para ser detetive, e o convence a se juntar à nova equipe de investigação fundada pelo governo, em que seu primeiro caso é averiguar as causas da explosão. Com a equipe sendo liderada pelo cientísta Dr Alexander Denny (Adam Goldberg), eles investigam os eventos que levam até a explosão utilizando um novo programa chamado de "Branca de Neve", que permite que eles olhem o passado detalhadamente (4 dias, 6 horas, 3 minutos, 45 segundos e 14.5 nanosegundos) através de uma janela no tempo. O sistema é limitado, podendo analisar os eventos apenas uma vez, já que não há computador potente o suficiente para armazenar uma gravação mundial de cada acontecimento em específico com todos os pontos de vistas possíveis, além disso, não há um processo de retrocesso ou progresso nas imagens, ainda que eles possam gravar o que estão vendo. Convicto de que Claire é uma peça chave para o entendimento do caso, Doug convence a equipe a se focar nela. Enquanto investiga o passado de Claire através da "Branca de Neve", o terrorista liga pra ela tentando comprar o seu carro, com a intenção de usá-lo para levar os explosivos até a balsa. Ainda que ele decida não comprar seu carro, durante a ligação a equipe consegue descobrir o lugar e o horário exato onde o terrorista estará.

Doug acaba descobrindo que a "Branca de Neve" é na verdade uma janela do tempo, e é capaz de mandar objetos inanimados ao passado. Mesmo com a desaprovação de Denny quanto à alterar o passado, Doug envia uma nota ao passado para informar a sí mesmo quanto ao horário e o lugar para encontrar e impedir o terrorista. Ao invés disso, é seu parceiro Larry Minuto que encontra o bilhete, e quando vai averiguar a situação, leva um tiro através da porta do carro. A equipe decide seguir o terrorista, que leva Minuti com ele, porém, ele vai à um lugar que está fora do alcance da "Branca de Neve", com isso, Doug decide seguí-lo no presente utilizando um capacete que aumenta o alcance da da "Branca de Neve". Doug segue o terrorista até sua casa, após recuperar a consciência, Minuti leva outro tiro do terrorista, e é queimado. Precisando de um novo carro, já que sua Blazer possui furos de tiro na porta, o criminoso decide roubar o carro de Claire, sequestrando-a.

Usando uma tecnologia de reconhecimento facial, o terrorista é identificado e levado em custódia. Ele aparenta ser um homem desiludido, chamado Carrol Oerstadt, que está enfurecido com o governo estadunidense após ter sido recusado tanto na Marinha como no Exército americano, que acreditavam que ele era psicologicamente instável. Convicto da resolução do caso, o governo desativa as operações da unidade de investigação da "Branca de Neve". Porém, ainda que o assassino tenha sido preso, isso não evitou que tanto Claire como as vítimas da explosão continuem mortas, o que é inaceitável para Doug, que acredita que a "Branca de Neve" é uma oportunidade para alterar o curso da história. Doug convence Denny à fazer um último experimento que não foi autorizado: Enviá-lo de volta ao passado para salvar Claire e impedir a explosão da bomba. O procedimento é arriscado, já que, até então, nenhum humano foi enviado de volta ao passado por esta máquina, e fazê-lo teria grandes chances de acarretar em uma morte ao viajante. Porém, contrariando todas as expectativas, Doug sobrevive à viagem e impede que Claire seja assassinada na casa de Oerstadt.

Após tratar um ferimento por uma bala, atirada por Carrol, na casa de Claire, Doug vai até a balsa onde, com ajuda de Claire, ele mata Carrol, mas não consegue desarmar a bomba. Com isso, para salvar a todos, Doug e Claire dirigem a van com a bomba até o rio, antes que ela exploda. Claire consegue escapar, mas Doug não tem a mesma sorte antes que a bomba exploda. Enquanto Claire lamenta a morte de Doug, outro Doug vem se aproximando dela, este, do presente, o que acaba confortando-a. Assim que Doug sai com seu carro, a música "Don't Worry Baby", da banda Beach Boys, que havia tocado no inicio do filme, antes da van explodir, e no final do filme, quando eles decidem afundar o carro, toca no rádio.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Implicações das linhas do tempo[editar | editar código-fonte]

Possíveis linhas do tempo

Os eventos mostrados no filme implicam na existência de pelo menos 2 outras linhas do tempo que não foram mostradas em cena, em adição as outras 2 já mostradas no filme.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Os produtores decidiram rodar Déjà Vu em Nova Orleans, mas semanas antes do início das filmagens o furacão Katrina devastou a cidade. Com isto os produtores resolveram encontrar outra cidade para servir de locação. Após algumas semanas sem alguma definição, o cancelamento do próprio filme chegou a ser cogitado.
  • Três meses após a passagem do Katrina por Nova Orleans os produtores resolveram retomar o planejamento original e rodar o filme na própria cidade.
  • Este é o 3º filme em que o diretor Tony Scott e o ator Denzel Washington trabalham juntos. Os anteriores foram Maré Vermelha (1995) e Chamas da Vingança (2004).
  • O roteiro de Déjà Vu começou a ser escrito por Bill Marsilli em 1997.
  • É o 1º filme dirigido por Tony Scott a receber censura PG-13 desde Dias de Trovão (1990).
  • O orçamento de Déjà Vu foi de US$ 80 milhões.
  • Na cena do cemitério, o cantor é Charmaine Neville e o tocador de acordeão Sunpie Barnes.
  • O teorista Brian Greene era um consultor e deveria somente ajudar com o jargão teórico físico.
  • O roteiro foi vendido por 5 milhões de dólares, um dos mais altos de todos os tempos.
  • A versão francesa do cartaz do filme ironicamente explica o que déjà vu significa em Francês.
  • Durante uma cena onde Carlin está em um quartel de investigação, vários monitores ao fundo mostram fotos pornográficas.
  • O trailer usa a canção "Hello Zepp", escrita por Charlie Clouser, do thriller de 2004 Saw.
  • Muitos dos anúncios de TV e trailers repetiam a primeira frase falada para simular a sensação de déjà vu.
  • A menina loira que aparece no ferry deixando a boneca cair é a irmã mais nova da actriz Dakota Fanning, chamada Elle Fanning.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referencias[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.